Quanto custa montar uma loja virtual? Passo-a-passo para abrir + custos

Quanto custa montar uma loja virtual? Passo-a-passo para abrir + custos

3915
0

Com a economia desacelerada, cortes de gastos e fábricas realizando demissões em massa, passamos por um momento onde é necessário nos reinventar. Em períodos de crise uma alternativa para enfrentá-la pode ser substituir sua loja física por uma loja virtual, ou então, esse pode ser o momento de você começar seu próprio negócio.

Pessoas no geral acham que lojas virtuais são baratas e com elas obtém-se lucro fácil. É necessário trabalhar tão duro como em uma loja física, e os gastos embora mais baratos do que uma loja tradicional também existem. Neste artigo você vai  saber quanto custa para montar uma loja virtual? Você vai encontrar também o guia completo com custos para aprender do zero como montar a sua loja.

Antes de falar de custos, aprenda como abrir uma empresa

Quero montar uma loja e o que vender deve estar alinhado a um orçamento, assim, Loja online ou física, não importa, você vai precisar abrir uma empresa, e isso gera custos. Consultamos o pessoal da Syhus, inteligência financeira, para ter os valores aproximados de cada custo. Você vai precisar de um contator, para ter uma constituição simples, os custos podem variar entre R$500 e R$1500, por exemplo na Syshus, esse serviço custa R$750. Para efetivamente abrir uma empresa, você terá gastos com Junta e Estado, essa despesa varia de um estado para outro, mas custa em média R$450.

Após a abertura da empresa, é opcional escolher continuar trabalhando com um escritório de contabilidade ou contratar um contador como funcionário da sua empresa. Em sua maioria as empresas escolhem contratar um escritório. Como você pode observar até aqui, você teve os mesmos gastos que teria com uma loja física. A Syhus possui um e-book gratuito que pode te ajudar, O Guia Completo para Abertura de Empresa, clique aqui para fazer o download.

Como montar uma loja virtual: passo a passo

Agora que a burocracia já foi toda resolvida, vamos ao mundo virtual. Faça uma lista com todas as coisas interessantes que você já viu em outras lojas, pesquise o que o mercado tem a dizer sobre este assunto, conheça melhor o mercado onde você está entrando,  para poder fazer boas escolhas na hora de ter sua própria loja. Agora que você já anotou tudo que sua loja precisa ter, veja o passo a passo para montar uma loja virtual.

PASSO 1: REGISTRANDO O DOMÍNIO

Depois de abrir sua empresa você precisa se registrar na internet, ou seja, criar o seu domínio, onde você será encontrado na internet. Por exemplo, lojadamariazinha.com.br. Para ter um domínio, você paga R$30 por ano para domínios .com.br e R$45 por ano para domínios .com, este é um dos custos mais baixos de uma loja virtual. Imagine que uma loja física não pagaria menos de R$500 de aluguel, por mês. Ou seja, você saiu no lucro.

PASSO 2: ESCOLHENDO A PLATAFORMA 

Nós oferecemos 2 plataformas Loja Plus e Loja Premium, cada uma delas possui 4 planos diferentes para você escolher qual é o mais adequado para o seu negócio. A Loja Plus tem planos a partir de R$149 mensais, sem comissões por venda, e suporta até 2.500 produtos e 60 mil pageviews. A Loja Premium tem planos a partir de R$319 mensais, sem comissões por venda, e suporta até 50.000 produtos e 2 milhões pageviews.

As duas plataformas possuem layouts gratuitos inclusos no preço informado, mas você também pode ter um layout personalizado, oferecemos 3 opções de layouts personalizados o Design 1 que custa R$3.000 e pode ser parcelado em 3 vezes, o Design 2 que custa R$5.000 e pode ser parcelado em 4 vezes e o Design 3 que custa R$6.000 e pode ser parcelado em 5 vezes. Aqui neste link você pode observar as especificações de cada um.

PASSO 3: APARECENDO NAS BUSCAS

Agora que você já registrou o domínio, escolheu sua plataforma e o seu layout, é a hora de se tornar conhecido. Você não tem uma loja física, as pessoas não estão passeando na rua, e de repente se deparam com a sua vitrine. Então você precisa aparecer, e se fazer ser visto. Para estar bem colocado nas buscas no google, você não precisa gastar dinheiro com isso, basta investir em SEO nós temos uma playlist com 5 vídeos para te ajudar a otimizar sua loja.

Outra dica para se tornar conhecido na internet, é começar investindo entre R$20 e R$50 por dia, e ir acompanhando os resultados. Você pode investir em facebook ads, google adwords, comparadores de preço e publipost, aquele negócio de pagar para blogueiros divulgarem sua marca. 

O importante aqui é você ir olhando de perto os resultados para ver onde vale a pena investir seu dinheiro e se vale a pena continuar investindo. Reforçando, aproveite o que você pode fazer de graça, leia neste de texto mais algumas dicas de SEO.

PASSO 4: MONTANDO ESCRITÓRIO

Você vai precisar de no mínimo um computador para gerenciar sua loja virtual, grande parte dos e-lojistas, começam trabalhando em casa, e usando sua residência para armazenar os produtos. Aqui você vai gastar com 1 computador, internet, com uma boa conexão, espaço para o estoque. Se você disponibilizar um telefone para contato, você também deve considerar os gastos com manutenção da linha.

Inicialmente, não é necessário a contratação de funcionários, você pode ser o faz tudo da sua loja. Atende os clientes por e-mail, embala os produtos para envio, organiza sua sala, digo organiza o estoque, paga as contas e faz as compras da empresa. Veja pelo lado bom, durante os primeiros meses de vida da sua loja virtual, você será sempre o funcionário do mês.

PASSO 5: COMPRANDO PRODUTOS

O valor que você vai gastar com o estoque inicial da sua loja virtual, varia muito dependendo do tipo de produtos que você vai vender. Se você vende produtos de baixo custo, consegue ter um estoque legal com menos de R$3.000, agora se cada produto da sua loja tiver um custo maior que R$1.500 você vai precisar desembolsar um pouco mais para ter um estoque inicial.

Nós temos um vídeo que dá algumas dicas para você escolher como comprar seus produtos, funciona mais ou menos assim: Se você tiver 1 unidade de 100 produtos, pois com cada unidade você vai perder o mesmo tempo, e quando essa uma unidade acabar você teve um esforço enorme, para uma venda em 5 minutos.

Depois que o produto foi vendido, esse esforço precisa ser esquecido, para começar tudo de novo. Agora se você tiver 100 unidades de 1 produto, cada venda será uma vitória, porque você vai saber que todo seu esforço para vender aquele produto deu certo, e vai continuar.

PASSO 6: ADMINISTRANDO SEU DINHEIRO

Como você pode perceber quanto custa uma loja virtual é algo muito relativo, tudo vai depender das escolhas que você fizer, e dos produtos que você resolver vender. Agora uma coisa é certa, você vai começar investindo dinheiro, e vai levar um certo tempo para esse dinheiro voltar para o seu bolso, nesse meio tempo, contas de internet, luz, telefone, fornecedores, vão chegar até você e talvez as suas vendas ainda não estejam pagando as contas, então você vai precisar de um capital de giro.

Um dinheiro para você ter de reserva e ir investindo na empresa, enquanto o dinheiro das vendas ainda não está sendo suficiente. É muito complicado definir qual seria o valor ideal para um capital de giro, isso varia de acordo com sua estrutura, sala de casa X sala alugada, número de funcionários, você X seu clone, infraestrutura, 1 computador X 5 computadores. 

Depende também de quanto você vai gastar mensalmente com uma plataforma e com anúncios, custos fixos altos X custos fixos baixos. Sugerimos que você faça uma análise de gastos, mas seu capital de giro pode variar entre R$3.000 e R$30.000.

PASSO 7: REVISANDO OS DETALHES

Antes de colocar sua loja no ar certifique-se de que sua loja virtual está apta para receber pedidos, faça um pedido teste, veja como está a navegação das páginas, sua rotina de separação e embalagem de produtos. Falando em embalagens de produtos, pode anotar na sua lista de custos, materiais para embalar o produto, plastico bolha, isopor ou outras formas de deixar o produto firme na caixa, caixas de papelão, fita pacote. Você vai imprimir os endereços de entrega em ofício ou adesivo? Você vai precisar comprar isso também.

Neste vídeo nós te ajudamos a escolher a melhor forma de entrega para o seu negócio, cada produto tem necessidades diferentes, tamanho, peso, fragilidade. Nem tudo pode ser transportado pelos Correios. Mesmo que você não tenha loja física, talvez seja interessante oferecer um serviço de motoboy dentro da sua cidade, pense nas possibilidades de melhor atender seu cliente.

PASSO 8: SENDO REALISTA

Pedidos não caem do céu, não comece sua loja virtual achando que cada 5 minutos online equivalem a um pedido, você pode não ter nenhum pedido no 1 º mês e isso não quer dizer que com o passar dos anos você não possa se tornar uma loja de sucesso. Você precisa trabalhar duro, investir tempo e dinheiro para que as coisas deem certo. Ter uma loja virtual realmente tem menos custos que uma loja física, mas ainda assim tem custos, nada sai de graça.

Você espera que todo o dinheiro investido no início retorne para você, saiba que isso vai acontecer a longo, ou melhor longuíssimo prazo. No início vai ser investimento na maior parte do tempo, e fazendo os investimentos certos, nos lugares certos, você terá os resultados desejados e os retornos de investimento desejados, o famoso ROI.

Resista, não se deixe abater por dias sem pedidos. Controle-se, não emocione desreguladamente por dias com 10 pedidos. Se ligue nas tendências, faça promoções, anuncie, siga nossas dicas de SEO. 

Planeje sua loja e suas finanças. Aqui você conseguiu ter uma base de valores de quando custa ter uma loja virtual, agora você pode ir se preparando para finalmente colocar sua loja no ar. Se você ainda ficou com dúvidas, deixe um comentário que nós teremos o maior prazer em ajudar, porque nossa missão é mostrar, como é fácil vender.

Vamos ao que interessa: quanto custa uma loja virtual?

As lojas virtuais estão a todo vapor no mercado brasileiro. Diversas facilidades são oferecidas para os empreendedores que desejam apostar nesse tipo de comércio como um alternativa para sair da crise. Além disso, é muito mais fácil manter contato com os clientes, cuidar da logística e preservar o negócio em andamento no mundo virtual. 

A verdade é que a resposta para essa pergunta depende de uma série de fatores, que variam de acordo com o tamanho do empreendimento e as escolhas feitas no momento da estruturação do site e dos serviços oferecidos. Mas na maioria dos casos, manter um e-commerce sai bem mais em conta do que você imagina.

Para os empreendedores que pretendem dar início a esse tipo de negócio, preparamos uma lista de gastos necessários para o orçamento de uma loja virtual. Obviamente, vários itens podem acabar saindo gratuitamente, mas não se engane, a contratação de bons profissionais e a possibilidade de personalização do serviço oferecido podem fazer uma grande diferença. Todos esses custos dizem respeito à estruturação do site e da logística e não do plano de administração geral da loja virtual.

1) O DOMÍNIO DE UMA LOJA VIRTUAL

Depois que os produtos, fornecedores e forma de administração de sua loja virtual estiverem resolvidos, é hora de registrar um domínio a ser disponibilizado na internet. Trata­-se do endereço a ser digitado no navegador de um computador para que sua empresa seja encontrada. 

Se tudo que você precisa é da própria loja virtual, um desses é suficiente. Enquanto isso, aqueles que quiserem inovar e oferecer uma página diferente com informações, em um blog por exemplo, precisam pagar por mais de um desses.

Em média, o custo de um domínio personalizado fica na faixa dos R$ 9,90 mensais. Existem diversos tipos de planos de contratação. É possível fazer a compra do endereço por seis meses, um ano ou mais. Quanto maior o tempo do contrato, menores serão os custos mensais a serem pagos por sua empresa.

Existem domínios gratuitos também, entretanto eles não são personalizáveis. Em seu endereço, provavelmente, irá constar o nome da empresa que está oferecendo o serviço e não só o de sua loja.

2) ALUGANDO O ESPAÇO PARA HOSPEDAGEM ONLINE

Assim que o domínio estiver definido, é hora de escolher a hospedagem da loja virtual. Trata­-se da contratação de um servidor que irá disponibilizar um espaço a ser usado por sua empresa na internet.

Seria algo semelhante ao aluguel para montar seu estabelecimento físico, colocar todas as mercadorias e dar início às vendas. Somente o endereço não é suficiente para montar uma loja. É preciso que uma empresa especializada ofereça a estrutura necessária para upload de arquivos, disponibilização de formas de pagamento e todos os outros itens de sistemas que uma plataforma de e-commerce precisa ter para que suas vendas sejam efetivadas.

Assim como no caso dos domínios, existem uma série de empresas que oferecem a hospedagem 100% gratuita, loja virtual grátis, entretanto não é indicado que se contrate esse serviço se você pretende ter um negócio realmente profissional. O espaço para armazenamento não será muito grande e isso implica na velocidade lenta do seu site, por exemplo, deixando a experiência do consumidor menos interessante.

3) PROFISSIONAIS DE WEBDESIGN E PROGRAMAÇÃO

Assim que o espaço e o endereço da loja virtual estiverem definidos, é hora de começar a construir a parte visual e as funcionalidades de seu e­-commerce. É extremamente importante que sejam contratados profissionais qualificados de programação e webdesign para a personalização de sua loja virtual.

Obviamente, é possível escolher plataformas prontas e começar a vender imediatamente, mas esse tipo de visual nem sempre é atraente e muitas vezes não condiz com os produtos que estão sendo comercializados e, consequentemente, com o público visitante.

Um programador possui uma média salarial de R$ 2.461,53, enquanto um profissional de webdesign recebe cerca de R$ 1.741,00. É possível encontrar pessoas que façam esse trabalho como freelancer ou empresas que terceirizam esse serviço. Entretanto, é importante ter alguém que esteja disponível sempre, pois manter um e-­commerce requer atualizações constantes e a segurança de ter um profissional qualificado ao seu lado é sempre a melhor opção.

4) PARCERIAS COM BANCOS E BANDEIRAS DE CARTÕES

O principal objetivo de montar um site de vendas online é vender, portanto é preciso disponibilizar as formas de pagamento adequadas para que o público se sinta atraído e efetue as compras em seu site.

Existem algumas formas que se tornaram mais populares. Dentre as principais está o uso do cartão de crédito e débito. Por isso, é preciso firmar parcerias com as operadoras para que essa forma de pagamento seja disponibilizada. A cada venda realizada, uma taxa é cobrada sobre o valor pago. Se preferir, pode optar pelo boleto bancário, que é uma opção muito mais barata, pois as tarifas cobradas pelas instituições financeiras são bem menores.

Uma outra alternativa é oferecer o pagamento por meio de sistemas como o PayPal ou PagSeguro, por exemplo. Essa é uma dica valiosa para os comerciantes que ainda não se consolidaram no mercado e precisam de uma garantia para oferecer aos clientes. 

Por ser uma opção em que o consumidor não precisa oferecer dados pessoais ou financeiros, muitas pessoas se sentem mais à vontade ao realizar as compras. Além disso, todos os valores pagos serão depositados em sua conta no sistema escolhido e podem ser sacados a qualquer momento, sem precisar manter uma conta corrente em um banco.

5) ENTREGAS DE ENCOMENDAS EM LOJAS VIRTUAIS

O último gasto, mas não menos importante procedimento é aquele que diz respeito em como as encomendas chegarão até os clientes. É claro que serão cobradas taxas de entrega, para que o próprio consumidor escolha a forma de envio. Entretanto, é interessante firmar uma parceria com empresas que possam realizar o trabalho, para que tudo fique mais organizado e sistematizado. 

Existem duas opções: 

  • por meio dos correios;
  • ou contratando um serviço de transportadora privada.

A primeira opção acaba saindo mais barata, mas é necessário ter um volume de vendas mínimo para que o contrato seja assinado. Enquanto isso, optar por um serviço particular traz vantagens como um sistema integrado, impossibilidade de greves e atendimentos personalizados, quando necessário. Basta analisar as opções e decidir qual é a melhor para sua loja virtual.

Artigo anterior15 gifs que representam a vida do empreendedor de loja virtual
Próximo artigoTeste de atendimento ao cliente: avalie o poder e níveis de atendimento
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

DEIXE UMA RESPOSTA