D Loja Virtual

Como vender na internet para iniciantes: passo a passo simples

Como vender na internet

Saber como vender pela internet é uma necessidade a qualquer empreendedor nos dias de hoje. Há duas possibilidades interessantes que motivam a busca por esse conhecimento: quem está começando um negócio virtual do zero ou quem já tem um negócio físico, mas agora deseja estender a sua atuação também para o online.

Há muita coisa envolvida no mercado do e-commerce. Em meio às muitas vantagens de poder alcançar milhões de pessoas e vender uma imensa variedade de produtos, há também as obrigações legais e tributárias envolvidas. Por isso, antes de começar um negócio online é importante conhecer cada questão envolvida nessa atividade.

Neste post nossa missão é mostrar a você como começar a vender online definitivamente. Veja a seguir um apanhado geral do assunto seguido de um passo a passo simples sobre como começar!

O que é preciso para vender na internet?

Muita gente quer ter um negócio online atualmente, mas quantas delas estão realmente preparadas para dar esse passo. Se engana quem acha que basta ter um bom site, produtos que o público gosta e pronto, em um passe de mágica o faturamento chegará. Não é bem assim. Na verdade, é importante ter planejamento estratégico, antes de tudo.

A operação de uma loja online também não é dos trabalhos mais fáceis. Lidar com o intenso volume de vendas que seu e-commerce pode alcançar é algo complexo. O principal fator que aumenta essa dificuldade é o imenso nível de exigência do consumidor atual. Se você não o satisfaz, simplesmente não sobrevive no online.

Há alguns pontos fundamentais que você precisa entender se quiser saber o que precisa para vender online. Listamos alguns deles a seguir!

Conhecimento de setor

Querer explorar um mercado só porque ele tem dado grandes resultados pode não ser a melhor ideia para um empreendedor. Claro, esses segmentos enchem os olhos, especialmente por causa do grande volume de vendas que possibilitam. Mas quanto a você, será que tem o que é preciso para construir um negócio de sucesso.

Um dos grandes riscos de vender na internet é que você pode trabalhar com tudo. Não entenda mal, mas isso pode realmente ser perigoso se você escolher um mercado em que não domina. Muitos empreendedores cometem esse erro, já que visam somente o dinheiro. No fim, acabam desperdiçando dinheiro e se tornam só mais um entre muitos.

Experiência com vendas

Vender online, naturalmente, exige experiência com vendas. Estamos falando de um ambiente diferente do tradicional, o offline. Ainda assim, ter expertise com o processo ajudará a aplicar tudo isso no ambiente virtual. Se você já trabalhou com vendas antes, certamente conseguirá desenvolver um bom trabalho depois de se adaptar.

Agora, se vender nunca foi o seu setor, talvez seja necessário um tempo a mais para aprender todo o processo de gestão e operação. Esse trabalho comercial requer muito dinamismo, capacidade de negociações e comunicação apurada. Desenvolver isso não é difícil, mas é uma exigência importante para chegar aos melhores resultados.

Infraestrutura

Uma infraestrutura básica é um dos requisitos fundamentais para que quer saber como vender pela internet. Isso pode requerer alguns investimentos, mas é bem possível que você já tenha alguns dos itens necessários. Um dos que já devem fazer parte da sua rotina são:

Além disso, você precisará contratar serviços de internet fundamentais, como e-mail, site, ferramentas de marketing, entre outros. Isso somado a materiais de envio, como caixas e fitas adesivas, devem compor sua infraestrutura inicial do negócio. Sem esses itens, possivelmente sua apresentação e posicionamento não serão profissionais.

Investimentos

Toda essa infraestrutura que citamos vai exigir que você invista dinheiro no seu negócio. Pode ser que os custos estejam acima do que você espera, então é importante realizar um planejamento sólido, rigoroso e preciso. Para isso, busque preços sobre os principais serviços e itens que você deve garantir para manter seu site funcionando e fazê-lo ir ao ar.

Nesse primeiro momento, você conseguirá saber o quanto realmente deverá investir. Se o dinheiro for o problema, o melhor a se fazer é buscar um empréstimo. No entanto, tenha a certeza de que você quer realmente se dedicar ao e-commerce. Afinal, se você desistir no meio do caminho, a única coisa que sobrará é a dívida do crédito solicitado.

Disposição

Se a razão da sua busca de como vender pela internet é querer trabalhar menos, talvez você esteja enganado. É claro que há algumas vantagens de trabalhar online, como poder montar seu escritório em casa. Entretanto, isso não significa que você não precisará se dedicar e, muitas vezes, dar o sangue para que tudo funcione bem.

Por isso, saiba que disposição é um recurso essencial e indispensável para fazer seu negócio andar. Você terá que correr atrás de fornecedores, fazer uma série de ligações e até mesmo, no início, precisará ir até os Correios para despachar seus pedidos. Portanto, tenha isso em mente antes de começar achando que será tranquilo e fácil.

Perseverança

Tem muito “guru” por aí falando só coisas boas sobre o e-commerce, mas não é assim. Quem espera um mar de rosas pode se decepcionar. Afinal, o comércio virtual é como qualquer outro negócio, ou seja, também tem as fases ruins e as dificuldades. Passar por esses momentos da melhor forma é uma escolha que você precisará fazer.

A perseverança é uma exigência fundamental para aqueles que desejam chegar em grandes resultados. Eles podem demorar a vir, você vai lidar com grandes concorrentes e às vezes não será capaz de agradar seu cliente. Mas se você sabe que escolheu o negócio certo e quer se dedicar, persevere e não desista no primeiro percalço que surgir.

Paciência

Não há uma regra para definir em quanto tempo sua loja, ou marketplace, começará a dar lucros. Pode ser que seja em 3 meses, ou até mesmo em 1 ano. A verdade é quem na maioria dos casos, é preciso ter paciência para os resultados chegarem. É que a internet é um ambiente cada vez mais competitivo e leva tempo para você brigar por espaço.

As estratégias de marketing, por exemplo, não chegam ao máximo do potencial de um dia para o outro. Você precisará monitorar o andamento delas e garantir que esteja no caminho certo. Ainda assim, pode levar tempo para que tragam os números que você espera. Ter paciência é a chave! Se você sabe que está fazendo o certo, aguarde os resultados.

Quais são as vantagens de vender pela internet?

Talvez você saiba algumas das vantagens, mas acredite: são muitas. Ter um negócio virtual se tornou um objetivo em comum para milhares de empreendedores, e isso não é à toa. A busca por maior liberdade e autonomia, sem ter que trabalhar para ninguém, talvez seja o principal atrativo. Mas não para por aí!

Listamos algumas das principais vantagens em vender pela internet. Confira!

Número de acessos e visibilidade

Muitas pessoas podem passar em frente de uma loja física, especialmente se o local estiver em uma área de grande movimento, ou central. Isso é vantajoso para quem tem comércios de rua, mas ainda assim implica em limitações. Afinal, pessoas de outros estados, ou até mesmo países, dificilmente visitarão o seu negócio.

Agora, pense no ambiente online. Qual é o impeditivo para que uma pessoa que está em qualquer parte do mundo acesse seu site? Absolutamente nenhum! Qualquer um pode entrar na página, escolher produtos e fechar compras. Além desse acesso facilitado, há também a visibilidade, algo que depende diretamente das suas estratégias de marketing.

Facilidade nos processos

Processos mais simples também são um diferencial altamente atrativo para gerenciar um negócio, já que há muitas exigências envolvidas nisso. Online, não há necessidade de estruturar uma rotina de cuidados com um grande local físico, por exemplo. Isso já reduz a necessidade de tarefas, além de também diminuir custos com limpeza e funcionários.

Os processos também passam a ser mais únicos e diretos. Basicamente, a rotina consiste em gerenciar as vendas, despachar os pedidos, monitorar resultados e disparar e-mails e ações de marketing. Pode parecer muita coisa, mas você consegue simplificar esses processos com a ajuda de uma ferramenta de automação e algumas horas de dedicação.

Confiança do público

O momento atual traz o cenário perfeito para o e-commerce: as pessoas estão cada vez mais seguras em comprar pela internet. Graças aos órgãos reguladores, que têm exigido comprometimento e registros legais às lojas, dificilmente há golpistas atuando livremente na web. Além disso, a lei do e-commerce protege o consumidor de qualquer problema.

Esse ambiente favorável, naturalmente, estimula as pessoas a confiarem nas lojas online que encontram e, naturalmente, comprarem tudo que precisam. Os empreendedores, por sua vez, podem aproveitar todo esse fluxo e construir relações positivas com suas respectivas audiências. Assim, mais vendas são geradas e o faturamento é potencializado.

Audiência qualificada

Saber como vender na internet passa também por alcançar e atrair as pessoas certas para o seu negócio. Quando você implementa uma estratégia de marketing de conteúdo, por exemplo,a  intenção é atrair somente quem realmente interessa. Essas pessoas que têm interesse no que você vende formam o que chamamos de tráfego qualificado.

Em uma escala mais ampla, a audiência qualificada significa todo o seu público-alvo com amplo interesse pelo que você tem a oferecer. A parte boa disso é que não estamos falando só de produto, mas sim de todo o relacionamento. Logo, você terá sucesso nas suas estratégias de marketing, claro, se souber como se comunicar com essas pessoas.

Marketing direcionado e informado

Para estabelecer um bom relacionamento com sua audiência, o marketing é fundamental. Portanto, não adianta investir em grandes campanhas se você não souber como direcioná-las para as pessoas certas. É muito importante que toda ação realizada pela sua empresa esteja devidamente segmentada ao seu público-alvo.

Um fator de grande ajuda nesse sentido é a definição de uma persona. Esse termo se refere a um perfil de consumidor fictício criado para elencar as características principais de quem compra no seu negócio. A partir dessa base, fica mais fácil criar conceitos de campanha, definir um tom de voz e escolher segmentações em campanhas no Facebook ou no Google Ads.

Fidelização de clientes

Você também consegue fidelizar seus clientes com mais facilidade vendendo pela internet. Para entender isso, você precisa primeiro saber que quem compra pela web está em busca de comodidade. Não importa o que você venda, se a experiência é satisfatória ao consumidor, são grandes as chances de que ele se torne um comprador recorrente.

Imagine que você tem um petshop online e, entre seus produtos, você vende tapetes higiênicos para os bichinhos. Esse é um item necessário que e que precisa ser comprado com recorrência. Por isso, se sua loja virtual entrega rápido, atende bem e tem bom preço, certamente você fideliza os consumidores, ou seja, elas vão comprar com você sempre que precisarem de mais tapetes.

Concorrência indireta

A concorrência indireta engloba empresas que oferecem produtos e serviços diferentes aos que você oferece pela web. Ainda assim, essas pessoas alcançam o mesmo público que você. Na prática, essa é uma situação vantajosa, já que tudo depende de como você vai trabalhar a sua divulgação. Sem concorrentes diretos, captar atenção é mais fácil.

Esse trabalho, no entanto, dependerá bastante de estratégias de marketing eficazes. A intenção com isso é agregar mais valor à sua marca, tornando-a uma referência no setor. Por isso, seu público-alvo saberá em pouco tempo que pode contar com a sua empresa. Além disso, é no seu negócio online que o público encontrará os produtos que desejam.

Autonomia

Quem trabalha no mundo corporativo precisa cumprir metas, se adequar às estratégias e culturas das empresas e, em alguns momentos, ter que lidar com chefes difíceis. Tudo isso é parte natural do dia a dia do trabalhador, mas pode ser que um basta resolva. A verdade é que todo mundo, ao menos uma vez, já desejou ser seu próprio chefe.

Se esse é seu sonho, o e-commerce pode ajudar a realizar. Ser dono de uma loja virtual é a autonomia que você sempre buscou, em um negócio que é somente seu. Você pode fazer da maneira que quiser, trabalhar com os produtos favoritos e explorar o mercado que você mais gosta. Assim, você toma suas decisões sem precisar prestar contas a ninguém!

Horários flexíveis

Trabalhar em um emprego normal, em horário comercial, pode limitar nossas vidas, atrapalhar nossos relacionamentos e nos tornar infelizes. Estar preso a uma faixa de horário não é algo comum quando você vende pela internet. A verdade é que você trabalha a hora, o dia e de onde quiser, afinal, você é o dono da empresa!

Muitas pessoas resolvem investir nesse mercado para ter uma vida com horários mais flexíveis. Se você quiser trabalhar só durante a noite, pode. Acordar cedo? Só se você preferir assim. Desde que você consiga atender seus consumidores, despachar as compras e cuidar das estratégias, o horário não fará nenhuma diferença.

Quais são as exigências legais para vender pela internet?

Agora é hora de tratar de um tema importante e decisivo para o sucesso a longo prazo do seu negócio: a legislação. Poucas pessoas que começam um negócio online dão valor às obrigações que um empreendedor precisa ter na hora que começa uma empresa na internet. Acredite, são várias as questões que devem ser consideradas nesse momento.

Um e-commerce é uma empresa como qualquer outra, então, precisa prestar contas à Receita Federal. Além disso, é necessário também se posicionar, formalmente, como uma companhia. Isso garante que você possa atuar de maneira legal, o que é mais seguro para você e até mesmo para o seu consumidor. A seguir, entenda mais quais são as exigências legais principais. 

CNPJ

O CNPJ é o seu registro de empresa, ou seja, o cadastro de pessoa jurídica. Certamente você tem um CPF, o que é a mesma coisa, mas só que para pessoas físicas. Agora, quando você se torna um empreendedor, é fundamental garantir que seu novo negócio tenha um registro formalizado. Esse é o passo para que a empresa “exista” a nível jurídico.

Alguns consumidores mais detalhistas podem procurar esse tipo de informação quando forem ao seu site realizar uma compra. Portanto, se você não tem um CNPJ formalizado, não consegue transmitir o profissionalismo exigido. Além disso, você pode sofrer sanções legais caso se posicione como um comércio online, mas sem ter o devido CNPJ.

NFe

Assim como um negócio físico, o e-commerce também precisa emitir notas fiscais a cada compra que realiza. Isso é fundamental do ponto de vista fiscal, assim como também a parte dos processos de transparência essenciais que se deve ter com o consumidor. A diferença, no entanto, é o modelo, que deve ser a NFe, em vez do tipo tradicional.

A NFe é a Nota Fiscal Eletrônica, ou seja, a versão para as lojas virtuais. A cada venda realizada, o sistema comercial que você utiliza deverá emitir, automaticamente, uma NFe. Nela é necessário constar todas as informações que esse documento traz. Além disso, você precisa enviar essa NFe, geralmente por e-mail, logo após faturar esse pedido.

ICMS

Entre os tributos, o ICMS é um dos mais importantes que há no e-commerce. Ele é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, ou seja, precisa ser aplicado a qualquer venda de comércio. A taxa é repassada no valor que você vende ao consumidor, por isso, sua precificação deve sempre considerar a incidência do ICMS nas suas vendas.

Uma importante informação à qual você deve se atentar é a tarefa do ICMS. Afinal, não há um valor fixo, uma vez que ele varia de acordo com o estado em que o negócio está, ou seja, onde a emissão acontece. Inclusive, as informações sobre valores de ICMS precisam estar detalhadas junto a outros dados relatados na NFe que você emite.

MEI

O Microempreendedor Individual, ou MEI, é um regime tributário que favorece pessoas que faturam até R$ 81 mil anuais. Por isso, se seu negócio se mantém dentro dessa faixa, o MEI pode ser um modelo altamente vantajoso. Ele permite que você tenha até um funcionário e, quanto às taxas, você paga somente algo em torno de R$ 52,00 mensais.

Esse regime é um incentivo para pessoas que querem empreender, mas não têm capacidade, ou desejo, de terem grandes empresas. Por isso, os R $52,00 pagos mensalmente são um recolhimento simples e que inclui o ICMS e a contribuição para o INSS. Ou seja, você só precisa se preocupar com esse valor e mais nenhum outro.

Tem como vender pela internet de graça?

Talvez você já tenha se perguntado em algum momento se é possível saber como vender pela internet sem ter nenhum custo. De certo modo, a resposta é sim. Você consegue empreender sem custos, mas há algumas questões envolvidas nisso. Primeiramente, se falamos de contribuição fiscal, é praticamente impossível, ou seja, você poderia estar em uma infração.

Agora, quando falamos de infraestrutura, como sites e outros serviços, é possível, mas ainda assim há ressalvas importantes. É importante sempre observar do ponto de vista de desempenho e desempenho de mercado. A seguir, listamos alguns pontos que valem a pena se atentar.

Plataformas podem não ser seguras

É muito comum que empreendedores estejam em busca de plataformas de loja virtual. Se você busca informações sobre como vender pela internet, certamente já pesquisou sobre como criar um site e o custo dele. A verdade é que, por mais que haja opções gratuitas no mercado, dificilmente elas conseguirão oferecer o que um serviço pago garante.

Um dos pontos de maior atenção é o nível de segurança da plataforma escolhida. Muitas das opções gratuitas não têm parâmetros mínimos de segurança, já que isso exige um custo. Portanto, por mais que essa opção pareça funcional, ao menos no início, há boas chances de você estar colocando as informações do seu consumidor em risco.

Profissionalismo não fica em destaque

Uma loja virtual gratuita tem algumas limitações que vão restringir o ambiente de ser o melhor possível. Isso acontece porque você não tem nenhum custo, ou seja, também não pode esperar nada muito moderno. Nesses casos, a aparência é um dos principais fatores que podem ser percebidos. Plataformas gratuitas oferecem poucas opções de layout.

O grande problema disso, além de seu site não ter uma aparência profissional, é a percepção do consumidor sobre a sua marca. O ambiente do site afeta diretamente a maneira como as pessoas enxergam sua empresa. Na maioria esmagadora das vezes, nem mesmo seu domínio próprio pode ser usado, o que piora ainda mais a situação.

Recursos são bastante limitados

O principal problema, a nível operacional e de gestão, é a limitação dos recursos em plataformas gratuitas. As fornecedoras não disponibilizam funcionalidades que, geralmente, são oferecidas nos planos pagos. A verdade é que isso é feito para que o usuário perceba a falta de recursos e decida migrar para o plano profissional.

A limitação de recursos pode até não ser percebida como um problema no início, mas isso também é um indicativo de que o empreendedor não está explorando o potencial do negócio. Nessa situação, é certo de que o negócio online não chegará a grandes resultados. Por isso, saiba que é importante ter ferramentas de destaque para atrair mais, alcançar, engajar e, claro, vender.

Qual a melhor forma de vender pela internet?

Se engana quem pensa que só se vende pela internet utilizando uma loja virtual. Talvez ela seja o modelo mais tradicional e completo, mas não o único. No cenário atual, há espaço para todas as estratégias, dimensões de investimentos e desejos de empreender. Isso torna o e-commerce um segmento mais democrático e até mesmo inclusivo.

Há modelos clássicos e mais famosos que podemos considerar as melhores opções de vender pela internet, seja de maneira mais complexa, seja de modo dinâmico. Mostraremos a seguir as principais formas e como cada uma delas funciona no e-commerce. Veja!

Montar uma loja virtual

A loja virtual é o modelo mais completo para quem deseja começar no mundo das vendas online. Nela, você terá uma estrutura ampla e complexa, o que também vai gerar mais trabalho para gerenciar e operar. Em contrapartida, você agrega muito mais valor à sua marca. Afinal, sua empresa tem uma loja virtual própria onde vende os produtos.

Em uma loja virtual você precisará se preocupar com impulsionamento de links, gestão de estoque, despacho de produtos e relacionamento com o público. Talvez seja difícil fazer tudo isso sozinho, então você deve precisar de um funcionário para ajudar. A loja virtual pode vender tantos produtos próprios, da sua marca, ou de um ou mais fornecedores.

Vender pelas redes sociais

As redes sociais são plataformas já muito conhecidas pela capacidade de alcance e de atração de pessoas. Portanto, quem está vendendo na internet atualmente precisa também ter um perfil nas redes sociais. É que, além de ajudar a promover sua empresa, essas plataformas também permitem que você venda seus produtos.

No Facebook, por exemplo, você pode promover anúncios do seu produto com botões de CTA como “Compre agora”. Assim, ao clicar, o usuário é diretamente direcionado para seu site, já com aquele item no carrinho. Além disso, há também o Instagram Shopping, que permite que usuários façam compras diretamente na rede social.

Distribuir produtos no marketplace

Você nem mesmo precisa ter um site para vender seus produtos na internet. Isso é possível graças aos marketplaces, modelos que funcionam quase como um shopping. O papel desses comerciantes virtuais é anunciar produtos dos mais variados fornecedores. Eles fazem todo processo de venda, mas na verdade, comercializam produtos de outras marcas.

Ao optar por anunciar em um marketplace, seu trabalho consistirá somente em enviar os produtos para o público, o que reduz totalmente a necessidade operacional. Entretanto, você pode também optar por ser um marketplace. Essa é uma escolha vantajosa, já que você simplesmente corta todas as etapas logísticas do trabalho.

Ao gerir um marketplace, você só precisa se preocupar em captar bons fornecedores e fechar parcerias. Depois disso, precisa operar o site e garantir que os fornecedores estão cumprindo com suas obrigações junto aos consumidores.

Investir em um programa de afiliado

Você conhece o programa de afiliados? Essa é uma importante estratégia que, assim como o marketplace, pode ser usada por dois lados distintos. Por exemplo, você pode aderir a esse programa mesmo já tendo uma loja online. Assim, você consegue divulgar seus produtos por meio de outras pessoas, apenas com o custo de uma comissão a cada venda que elas realizam.

Você pode também ser um afiliado, neste caso, vendendo produtos de diversas empresas por meio dos seus links. Seu trabalho consistirá em divulgar esses links em grupos de redes sociais e outros locais de alta visibilidade. Assim, suas chances de vender mais são altas e, consequentemente, você consegue faturar mais por meio das comissões.

Vender pelo Google Shopping

O Google Shopping não é exatamente uma plataforma de vendas em que o consumidor realiza a compra nela. Na verdade, se trata de uma ferramenta de anúncios e potencialização da visibilidade de produtos da web. Se você tem uma loja virtual, o Google Shopping serve para fazer seu item ficar em destaque junto a outros iguais.

A grande vantagem é, além da visibilidade, mostrar seu preço. Assim, o consumidor pode comparar com o de outros concorrentes. Para anunciar no Google Shopping você deve criar a campanha dentro do Ads, não muito diferentemente dos outros tipos de anúncio. Ao escolher as palavras-chaves certas seu produto pode figurar com destaque no Google Shopping.

Como escolher o que vender pela internet?

Essa é, talvez, a pergunta mais valiosa que pode ser respondida a um empreendedor que deseja começar a vender online. Afinal, o que vender? Bem, apesar de ser uma dúvida comum, ela não oferece uma resposta exata. Do contrário, há a possibilidade de induzir o empreendedor ao erro, o que vai gerar frustração e, eventualmente, prejuízo.

O ponto em questão aqui é: cada pessoa pode vender um tipo de produto diferente e, acredite, ele tem potencial de gerar boas vendas. Tudo depende do quanto do mercado você conhece, sua expertise com o segmento e capacidade de se manter firme diante das dificuldades. Se você gosta do que faz, saberá sobreviver em meio aos desafios.

Vamos propor o seguinte: faremos algumas perguntas a seguir e, de acordo com a sua resposta, considerando também a explicação sobre cada uma, você reflete sobre o que poderia vender. Confira!

Você tem paixão?

Antes de saber como vender pela internet você deve pensar em alguma coisa que goste. Sobre qual assunto você pode falar o dia todo e não se cansar? O que você gostaria de aprender? O que faz, realmente, o seu coração cantar? 

Faça uma lista com tudo o que pensar e lembre-se de que gostar do trabalho é fundamental. Não há nada mais frustrante na vida do que trabalharmos muito e não sentirmos prazer com aquilo que desempenhamos.

Qual a sua habilidade?

Agora que você já fez a lista, coloque uma nota de 1 a 4 ao lado de cada um dos itens. Leve em consideração que nota 1 é baixa habilidade e nota 4 é alta habilidade. Tenha em mente que para vender produtos relacionados a futebol, por exemplo, você não precisa saber jogar, mas precisa saber como o mundo do futebol funciona.

Por isso, avalie o quanto você tem interesse na área e o quanto está disposto a buscar conhecimento sobre ela. Afinal, trabalhar com vendas pela internet exige atualização constante sobre o segmento que você escolher.

Qual a chance de ganhar dinheiro nesse mercado?

Agora é a hora de avaliar a possibilidade de retorno financeiro em cada um dos itens da sua lista. Para isso, coloque uma nota de 1 a 4 levando em consideração que 1 é baixo volume de dinheiro e 4 é alto volume de dinheiro.

Não se esqueça que quanto mais possibilidade de dinheiro um mercado oferecer, maior será a concorrência. Por isso, é importante escolher um mercado de nicho, onde a concorrência é menor. A internet não tem barreiras geográficas e, por isso, mesmo um nicho muito específico pode representar um grande número de consumidores. 

Quais são os diferenciais competitivos para vender pela internet?

Você precisará enfrentar diversos concorrentes no ambiente online. Diretos ou indiretos, para superá-los você precisa fazer o seu trabalho com qualidade. No e-commerce, há muitas formas de se destacar e ser um negócio mais competitivo. Acredite: não é só o preço que vai garantir estar em destaque, mesmo em meio a outras grandes empresas.

A seguir, entenda do ponto de vista de experiência do consumidor e gestão de marca, quais fatores ajudam a colocar seu negócio virtual em destaque!

Inovação

Inovar tem sido uma escolha recorrente das empresas que desejam se manter no topo. Afinal, como se destacar entregando mais do mesmo? Se engana quem pensa que esse diferencial precisa vir somente por meio de produtos de alta tecnologia ou complexidade. A inovação vai desde o que se produz até a forma como se faz negócio.

Por isso, sua empresa deve pensar em inovação como uma forma de pensar fora da caixa. Se seu atendimento é feito de modo único, sem dúvidas sua empresa está inovando. O mesmo pode se estender ao seu método de envio, sua embalagem de produto e uma série de outras questões. Por isso, pense sempre em como pode inovar!

Estratégias de marketing

Boas estratégias de marketing são essenciais para que marcas consigam se manter relevantes em meio a tanta concorrência. Um planejamento adequado vai contemplar, além das vendas, também o fortalecimento da empresa e a captação de novos consumidores. Assim, sua empresa estará sempre em relevância e conseguirá bons resultados.

Marketing é um trabalho que impulsiona sua empresa até os consumidores, mas também a torna mais atrativa. Além disso, por meio de campanhas criativas e segmentadas, você consegue lançar produtos, fazer boas liquidações em datas especiais e ainda desenvolver o relacionamento com o público.

Relacionamento com o consumidor

Os consumidores precisam se sentir seguros e valorizados na relação com marcas. Sabendo disso, as empresas têm trabalhado em contatos mais próximos e com foco no entendimento das necessidades do seu público. O entendimento é que esse é o melhor caminho para gerar engajamento e fidelizar, potencializando as vendas.

Por isso, você precisa redobrar os esforços no que diz respeito ao atendimento e a manutenção de uma relação com o consumidor. Um do pilares para isso é o pós-venda, mas também há outras questões fundamentais que compõem um bom relacionamento, como:

Pagamento

Parte de uma experiência completa no e-commerce é a entrega de possibilidades que geram mais conveniência ao consumidor. Quando ele compra de uma loja online, a expectativa é que seja tudo fácil, tranquilo e agradável. Entre os fatores que contribuem para isso, sem dúvidas o pagamento é um dos principais.

Em resumo, o consumidor quer pagar da maneira que for mais fácil para ele, ou seja, a que ele preferir. Por isso, é fundamental a um e-commerce disponibilizar uma ampla oferta que deve incluir:

Envio

Assim como as formas de pagamento, o envio é também outro pilar importante da satisfação do consumidor com a empresa. Por isso, empresas que conseguem oferecer vastas opções de envio certamente vão se destacar.

Quer ver um bom exemplo? Imagine que você e seu concorrente vendem um produto pelo mesmo preço, mas o frete dessa outra empresa é mais barato e mais rápido. Ainda que seu cliente seja fidelizado, há riscos de perder essa venda. Agora, se o consumidor nunca comprou com você, tenha a certeza de que ele comprará com o concorrente.

O envio precisa considerar tempo de entrega e custo. É importante ter um equilíbrio entre esses dois fatores. Por isso, não se limite apenas aos Correios! Busque parcerias comerciais para trabalhar com transportadoras que oferecem melhores condições.

O frete é um dos principais fatores que impactam o checkout e, quando as condições não são ideais, o abandono do carrinho é um risco grande!

Quais são as fases de uma venda pela internet?

Conhecer a estrutura de vendas que acontece na internet ajuda você a otimizá-la no seu negócio. O marketing e o trabalho de relacionamento com o cliente são de grande ajuda para conseguir bons resultados nesse sentido. Assim, é possível reduzir os pontos de contato na jornada e chegar à venda mais rapidamente.

A seguir, saiba quais são essas fases de venda e como elas funcionam no e-commerce.

Atração de visitantes

Tudo começa pelo processo de inbound, ou seja, de atração de consumidores. Essa é uma forma estratégica de garantir que mais pessoas saibam da existência do seu negócio. Assim, você as atrai de maneira orgânica e natural, graças ao SEO.

Uma vez atraídos, esses visitantes precisam encontrar conteúdos que realmente façam com que eles se interessem. Esse é o papel do marketing de conteúdo, que atrai e educa. A partir daí, as próximas etapas fluem mais naturalmente.

Conversão de visitas em vendas online

Depois do processo de educação do consumidor, certamente ele estará pronto para gerar conversões, entre elas, comprar. Por isso, é necessário estruturar um funil que tenha pontos de contato eficazes. Isso fará com que o consumidor avance gradativamente.

Quando essa pessoa chega ao fundo do funil, uma oferta é feita a ela. Graças a todo o processo prévio de preparação, esse lead chega qualificado, ou seja, pronto para comprar. Isso acontece e a empresa consegue aumentar sua margem de lucro.

Fidelização de clientes no pós-vendas

Tão importante quanto lucrar é manter um faturamento constante e sólido. Assim, torna- se mais fácil continuar com um trabalho qualificado no relacionamento. Portanto, depois da venda, o momento é de atuar em prol da fidelização do público.

O pós-venda é o que vai garantir que esse cliente não termine a relação com sua marca depois de comprar. Por isso, sua empresa deve enviar e-mails perguntando o que ele achou da compra e se colocando à disposição para qualquer problema. Isso vai fidelizar!

Como começar a vender pela internet?

Quer dar seu pontapé inicial em um negócio de sucesso, mesmo sendo iniciante? Confira a seguir quais são as 12 principais dicas sobre como vender na internet!

1. Escolha o melhor produto para vender na internet

Não há restrições do que você pode escolher para vender na internet. Naturalmente, alguns produtos terão um potencial de venda maior, enquanto outros serão mais difíceis. Ainda assim, tudo depende da sua segmentação e da maneira que você trabalha a atração e alcance do seu público. Se isso for feito corretamente, você pode vender o que quiser.

Por isso, antes de tudo, defina qual será esse produto. Considere a amplitude de mercado, estude concorrentes, entenda os custos de aquisição ou como será a produção, se for o caso. Tudo isso deve ser pensado para que o planejamento do seu negócio seja preciso. Assim, você conseguirá iniciar seu empreendimento de maneira segura.

2. Defina o seu público-alvo

Para quem você vai vender esses produtos? O público-alvo é quem vai fazer o seu negócio prosperar e se tornará o seu cliente. Naturalmente, cada segmento de mercado tem um tipo de público distinto. O grande desafio, na verdade, é saber quem são essas pessoas, o que elas esperam de você e de que maneira você pode alcançá-las.

Quando falamos de público-alvo, a concepção é um pouco mais ampla se compararmos à persona, por exemplo, que é uma simulação do consumidor médio da marca. O público é quem vai comprar de você, sem detalhamento. Por exemplo, se você vende artigos para bebês, seu público-alvo é composto de pais e mães, e você sabe o que eles querem.

3. Determine quais canais de vendas usar

Os canais de vendas são importantes para que seu negócio online consiga negociar por mais de um ambiente da internet. Isso garante que mais vendas sejam geradas de vários lugares diferentes, aproveitando o tráfego de consumidores das mais diferentes origens. Naturalmente, isso pode ajudar a potencializar o faturamento.

Por exemplo, se você escolheu ter uma loja virtual, pode também vender pelas redes sociais e em um marketplace. No entanto, é importante entender o impacto operacional e de gestão que trabalhar com canais simultâneos vai gerar. Às vezes, se concentrar em um , ou poucos, permite que sua empresa funcione bem e deixe o consumidor satisfeito.

4. Escolha o nome da sua marca e registre

O processo de escolha do nome de marca é uma etapa importante, já que definirá como as pessoas vão enxergar a empresa no futuro. Um bom nome é aquele capaz de ser marcante, único e de fácil associação. Assim, as pessoas conseguirão sempre lembrar da marca e vão associá-la aos pontos positivos que você vai desenvolver com o tempo.

Uma vez pensado, esse nome precisa ser oficializado legalmente. O ideal é que você faça um registro de marca junto ao CNPJ da empresa. Isso garante todos os direitos de proteção ao nome e você pode usá-lo como quiser. Por isso, nesse processo de procura, garanta que esteja usando um nome original.

5. Faça uma análise de seus concorrentes

O trabalho de análise de concorrentes faz parte desse processo inicial de implementação de uma ideia de negócio. Ao observar essas outras empresas, alguns pontos importantes poderão ser detectados. Entre eles destacamos:

Nessa etapa, não confunda a análise como um trabalho que levará sua empresa a simplesmente copiar tudo que o concorrente faz. Na verdade, o trabalho dele será uma referência para quem está chegando ao mercado agora. Lembre-se de que sua marca deve ser original, desde o posicionamento no mercado até o relacionamento com o consumidor.

6. Precifique os produtos para vender pela internet

Definir o preço dos seus produtos é uma atividade que requer uma análise mais detalhada do cenário. Por conta disso, você precisa considerar alguns fatores, como os custos e as despesas necessárias para manter o negócio. Além disso, o custo de produção do seu produto precisa ser considerado nesse preço a ser cobrado.

Um dos piores erros que você pode cometer é definir o quanto esses produtos vão custar sem fazer nenhum cálculo, considerando apenas estimativas. Precificação é um processo detalhado e que, para gerar um valor correto, deve considerar:

7. Defina os meios de pagamento

Neste conteúdo você já entendeu a importância dos meios de pagamento e o que eles significam estrategicamente para as empresas. Por isso, na hora de definir quais oferecer, você deve entender como essas escolhas vão impactar o seu público. Se a maioria dele é jovem, pagamentos digitais, com plataformas, pode ser uma oferta interessante.

O ideal mesmo é diversificar. Pois se você abrange também um público de pessoas mais velhas, talvez elas prefiram métodos práticos, como o cartão de crédito e o boleto bancário. Além dessas questões ligadas ao consumidor, avalie também o custo de cada um desses meios de pagamentos, afinal, há um percentual que deve ser pago a cada um.

8. Escolha as formas de frete e organize a logística

Agora é hora de definir como as compras serão enviadas aos consumidores. Nessa etapa, garanta uma oferta mais ampla, sempre pensando no equilíbrio entre custo de envio e tempo de entrega. Por isso, você deve definir os principais métodos de frete, sempre garantindo opções que atendam pessoas do Brasil inteiro.

Além disso, sua logística de despacho e retorno também deve ser estruturada. Logo, defina os horários, ou dias da semana, em que você levará essas compras aos Correios ou às transportadoras. Em alguns casos, são os próprios entregadores que fazem o recolhimento no seu estoque. Defina como será e faça funcionar dessa forma!

9. Determine os canais de divulgação dos produtos

A divulgação é parte importante do trabalho de vendas online. Por mais que sua empresa, em algum momento, alcance estabilidade no mercado, é necessário promovê-la, assim como seus produtos. Portanto, esse é um passo fundamental quando você ainda está no início, afinal, poucas pessoas já conhecem o trabalho realizado.

Nesse momento, você precisa definir quais estratégias de marketing vai usar, sempre pensando em como combiná-las. As principais são e-mail marketing, anúncios no Google Ads, marketing de conteúdo, entre outras. Não deixe também de explorar as redes sociais para promover seu negócio e se manter em contato com seu público-alvo. 

10. Dedique-se ao atendimento ao cliente

Seu consumidor, cedo ou tarde, vai precisar falar com você. Pode ser por conta de uma dúvida que ele tem antes de comprar um produto, mas também pode ser por uma reclamação. Diante dessas situações, a dedicação da sua empresa para atender bem deve ser intensa, já que isso afeta diretamente a imagem do negócio na web.

Um bom trabalho deve começar pela oferta diversificada de canais de atendimento. Ainda assim, cuidado! Se você começar a trabalhar sozinho, muitas opções podem gerar uma demanda que você não dará conta. Isso causaria um efeito reverso, com demora nas respostas. Logo, diversifique, mas só ofereça canais que você dará conta de atender!

11. Escolha o seu produto estrela

Observe o volume cúbico

Se você quer saber como vender bem pela internet, lembre-se que os produtos pouco volumosos são mais fáceis de armazenar, de embalar e de enviar. Além disso, eles têm frete mais competitivo.

Peso baixo

Esse item é bem parecido com o anterior, mas deve ser destacado, já que até mesmo produtos pequenos podem ser bem pesados. O peso baixo permite um envio mais econômico e faz com que o processo de transporte do seu depósito aos Correios seja mais prático.

Alto valor agregado

Quer saber como vender mais pela internet? O alto valor agregado de um produto pode potencializar suas vendas. Além de aumentar o ticket médio da loja, vender produtos que tenham valor, além de preço, faz com que o empreendedor possa competir mais com a concorrência.

Competitividade

Pensar na competitividade é muito importante para quem quer vender bem. Afinal, você precisa se diferenciar da concorrência por algum motivo. O preço nem sempre é a melhor maneira de chamar a atenção dos consumidores. Muitas vezes, o caráter de inovação de um produto traz mais resultados.

Concorrência

Saber quem são os seus concorrentes e como eles se posicionam no mercado é fundamental para decidir se você entrará no mesmo segmento deles. Esse tema é fundamental para quem quer vender online e, por isso, mais adiante falaremos sobre análise de concorrência.

Frequência de compra

Aqui é onde a mágica acontece! Vale destacar que nem todos os mercados têm produtos que tenham uma frequência de compra elevada. No entanto, se o mercado seu tiver esta possibilidade, aproveite.

12. Invista em consultoria para vendas online

De início, pode ser difícil fazer o seu e-commerce engrenar. As muitas dúvidas, especialmente estratégicas, pesam em alguns casos. Por isso, o melhor a se fazer é recorrer a quem sabe como conduzir a situação. Uma consultoria para e-commerce ajuda a colocar sua empresa nos eixos para que, a médio prazo, ela ande com as próprias pernas.

Uma consultoria vai ajudar com tudo que você precisar, entre os principais pontos:

A consultoria pode ser uma ótima decisão pelo fato de essas pessoas já terem em seus currículos cases de sucesso com outros clientes. Toda essa experiência será utilizada em prol do seu negócio!

Como vender pela internet utilizando marketplaces?

Marketplaces são um sucesso no e-commerce. O principal fator que conquista o público é a imensa seleção de produtos dos mais diferentes tipos que as empresas oferecem. É possível ser um marketplace de nicho ou generalista, caso de grandes varejistas do Brasil.

Independentemente da escolha, há um passo a passo fundamental que precisa ser seguido em nome do sucesso do negócio. A seguir, mostramos como vender por marketplaces. Confira!

Escolha o marketplace certo

Você prefere vender seus produtos em um marketplace especializado no seu mercado ou quer alcançar todas as pessoas possíveis por meio de um grande varejista? Essa é uma escolha que precisa ser observada do ponto de vista estratégico.

O ideal é ir em busca de um marketplace com boa visibilidade e, principalmente, que atraia pessoas do seu público-alvo. Assim, você terá a certeza de expor seus produtos no lugar certo. Isso ajuda a estabelecer sua marca no mercado e ainda potencializar vendas.

Faça o cadastro na plataforma

O cadastro na plataforma é uma das partes mais operacionais do trabalho. Cada plataforma de marketplace funciona de um jeito, mas o processo nunca é complicado. Nesse momento, você terá que formalizar sua loja como um fornecedor daquele site.

Certamente, a plataforma de marketplace vai solicitar alguns dados e informações sobre a sua loja. Ela também deve solicitar documentações, como seu número de CNPJ. Isso é importante para que apenas empresas seguras e idôneas sejam aceitas para vender ao público.

Escolha os produtos

Depois de a sua loja estar devidamente cadastrada na plataforma, agora é hora de definir quais produtos você subirá para o marketplace. Esse é um trabalho que precisa ser começado um pouco antes, lá na etapa de curadoria e definição do nicho de mercado.

O ideal é que você cadastre todos os produtos que vende. A exceção é que você seja uma loja generalista e esteja vendendo em um marketplace de nicho. Nesse caso, você cadastrará apenas os produtos que se encaixam na segmentação do site em questão.

Formalize anúncios atrativos

Com seu estoque já no ar, agora é importante criar os anúncios. São eles que vão chamar a atenção do consumidor e fazer com que eles se interessem pela compra. Para que isso aconteça, há dois parâmetros essenciais: qualidade na exposição e criatividade para descrevê-lo.

Lembre-se que, em marketplaces, a disputa de espaço acontece de maneira acirrada. Haverá muitos concorrentes vendendo o mesmo que você, então é necessário se superar. Quanto mais atrativo seu anúncio, com boas fotos, vídeos e descrições interessantes, maiores suas chances de ter bons números de vendas.

Ofereça preços competitivos

Uma das formas de bater concorrentes é com o preço. Lembre-se de que esse não é o único fator que importa para o consumidor, mas é um que ainda é relevante. Por isso, tente sempre praticar preços capazes de fazer você superar concorrentes diretos.

Um ponto de atenção é quando esse preço está muito abaixo, ou acima, do mercado. Produtos bem mais baratos podem trazer desconfiança sobre qualidade e originalidade, enquanto preços muito maiores do que o da concorrência afastarão o consumidor.

Desenvolva descrições atrativas

As descrições são peça-chave na busca por destaque em marketplaces. As pessoas querem saber o que determinado produto pode proporcionar a elas. Além disso, o consumidor também deseja entender como aquele item vai solucionar um problema.

Por isso, as descrições precisam, além de ser precisas, também usar muita criatividade. Isso prenderá a atenção do consumidor, que vai considerar esse fator extra na hora de escolher o produto. A descrição deve também conter palavras-chaves estratégicas para ranquear a página do produto no Google.

Invista em títulos otimizados para SEO

SEO é importante para que seus produtos estejam mais visíveis ao público. Mais especificamente, páginas optimizadas ficam em melhores posições nos resultados do Google. Isso é, atualmente, o nível mais alto de visibilidade que um negócio pode alcançar na web.

Otimizar títulos é utilizar neles palavras-chave que rankeiam para o que está sendo vendido. Assim, quando um usuário pesquisar por esse termo, automaticamente o seu produto aparecerá para ele. Isso aumenta o tráfego para a página e potencializa as vendas.

Como vender pela internet com loja virtual?

A loja virtual é o mais tradicional modelo que temos de e-commerce na internet. São lojas completas, que funcionam como um ambiente seguro e totalmente adequado à marca. Ainda que uma loja virtual gere mais esforços operacionais e de gestão, ela é a opção mais relevante e poderosa. A seguir, saiba como começar a vender por meio dessa opção!

Escolha a plataforma

Em uma busca rápida, certamente você encontrará diversas opções de plataforma de loja virtual disponíveis no mercado. Entre as muitas possibilidades, é importante escolher algo que caiba no seu bolso, mas que também ofereça recursos e possibilidades que você busca.

O custo-benefício precisa guiar a sua seleção. Isso significa que sua busca deve se pautar por uma plataforma que seja personalizável a nível de serviços. Assim, você contrata somente o que precisar e, consequentemente, paga um valor mais justo e econômico.

Defina o nome e faça o registro do endereço

O nome da sua loja virtual precisa seguir as dicas que já demos aqui: ser original, relacionado à sua estratégia de marca e que se comunique bem com o público. Dito isso, há uma particularidade em lojas virtuais: o registro de domínio do seu site!

Você precisará consultar a disponibilidade do nome escolhido para usar no seu site. Do contrário, precisará comprar o nome de alguém que tenha em uso (geralmente, sai caro!) ou fazer alguma mudança nele. Só assim poderá registrar o domínio.

Configure a aparência

A aparência de uma loja virtual tem grande importância na experiência do consumidor. Quando visitamos um site, esperamos que ele seja um ambiente agradável. Isso passa pelo layout utilizado e seu design, que deve ser sofisticado e moderno, de preferência.

Essa aparência precisa ser configurada também para favorecer a experiência de navegação. Por isso, observe a facilidade de ler textos e a disposição das informações. Nessa etapa, considere também a aplicação dos elementos da sua marca, como cores, formas e logo.

Cadastre os produtos utilizando técnicas de SEO

Ao cadastrar os produtos, você precisará pensar sempre em como otimizá-los na sua loja virtual. Seu foco deve ser utilizar técnicas que ajudem a impulsionar a página de produto e fazer ela aparecer nas primeiras posições do ranking do Google.

Por isso, ao cadastrar os itens, tenha atenção aos seguintes pontos:

Contrate as ferramentas certas para vender mais

Algumas ferramentas farão diferença no desempenho da sua loja virtual. Elas ajudam a tornar a rotina mais dinâmica, além de permitirem uma gestão mais estratégica. Dois dos principais motivos pelos quais elas são tão úteis é a automação e o monitoramento de resultados. Esses são dois pilares do mundo digital atualmente!

Hoje, há muitas soluções perfeitas para o e-commerce, entre as principais, você não pode deixar de ter:

Valorize a operação da loja virtual

A operação da loja virtual pode ser complexa em algum momento. Por isso, é essencial que você dedique esforços para garantir que tudo aconteça da melhor forma. Talvez você precise de ajuda de outra pessoa, mas o certo mesmo é que ferramentas adequadas serão essenciais nesse trabalho.

A operação vai englobar o cadastro de produtos, envio de mercadorias, disparo de e-mails, entre outras atividades mais recorrentes e mecânicas. Elas precisam acontecer em dias e horários certos, o que vai garantir que o negócio funcione adequadamente.

Como vender na internet utilizando as redes sociais?

Há muito tempo as redes sociais não são apenas plataformas de interação entre pessoas. Desde que as empresas descobriram que poderiam explorar esse segmento para gerar engajamento e interagir com o público, o uso desses ambientes foi ressignificado.

Hoje, redes sociais são plataformas de vendas, por isso, é fundamental saber como conduzir os processos nesses ambientes. Entenda melhor a seguir!

Crie uma conta nas redes sociais

Naturalmente, o primeiro passo é criar uma conta nas redes sociais. Isso é fundamental para que sua loja tenha um espaço nessas plataformas. A partir disso, é possível começar a interagir com seu público, e então começar a vender os seus produtos por lá.

Na hora de criar a conta, utilize o mesmo e-mail da sua loja virtual. Além disso, preencha as informações sobre o negócio com toda atenção. Esses dados são importantes na hora de segmentar sua página, além de ajudarem a deixá-la mais fácil de ser encontrada pelo público.

Valorize a divulgação dos seus produtos

A venda é o final de um processo muito mais amplo e complexo. Parte dele, sem dúvidas, é a divulgação do negócio e dos produtos que aquela marca tem. Só assim é possível criar no público a consciência de que sua marca existe e trabalha em determinado segmento.

Nesse trabalho de divulgação, esteja sempre em prol de valorizar o que você vende. Piste imagens dos produtos, fale mais sobre seus detalhes, produza reviews sobre eles e alimente suas redes sociais com esses conteúdos. Depois disso, vender ficará mais fácil.

Utilize o Facebook e Instagram shopping

As principais redes sociais para vendas atualmente são o Facebook e o Instagram. Elas, apesar de serem plataformas separadas, têm muitas funções integradas. Por exemplo, quando você cadastra seu catálogo de produtos no Facebook, pode usá-lo para vender no Instagram Shopping.

Dessa forma, siga todo o processo de cadastro e então, em seguida, comece a anunciar seus produtos usando as respectivas ferramentas que essas redes sociais oferecem. Assim, você pode alcançar seu público e gerar boas conversões.

Tenha um bom sistema de atendimento

O atendimento precisa ser um pilar do trabalho da sua empresa na internet. Sem ele, dificilmente você conseguirá manter consumidores satisfeitos e fidelizados. Por isso, utilize um atendimento de qualidade nas redes sociais. Você pode automatizá-lo no Facebook, por exemplo, com ajuda de uma ferramenta de chatbot para o Messenger.

Invista em anúncios

Tanto Facebook quanto Instagram, plataforma em que você pode vender produtos, oferecem ferramentas próprias de desenvolvimento de anúncios. Logo, você pode criar os melhores possíveis, sempre pensando em segmentação. Os anúncios são ótimas formas de gerar vendas abordando o consumidor, em vez de apenas atraí-los.

Como vender na internet como afiliado?

Por fim, o programa de afiliados é uma alternativa ótima para quem não deseja gerenciar negócios muito complexos e quer trabalhar com produtos de sucesso. Assim, você precisa manter um site, mas se preocupa muito mais com estratégias de atração. Logo, as vendas acontecem mais facilmente se as pessoas vão até o seu site.

Veja a seguir como vender como afiliado e conseguir grandes resultados!

Escolha os produtos certos para vender

A curadoria de produtos é um dos momentos mais decisivos de quem deseja trabalhar com afiliados. É que a vantagem desse modelo de comércio eletrônico é justamente poder selecionar aqueles itens com maior potencial. Por isso, faça uma pesquisa de mercado e veja quais os produtos mais qualificados para levar à sua audiência.

Faça o cadastro nas melhores plataformas

Se você quer anunciar seus produtos em plataformas de afiliados, parte do processo é estudar quais delas têm o melhor potencial de venda. Isso faz toda diferença para que os itens cheguem a quem deve visualizá-los, ou seja, público qualificado. Aos escolher boas plataformas, você tem a certeza de que conseguirá gerar cada vez mais vendas.

Invista em tráfego pago e orgânico

Tráfego é essencial para o sucesso de qualquer negócio na internet. Isso significa, literalmente, que pessoas estão chegando até o seu site. Por isso, invista esforçøs nos dois tipos de tráfego:

Faça uma boa divulgação dos produtos

Assim como em qualquer outro formato de loja online, a divulgação é essencial também no programa de afiliados. Por isso, invista em trabalho nas redes sociais, garantindo que seu público veja o que você tem para oferecer a nível de produtos. Trabalhe também com campanhas no Ads, potencializando o alcance das suas ações de divulgação.

Saber como vender na internet é fundamental para iniciantes, afinal, todo mundo precisa de uma base antes de investir em um novo negócio. Independentemente da sua escolha de modalidade de e-commerce, as dicas deste conteúdo são completas e devem ajudar você a conquistar incríveis resultados!

Potencializar as vendas que você fará nesse seu novo negócio essencial. Aproveite e confira 20 ferramentas do Google que ajudarão nisso!

Sair da versão mobile