SEO para e-commerce: 7 melhores estratégias para atrair clientes

SEO para e-commerce: 7 melhores estratégias para atrair clientes

262
0

Imagine poder divulgar sua loja virtual e atrair ainda mais visitantes qualificados sem precisar investir em mídia paga. De maneira simples, isso é possível graças à estratégia de SEO.

Com ela, seu e-commerce poderá atrair tráfego qualificado para a sua loja, pois os usuários estão procurando efetivamente nos mecanismos de busca — Google, Bing, entre outros — por conteúdo relevante.

E, por acaso, você já parou por alguns instantes e pensou sobre quantas pessoas estão buscando uma saída para um problema e o seu e-commerce pode ser a solução nesse exato momento? Principalmente no caso de lojas virtuais, o SEO influenciará significativamente nas vendas.

Quanto mais atrair uma audiência realmente interessada no que você oferece, maiores são as chances de a conversão acontecer!

Sabemos que você está procurando dicas para aplicar em seu site. Por isso, preparamos este post com tudo sobre estratégia de SEO para e-commerce. Vamos lá?

O que é SEO?

A sigla SEO é Search Engine Optimization, ou otimização para mecanismos de pesquisa, em português.

No início, as estratégias de SEO tinham como foco principal os robôs dos mecanismos de busca.

E na época, os robôs não eram tão desenvolvidos, e práticas simples, como o black hat, os enganavam facilmente. Aos poucos, os fatores de ranqueamento dos buscadores foram forçados a evoluir e, com isso, passaram a reconhecer essas más estratégias.

Basicamente, essa evolução tinha o intuito de oferecer sempre o melhor resultado para o que era buscado.

Logo, as atualizações do algoritmo visavam valorizar os sites que ofereciam uma boa experiência para o usuário — bom conteúdo e boa navegabilidade, por exemplo —, além de penalizar aqueles que tentavam enganar os buscadores.

Por isso, esse deve ser o foco principal das empresas que queiram trabalhar o SEO dos seus sites: concentrar-se no usuário, e não somente nos buscadores.

E o que isso significa na prática? Criar e oferecer conteúdo de qualidade, um layout bonito e funcional, entre algumas outras ações que você verá ao longo do post.

Focar nesses detalhes mostrará tanto aos buscadores quanto para os usuários que sua empresa está engajada em oferecer a melhor experiência possível. Com isso, suas chances de aparecer no Google, por exemplo, ficam ainda maiores.

Como funciona o SEO para e-commerce?

Provavelmente você deve ter ouvido falar sobre SEO para blogs, certo? É normal surgirem dúvidas sobre se essas técnicas são as mesmas para o e-commerce. A resposta é simples: os objetivos são diferentes, logo, alguns detalhes também.

Para os blogs, os procedimentos de otimização são diferentes, já que a busca por palavras-chave está diretamente relacionada com o tema do conteúdo que será desenvolvido.

O e-commerce tem como o seu principal objetivo aumentar as vendas e, portanto, as estratégias são voltadas na atração de consumidores que estão no momento de decisão, onde estão decididos em adquirir algo.

É claro que ambas as estratégias — blog e e-commerce — podem e devem estar alinhadas em um objetivo maior: se tornar autoridade no nicho de atuação.

Veja um exemplo de como esses dois canais podem ser complemento de uma estratégia de marketing digital para e-commerce.

Suponha que você tenha uma loja virtual sobre esportes, e o blog servirá como meio para educar sua audiência sobre esse tema. Uma palavra-chave que você possa usar tanto no blog quanto no e-commerce é: tênis para corrida na terra.

Pronto! Agora, você pode trabalhar essa palavra-chave tanto em seu blog quanto na página do produto. A diferença é que existem algumas particularidades entre os dois canais.

Além de mostrar informações relevantes para os praticantes desse tipo de atividade, a estratégia mostrará que também possui opções de produtos que o ajudarão a serem mais efetivos em seus exercícios.

Como visto, algumas técnicas podem ser usadas tanto nos sites quanto nos blogs. Mas, esses métodos possuem suas particularidades e são usados como complementos.

Qual a importância do SEO para e-commerce?

O marketing de busca é um dos principais recursos do marketing digital. Por isso, está diretamente ligado às necessidades de uma loja virtual.

É inimaginável, portanto, ter sucesso em um e-commerce sem ter um bom posicionamento no Google.

Quando a origem do acesso à loja virtual parte da busca orgânica — primeiros resultados nos buscadores — significa que seu trabalho de SEO em atração de usuários está sendo bem-feito. O resultado é no aumento das vendas, visto que o tráfego é mais qualificado e está preparado para realizar alguma ação específica, como comprar um produto.

Portanto, a estratégia de SEO ganha um importante espaço no planejamento das empresas. A estruturação que as técnicas fornecem aos e-commerces deve ser tratada com grande prioridade, já que afeta diretamente o resultado em vendas.

Mas, é importante ressaltar que ter um bom posicionamento nas primeiras páginas dos mecanismos de busca é algo que demanda tempo, trabalho e paciência. Não será do dia pra noite que sua loja se destacará no Google.

Continue lendo para entender ainda mais sobre os benefícios do SEO em sua loja virtual.

Quais são os benefícios do SEO para e-commerce?

Agora que entendemos o que é o SEO e qual a importância de adotar essas técnicas de otimização em seu e-commerce, é hora de falarmos sobre os seus principais benefícios.

Neste post, separamos as principais vantagens, confira quais são a seguir.

Gera mais visitas orgânicas

Ao se colocar em prática todas as técnicas de SEO (falaremos mais em breve), o objetivo principal será o de ser relevante para o usuário e, consequentemente, conquistar as primeiras posições das buscas orgânicas.

Como dito anteriormente: não será do dia pra noite que seu site aparecerá nos primeiros resultados das pesquisas. O SEO deve ser parte fundamental da sua estratégia de marketing para e-commerce.

O tempo médio para que se comece a gerar visitas orgânicas para o seu site dependerá dos seus esforços. Mas, é possível verificar um significativo impacto financeiro da sua empresa, já que aplicar as técnicas do SEO atuam diretamente no volume de venda.

Quanto mais usuários vierem até sua loja de maneira orgânica, maior será a qualificação dessas pessoas. Com isso, o seu custo de aquisição de clientes (CAC) terá um retorno maior sobre o que foi investido.

De maneira geral, visitas orgânicas têm grandes impactos em seu negócio, já que as possibilidades de vendas são maiores.

Aumenta a credibilidade da sua empresa no mercado

Existe uma sensação entre os usuários de que, quanto mais bem posicionado um site está, mais relevante ele é. Em suma, as primeiras posições podem acabar por determinar que a sua empresa possui grande credibilidade no mercado.

Se pensarmos de maneira lógica, essa sensação acaba sendo concreta, visto que os mecanismos analisam o quão essencial a empresa é para os usuários e o quanto otimizado ele está.

Isso demonstra que os sites estão colocando a experiência do usuário em primeiro lugar e, depois disso, a otimização para os robôs desses mecanismos. Além disso, a navegabilidade, conteúdos significativos, boas descrições e um rápido carregamento são pontos cruciais que as empresas buscam oferecer.

É óbvio que não são só esses pontos que influenciam no posicionamento do Google. Segundo especialistas, existem cerca de 200 fatores que influenciam no ranqueamento de uma página. Com isso, já se pode imaginar o tamanho do desafio e como é gratificante visualizar seu site nos primeiros resultados.

Portanto, se seu trabalho com as estratégias de SEO está sendo bem-feito e o público está reconhecendo isso, provavelmente, os mecanismos recompensarão seu site.

Como otimizar o e-commerce para os mecanismos de busca?

Se você chegou até aqui, deve ter percebido o quão importante é trabalhar as técnicas do SEO em sua loja virtual.

Além disso, mostraremos como funciona a otimização para os mecanismos de busca na prática. Continue lendo e conheça 7 dicas.

1.Escolha as palavras-chave com cuidado

A pesquisa das melhores palavras-chave é o primeiro passo para um trabalho de SEO. Com isso, você precisa saber exatamente o que a sua audiência está procurando quando necessitam de mais informações sobre os seus produtos, para, então, entender quais termos aprimorar.

Para isso, existem algumas ferramentas que o ajudarão a encontrar esses termos, como:

Após realizar uma pesquisa profunda sobre o que exatamente o que a sua audiência está buscando, você terá a oportunidade de planejar melhor o conteúdo de cada página de produto.

Com isso, é preciso entender em qual estágio o consumidor está no funil de vendas. Isso ajudará a procurar o termo mais adequado para o seu conteúdo.

Dependendo de qual etapa da jornada de compra o consumidor estiver, você se depara com dois tipos de palavras-chave: head tail e long tail.

Palavras head tail podem ser consideradas como termos gerais, como: “e-commerce”. Normalmente são usadas em conteúdos iniciais em que o usuário ainda está entendendo qual é a sua necessidade.

Já o long tail é um termo mais específico como: “como abrir um e-commerce de sucesso”. Esse tipo de palavra-chave é mais utilizado em conteúdos mais avançados.

Normalmente, as head tail conseguem atrair mais usuários, mas conseguem poucas ações, pois o cliente ainda não está pronto para adquirir seu produto.

As long tail atraem menos visitantes, mas têm mais possibilidades de conversão, pelo motivo de o cliente ter uma propensão maior para comprar.

2. Crie títulos otimizados e atrativos

A tag de título (TITLE) é um dos fatores que mais influenciam no aprimoramento do SEO OnPage — otimização dentro do próprio site. Isso porque cada página deveria ter um título único e que seja descritivo.

Busque sempre criar um título que seja exclusivo para uma determinada página. Além de ser claro e objetivo na otimização desse ponto.

Por exemplo, se você trabalha com artigos esportivos na sua loja virtual e quer vender um tênis de corrida na terra, o seu produto deve estar no título da URL para que os mecanismos de busca dêem preferência à sua página na hora de ranquear.

Palavras-chave long tail podem ser utilizadas para dar títulos a suas páginas, pois acabam sendo específicas.

3. Invista na produção de conteúdo

O conteúdo vem sendo um dos ativos mais importantes para o marketing de conteúdo, que utiliza o SEO como um dos seus pilares.

Mas, para que se possa utilizar essa poderosa ferramenta, é preciso criar um blog. Isso ajudará a organizar todos os materiais que sua empresa criar e fornecer aos consumidores.

As palavras-chave também serão frequentemente usadas nessa etapa de criação de conteúdos educativos. Por isso, prepare um tempo especial para escolher os melhores termos que serão utilizados em seus materiais.

Mas, lembre-se: não use as palavras-chave de modo excessivo, busque distribuí-las ao longo de todo o texto. Se essa dica for deixada de lado, poderá ter sérias punições. Os buscadores entenderão que seu conteúdo não possui qualidade e está tentando enganar seus robôs. A punição pode ser a queda no ranqueamento.

Se está em dúvida sobre quantas vezes pode usar as palavras-chave dentro do seu conteúdo, aqui vão algumas perguntas que você deve fazer.

  • Quantas vezes cito a palavra-chave no conteúdo?
  • Os feedbacks dos usuários foram positivos?
  • Utilizo variações?
  • Utilizo sinônimos?

Se todas as respostas forem positivas, a página está pronta para ser divulgada.

Escaneabilidade do conteúdo

Depois de ter criado o conteúdo e utilizado a palavra-chave da maneira correta dentro do texto, é preciso otimizá-la para oferecer uma melhor experiência para os consumidores.

Ao contrário da imaginação popular, o ambiente digital não é como um livro. Com isso, é preciso utilizar blocos de texto menores do que é encontrado em livros físicos. Textos muito longos e detalhados podem afastar os usuários, já que ficará cansativo.

Além disso, na internet, as pessoas tendem a ser multitarefas, vista a enorme oferta de conteúdos que se podem acessar. Então, se um texto não for interessante desde o início, é provável que ele perca relevância.

Portanto, é comum que as pessoas utilizem o processo de filtragem e escanceando dos conteúdos, em busca dos melhores.

Aqui vão algumas dicas de elementos que podem ser utilizados para melhorar a escaneabilidade do seu conteúdo:

  • parágrafos curtos de até 4 linhas;
  • headings tags (ou cabeçalhos) H1 para títulos, H2, H3 e assim por diante para os subtítulos;
  • bullet points como esse que você está vendo agora;
  • negrito para termos importantes;
  • itálico;
  • imagens em alta resolução;
  • vídeos de marketing.

Não esqueça que os gatilhos mentais são tão utilizados nesse tipo de material porque tendem a dar profundidade ao seu conteúdo. Além de aproximar os usuários com o seu texto e, consequentemente, com sua marca.

4. Aposte no link building

Possuir uma estratégia de link building é fundamental para qualquer e-commerce, uma vez que ele é um dos fatores fundamentais para um bom ranqueamento.

O SEO é uma as principais ferramentas utilizadas para o aumento da conversão nas lojas virtuais. E não só na plataforma de e-commerce, mas também nos demais canais utilizados para realizar a divulgação.

É impossível abordarmos o tema link building sem citar os famosos backlinks. Se você está perdido, fique tranquilo. Explicaremos o que é.

Basicamente, os backlinks são outras fontes que apontam para o seu site por meio da divulgação de terceiros, como em conteúdos de blogs, vídeos, entre outros.

Agora que você já sabe o que é um backlink, precisamos falar sobre os dois tipos existentes:

Links internos

São links que tem origem de dentro do seu próprio site, ou seja, que foram utilizadas dentro das próprias páginas para explicar um produto em outra página. São utilizadas como complemento da informação.

Links externos

São links oriundos de outros canais — redes sociais, blogs, entre outros. Esses são mais difíceis de conseguir e, quando há essa indicação, significa que seu e-commerce é referência em seu mercado e foi utilizado por outros para explicar algum conceito.

5. Acompanhe a performance do e-commerce

Por volta do ano de 2010, o Google anunciou que a velocidade de carregamento seria incorporada ao seu algoritmo de ranqueamento. A equipe de pesquisa da gigante dos buscadores visualizou que um tempo maior de carregamento prejudica a experiência do usuário.

Uma ferramenta interessante que pode ser usada a seu favor é o PageSpeed Insights — fornecido pelo próprio Google — que analisa seu site e fornece dicas de como melhorá-lo.

Torne suas imagens rastreáveis e mais leves

A loja virtual é uma espécie de site que costuma utilizar muitas imagens, isso por causa de serem fundamentais para descrever e vender suas mercadorias.

A questão é que muitos profissionais responsáveis pela introdução das imagens não entendem que elas também necessitam ser aprimoradas. É preciso levar em consideração que os buscadores não conseguem ver as imagens e, por isso, precisam lê-las. E como isso é feito? Por meio dos textos que são usados para descreverem as imagens.

De um modo mais simples, é utilizado as tages “alt” e “src” — que servem para que os robôs possam ler e compreender do que se trata a imagem.

Além disso, é importante reforçar que o SEO também deve ser usado nas ilustrações, ou seja, a palavra-chave também deve constar na descrição.

6. Faça otimização para os dispositivos móveis

Segundo a Global Web Index, cerca de 87% dos usuários do ambiente digital utilizam um dispositivo móvel. O uso de smartphones já é algo que está presente no dia a dia das pessoas. Por isso, é preciso otimizar toda a experiência de uso desse tipo de tela.

O uso está sendo tão impactante que se criou a categoria m-commerce — ou mobile commerce. Como o nome já diz, é um conteúdo aprimorado para os dispositivos móveis.

Para se ver o tamanho da importância dessa otimização é que o próprio Google entende como prioridadeos sites como esse aprimoramento, ganhando a tag de mobile friendly.

Por isso, busque por plataformas que ofereçam a opção tornar o seu e-commerce responsivo, ou seja, adaptado aos mais variados tamanhos de telas disponíveis.

Essa atualização que o Google fez para os dispositivos móveis ficou popularmente conhecida como Mobilegeddon — que é uma referência ao filme Armageddon —, por causa do grande impacto na experiência de uso.

Em suma, essa otimização começou a priorizar os e-commerces, que são amigáveis com os mecanismos de busca nas pesquisas feitas em dispositivos móveis, sem achar que o site era adaptado ou não em dispositivos móveis.

No ano de 2016 o Google oficializou a atualização mobile friendly. Com isso, houve um impacto nos rankings. Segundo os analistas do Google, o principal motivo era que a maioria dos sites já estavam adequados.

7. Cuide da segurança do site

Após de alertar e incentivar muito os desenvolvedores a investirem em segurança, em 2014, o Google anunciou que o HTTPS era um dos fatores de ranqueamento, uma maneira de estimular a deixar o ambiente digital mais seguro.

Esse incentivo se deve ao fato de que os sites que possuem certificado SSL possam migrar para o HTTPS e utilizar informações criptografadas. Isso impede que as informações sejam identificadas e interceptadas.

Mas qual é o impacto real de utilizar o HTTPS em meu e-commerce? Essa é uma dúvida muito comum. Basicamente todo e qualquer dado enviado será autenticado, criptografado e não pode, em hipótese alguma, ser modificado durante a transmissão.

Isso é tão fundamental que o navegador Google Chrome emite um alerta de “site não seguro”, pois, as páginas não possuem o certificado HTTPS. Em casos especiais, esse aviso já é mostrado nos resultados de pesquisas do Google.

É essencial ressaltar que, caso você mude seu e-commerce para HTTPS, o Google e todos os buscadores vão entender que seu site é novo. Mas tenha cuidado! Essa migração fará com que o seu conteúdo duplique.

Para evitar isso, é necessário desviar todas as URLs antigas em HTTP para as novas em HTTPS.

Confira algumas dicas de como realizar a migração de maneira segura:

  • conseguir um certificado SSL;
  • autenticar suporte HTTPS de recursos externos;
  • planejar e preparar a migração de protocolo;
  • habilitar protocolo HTTPS e instalar o certificado SSL;
  • atualizar recursos e links internos para HTTPS;
  • aprimorar recursos externos para HTTPS;
  • acrescentar a versão HTTPS no Google Search Console;
  • habilitar suporte HTTP/2;
  • habilitar HSTS.

Depois de conhecer as 7 principais estratégias de SEO, seu e-commerce provavelmente está preparado para ranquear bem. Mas é importante relembrar que o processo demanda muito trabalho — produção de bons conteúdos, tempo, paciência e uma equipe preparada para realizar uma boa execução.

Você ainda tem alguma dúvida ou quer saber mais sobre estratégia de SEO? Então, entre em contato conosco para ter uma assessoria completa!

DEIXE UMA RESPOSTA