(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

O que considerar para o planejamento estratégico de empresas virtuais

Por Matheus Luvier | 29/07/2020
501
|
0
O que considerar para o planejamento estratégico de empresas virtuais

Muitos são os pontos que levam um empreendedor a decidir pela criação de um negócio virtual ao invés de uma empresa nos moldes tradicionais. A eliminação de custos, por exemplo, é algo que tem sido considerado nestas situações. O fato do funcionamento ser online, ainda que entregue produtos físicos em uma ocasião posterior, faz com que os gastos sejam menores em se tratando de algumas etapas de seu funcionamento.

Quem opta por abrir um negócio estabelecido virtualmente não deve deixar para trás as preocupações com estratégias para sempre surpreender o consumidor. Se a apresentação é virtual e chega mais rápido ao conhecimento do público-alvo, a interação ainda demanda diferenciais a fim de que as pessoas prefiram uma companhia em detrimento de outras existentes no mesmo segmento.

O planejamento estratégico, por exemplo, costuma agregar uma gama de qualidades às empresas virtuais, assim como nas companhias convencionais. Em razão do aquecimento observado em negócios online, consequentemente gera-se uma maior disputa entre os integrantes dos setores. Isso pode ser visto até mesmo através da própria internet, já que a quantidade de anúncios de serviços ou produtos comercializados virtualmente têm aumentado nos últimos anos. Com toda essa movimentação, planejar de forma estratégica tornou-se mais do que necessário.

Motivos para se investir neste tipo de planejamento:

Quando não se dedica a planejar, a primeira reação em uma ocasião adversa pode ser a improvisação por uma saída eficaz. Em dados momentos isso pode até mesmo surtir o efeito esperado, mas não costuma representar algo que favoreça a saúde dos negócios, sobretudo quando estes partem de empresas virtuais.

Quando mais atento à elaboração de um planejamento, as oportunidades poderão ser melhor identificadas e aproveitadas. Não é possível prever tudo o que irá ocorrer, mas pode-se considerar formas de agir antes que algumas situações venham a acontecer, fazendo com que o negócio não fique prejudicado em face de dificuldades hipotéticas.

Um quesito que deve ser visto com grande cuidado refere-se à situação em que um determinado segmento tem apresentado. O empreendedor precisa ter uma base em relação ao que irá encontrar, seja em relação à concorrência ou demandas ligadas a investimentos.

Quando se trata especificamente de uma empresa virtual, há ainda a necessidade de percepção do que deve ser alterado em se tratando de tecnologia. A inovações tecnológicas são muitas e estas acontecem de forma veloz. É preciso que exista uma constante absorção dessas novidades por parte dos empreendedores dessa ordem.

Passos fundamentais para este processo:

Não é necessário que o planejamento estratégico seja algo complicado de se realizar. Caso a empresa de natureza digital seja de pequeno porte, por exemplo, basta que alguns pontos essenciais sejam levados em consideração. Vale lembrar que o empreendedor deverá documentar de alguma forma tudo o que planeja realizar. Isso será relevante para que futuramente possa realizar consultas quanto ao que foi elencado.

  • Estabelecimento de metas para o negócio:

Estabelecer os objetivos a se alcançar constitui uma das principais fases de qualquer empreendimento. É por meio dessa ação que o empreendedor digital conseguirá traçar metas em prazos curtos, médios e até mesmo longos para o seu negócio. É comum que algumas empresas não consigam se desenvolver por conta desse tipo de procedimento.

No momento em que abre um determinado empreendimento, a emoção por atuar em um negócio próprio pode mascarar alguns riscos do mercado. É preciso, portanto, saber onde se quer chegar com o funcionamento da empresa. Caso tenha disponibilidade para um planejamento mais detalhado, vale pontuar o tempo estimado para cada realização pretendida.

A importância da documentação dos pontos definidos já se apresenta como fundamental nesta etapa inicial do planejamento estratégico. É necessário que o empresário do ramo virtual consiga relembrar o que traçou em termos de metas para o seu próprio negócio, já que com o passar do tempo e a rotina corrida alguns pontos podem ser esquecidos.

  • Definição do público-alvo:

Esta é uma etapa que estabelecerá uma espécie de funil para se definir o perfil dos potenciais clientes. Cada produto ou serviço oferecido conta com um tipo de público específico. Mesmo que a comercialização se estenda sobre um grande número de pessoas, é importante conhecer quais são os indivíduos com maiores chances de fechar negócio. Indica-se que seja realizado um levantamento, ainda que simplificado, deste tipo de informação.

A adoção de uma segmentação do público-alvo é positiva principalmente por duas razões. A primeira delas está atrelada à questão da elaboração de ações publicitárias. Conhecendo-se mais a fundo quem poderá ser atendido por uma dada empresa virtual, o empreendedor conseguirá criar promoções mais rentáveis e que satisfaçam seus consumidores. A segunda é uma espécie de desdobramento e refere-se à comunicação, que torna-se, com isso, mais fácil de ser aprimorada.

O marketing digital, por sua vez, aborda o público-alvo de maneira diferenciada, mas também bastante eficiente para negócios dessa natureza. Com base nos critérios vistos nesta prática, o potencial cliente é visto como uma espécie de personificação, ou “persona”. Após a criação dessa representação são tomadas medidas para que consumidores que se assemelhem a este ideal consigam ter mais contato com o que se vende, por exemplo.

  • Adoção de um plano de ação:

Após a realização de levantamentos acerca das características do público-alvo, bem como do estabelecimento das metas, é chegado o momento de se criar um plano de ação para a empresa. Através deste mecanismo, as atividades do negócio deverão ser melhor norteadas. Para que sua aplicação seja de fato efetiva, é preciso que todos da equipe atuem de maneira coesa em relação a este plano.

A formulação do plano de ação é algo tão fundamental quanto sua posterior aplicação. Nesta etapa do plano cada colaborador de empresa poderá mencionar o que considera relevante em termos de tomadas de decisão que possam alavancar os serviços da companhia. Isso demonstra o quão importante torna-se a integração de todos os profissionais em atuação em uma dada corporação.

O alinhamento de todos que participam do negócio é alcançado em face da documentação do plano de ação. É importante que esta etapa do planejamento estratégico conte com detalhes relativos à responsabilidade que cada profissional possui no sentido de cumprimento do que for traçado e isso inclui a ação de gestores e demais colaboradores. Além disso, torna-se mais fácil a posterior avaliação com o objetivo de se verificar se as medidas foram tomadas conforme o que se esperava.

  • Emprego de indicadores de performance:

As empresas virtuais podem utilizar alguns mecanismos que demonstram movimentações de várias ordens. Mais conhecidos como KPI’s, tratando-se de uma sigla para a expressão Key Performance Indicators, estes indicadores dão à noção ao empreendedor em relação ao real andamento de seu negócio.

Este tipo de ferramenta se volta à mensuração de resultados. Indica-se, contudo, que o empreendedor decida, com antecipação, que pontos pretende acompanhar. Essa definição se mostra ainda mais importante para companhias de porte pequeno,já que as empresas de grande porte precisam observar muitos vieses, ao passo que os pequenos empreendimentos podem contar com um foco mais restrito sobre suas atividades.

Há três pontos principais que devem orientar os negócios virtuais. É evidente que as vendas ou transações envolvendo serviços são os pilares da análise destes marcadores, já que indicam se existe uma movimentação satisfatória do que a companhia tem a oferecer. Um outro ponto de análise refere-se aos custos sobre cada aquisição dos consumidores. O último fator abordado engloba o tráfego de potenciais consumidores pelo site da empresa.

  • Criação de um cronograma:

O cronograma é um tipo de documento utilizado no gerenciamento de empresas que também deve ter o seu emprego em se tratando de negócios virtuais. Somente torna-se possível executar o planejamento estratégico de forma bem feita caso todas as fases sejam elencadas devidamente por meio deste protocolo. Ele deverá contar com indicação de prazos, dentre outra informações.

É imprescindível que o empreendedor dê a devida atenção ao cronograma, passando esta valorização como algo que faça parte da cultura de sua empresa. Assim sendo, os colaboradores deverão perceber tal documento como algo a se cumprir.

Não é incomum que o planejamento precise passar por modificações. Isso é perfeitamente normal, já que os empreendimentos, bem como os segmentos, apresentam caráter dinâmico. Além disso, o próprio cronograma deverá contar com mudanças em relação a prazos. O mais importante é que todos os profissionais de um negócio online tenham um rumo certo a seguir, ainda que as alterações sejam uma realidade no cotidiano deste tipo de empresa.

Revisão dos planos traçados:

Fatores como entrada e saída de colaboradores, troca de fornecedores e mudanças no panorama econômico do país podem requerer maior flexibilidade por parte dos empresários. Se as tomadas de decisão precisam ser pautadas em ocorrências que partem de um ambiente de negócios instável, as estratégias também precisam ser outras.

Para se contornar situações dessa natureza, mais do que partir para a captação de investimentos, é importante que tenha início uma postura de constante adaptação. Somente os empreendedores que conseguem dar esse aspecto à gestão de sua empresa terão êxito de forma mais prolongada, qualquer que seja o foco de sua companhia.

Matheus Luvier

Posts relacionados