(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

Montar loja virtual em 3 passos + material de apoio para baixar

Por Marcio Eugênio | 21/01/2021
157
|
0
Montar loja virtual em 3 passos + material de apoio para baixar

Cada vez mais as lojas virtuais se apresentam como uma boa oportunidade para quem quer conquistar a liberdade financeira e trabalhar numa rotina com possibilidade de fazer os seus próprios horários. Sem dúvidas, essa modalidade de vendas oferece muitas perspectivas para os investidores que estiverem dispostos a estudar e compreender o mercado.

Sim, é necessário fazer um planejamento para criar uma loja virtual consistente e que realmente tenha chances de se destacar no mercado. Se você quer aproveitar as vantagens desse mercado, continue lendo esse artigo! aqui explicaremos tudo o que você precisa saber para montar loja virtual e apresentaremos materiais de apoio para ajudá-lo.

Descubra como montar loja virtual de forma simples

Muitas pessoas que decidem montar loja virtual acreditam que basta escolher um produto para sair vendendo por aí. É claro que o produto é muito importante para o crescimento do negócio, mas está longe de ser a única coisa que deve ser pensada. Afinal, criar um e-commerce envolve decisões como fornecedores, logística, preço, meios de pagamento, etc.

E como dar conta de tudo isso sem prejudicar as possibilidades de crescimento da loja virtual? Existem dois caminhos complementares para isso: a primeira maneira é recorrendo a um plano de negócios, que nada mais é do que um estudo que passa por todas as etapas da empresa, permitindo a antecipação e a prevenção de erros que atrapalhariam o crescimento da empresa.

E aqui vai a segunda maneira, que deve ser aplicada em conjunto com a anterior: escolhendo uma boa plataforma de e-commerce. Isso permite que você tenha acesso a automações essenciais para a boa gestão da sua loja virtual. Veja aqui a importância de optar por uma plataforma de excelência:

1. Escolha uma plataforma

Um dos principais erros dos empreendedores digitais que estão entrando no mercado agora é optar por uma plataforma gratuita ou muito barata achando que estão tirando uma grande vantagem da decisão. Na prática, essa escolha prejudica o desempenho do negócio, já que contará com pouquíssimos recursos no dia a dia da empresa.

Sim, as melhores plataformas do mercado contam com funções que otimizam o trabalho do gestor do e-commerce, que pode automatizar a emissão de notas fiscais, o controle financeiro e a gestão de estoque. Sabendo disso, priorize plataformas completas, que podem agregar muito ao seu e-commerce, seja na assertividade dos dados ou na velocidade dos processos. 

2. Configure a plataforma

Depois de escolhida a plataforma, será hora de configurá-la. Isso significa que você terá que deixar a loja virtual com a cara do seu negócio, seja no design, na descrição dos produtos ou nos meios de pagamento. O ideal é que todas as decisões estratégicas já tenham sido feitas, para que no momento da configuração você possa apenas programar as funções. 

Ou seja: não deixe para decidir os sistemas de entrega quando estiver organizando a plataforma de e-commerce: estude as possibilidades com antecedência, orce, analise os seus produtos e escolha a alternativa que mais tem a ver com seu negócio.

3. Faça as integrações de estoque e nota fiscal

Por fim, será a hora de fazer a integração de estoque e de nota fiscal. Como falamos, esse tipo de função agrega muito valor ao trabalho do gestor, que não precisa alimentar planilhas de forma manual. Além de sobrar mais tempo para outras tarefas, há uma redução drástica dos erros do processo, já que tudo ocorre de forma automatizada.

Outra vantagem de contar com ERPs deste tipo é a agilidade para o desempenho dessas funções, o que se reflete também nas demais atividades da loja virtual. Com isso, o produto é preparado para o envio com mais antecedência, chegando com agilidade às mãos do consumidor.

Ou seja, há mais chances desse cliente ficar satisfeito e de recomendar a experiência a amigos, colegas de trabalho, etc. É claro que para isso ocorrer também é necessário trabalhar o atendimento do e-commerce, que deve ser excelente, e a qualidade dos produtos vendidos. 

Quais recursos a plataforma de loja virtual deve oferecer?

Como você viu, montar loja virtual requer estratégia e planejamento. Quanto mais pensada for a estratégia do negócio, maiores serão as chances de tomar decisões acertadas, seja em relação ao público-alvo, ao posicionamento, ao produto ou ao preço. Por isso, não tenha preguiça de estudar e se qualificar para vender online. 

Engana-se quem pensa que vender em um e-commerce funciona da mesma maneira do que vender numa loja de rua. O comércio eletrônico já se diferencia pelo ponto de venda, que é absolutamente virtual. Aliás, o primeiro contato real entre consumidor e marca vai ocorrer apenas quando ele receber o produto em casa, ou seja, será na última etapa da venda.

Justamente por todo contato ocorrer com a mediação de uma máquina, é fundamental que o e-commerce conte com boas descrições dos produtos, fotografias de qualidade e navegação intuitiva. Uma boa plataforma de e-commerce tem muito a contribuir nesse e em outros pontos. Veja aqui no que você deve pensar na hora de pesquisar pela plataforma:

Controle de estoque

Essa é uma das tarefas mais importantes de um comércio eletrônico e está relacionada à saúde financeira do negócio. Toda empresa precisa controlar as suas entradas e saídas, o que significa que precisa registrar todas as vendas realizadas.Esse controle ajuda a compreender o momento ideal para solicitar a reposição do fornecedor. 

Ao mesmo tempo que nenhuma loja quer ficar com estoque excessivo, ninguém quer ficar com produtos em falta, permitindo que os consumidores procurem os mesmos itens na concorrência. Além do controle diário de estoque, também recomenda-se que o gestor da loja virtual faça um inventário de produtos de tempos em tempos.

Controle de vendas

O controle de vendas segue a mesma lógica do controle de estoque e, por isso, também é essencial para um negócio que quer crescer de forma saudável a curto ou médio prazo. Além de controlar o número de produtos no almoxarifado, o empreendedor também precisa ter noção dos tipos de produtos que têm mais saída entre os seus clientes.

Aqui fica uma dica para investidores que estão começando agora no mundo do e-commerce: essa observação precisa perdurar por vários meses, já que muitos produtos têm sazonalidade. Ou seja, vendem mais em determinadas épocas do mês ou do ano.

Mas o que o controle das vendas agrega ao negócio? Com ele, pode-se escolher reforçar ou descontinuar uma linha de produtos, diversificar os modelos oferecidos ou fazer campanhas e promoções a fim de atrair mais consumidores à loja virtual.

Controle de caixa

Todas as entradas e saídas de dinheiro da loja virtual devem ser registradas. Isso permite que o gestor do negócio entenda quais são os seus principais gastos e tenha medidas estratégicas para negociar ou reduzir custos desnecessários. 

Muitas pessoas acreditam que os custos mensais de um e-commerce envolvem apenas a plataforma, o fornecedor e as campanhas de marketing, mas se esquecem que as vendas online requerem internet, luz, fornecedores de caixas, etc. Quando somados, muitos gastos pequenos chegam a quantias graúdas, prejudicando o crescimento da empresa.

Cadastro de fornecedores

Um e-commerce pequeno pode achar desnecessário cadastrar os fornecedores do negócio, pois muitas vezes pode tratar apenas com uma ou duas pessoas. No entanto, essa função tem muita valia para lojas médias ou grandes, que lidam com muitos contatos e que precisam fazer isso de forma ágil.

Lembre-se que o fornecedor vai muito além do profissional que entrega os produtos para sua empresa: quem fornece caixas, cartão de visita e materiais de escritório também fornece produtos para você, mesmo que você não os coloque à venda no seu e-commerce.

Emissão de nota fiscal

Aqui está outra função que uma boa plataforma de e-commerce simplifica. A emissão de notas fiscais pode ser feita a partir de integração com o Bling, por exemplo. Esse é um sistema de gestão para micro e pequenas empresas que, além das notas, também realiza a gestão do estoque, o gerenciamento de vendas, as finanças, etc.

Com esse tipo de integração, o e-commerce pode emitir de forma fácil e simples diversos modelos de notas fiscais eletrônicas, sem precisar calcular os impostos de forma manual. O próprio sistema registra as informações de cadastro dos clientes e dos produtos e calcula os impostos das notas fiscais. Em resumo, esse tipo de automação permite:

  • Maior agilidade na emissão de notas fiscais
  • Mais assertividade nos dados 
  • Mais simplicidade na gestão das tarefas do e-commerce

Gerenciamento de vendas

Quando falamos em gerenciamento de vendas, nos referimos a todas as etapas de um e-commerce. E olha que elas não são poucas! Para vender online é necessário lidar com fornecedores, controlar o estoque, gerenciar os pagamentos, fazer as embalagens, realizar os atendimentos aos clientes e entrar em contato com a logística.

Como fazer tudo isso sem prejudicar a qualidade do serviço e o tempo de envio das encomendas? Com planejamento! É claro que esse planejamento deve ser realizado com antecedência, ou seja, antes de a loja virtual ir para o ar.

Muitos empreendedores deixam para criar o fluxo entre os setores quando o e-commerce já começou a vender, o que é um erro grande, pois nessa altura o empreendedor já estará desempenhando muitas tarefas simultâneas. Por isso, o ideal é criar o fluxo durante o planejamento e só ajustá-lo quando a loja for lançada.

Integração com Correios

Essa é uma função muito importante para os empreendedores que optarem por fazer o envio pelos Correios. A integração entre o e-commerce e a plataforma do serviço postal permite orçar o envio das encomendas de forma automática, fazendo com que o cliente já saiba o valor do frete.

Para possibilitar essa função, o ideal é que a loja virtual tenha contrato com os Correios, pois assim terá acesso a uma plataforma chamada Sigep Web, que também otimiza o envio das encomendas. Com ela, o gestor não precisa entrar em filas na hora de ir à agência postal, podendo deixar a embalagem no balcão. 

Registro de boletos

Já falamos que os ERPs ajudam a controlar o estoque e a gerar notas fiscais da loja virtual, mas não podemos esquecer que eles também auxiliam no registro dos boletos. A partir dessas automações, o e-commerce pode emitir boletos e cobranças bancárias de forma ágil e prática.

Isso simplifica o trabalho do gestor do e-commerce, que já deve se preocupar com uma série de tarefas do dia a dia. Além disso, aumenta a agilidade do processo, já que os clientes podem receber o boleto bancário por e-mail em um prazo muito curto. 

Aquisição de certificado digital

Aqui está outra facilidade que os ERPs oferecem às lojas virtuais. A aquisição do certificado digital permite emissão de Nota Fiscal Eletrônica, Nota Fiscal de Serviços Eletrônica e Nota Fiscal de Consumidor.

Em resumo, esse certificado é um requisito básico para que o e-commerce possa emitir nota fiscal sobre as suas atividades. Para solicitá-lo, deverá preencher um formulário, validá-lo, emitir o certificado e fazer a instalação no computador.

Integração logística

Assim como a integração com os Correios, a integração com a logística também agrega valor ao trabalho do comércio eletrônico, que pode entrar em contato com as suas principais prestadoras de serviço.

O ideal é que a escolha entre Correios e transportadora leve em consideração uma série de itens, como:

  • Distância geográfica
  • Preço
  • Prazo
  • Dimensões do produto
  • Fragilidade

Facilitações para o marketing

Uma boa plataforma de e-commerce também precisa contar com ferramentas de marketing que auxiliem na atração e na retenção dos clientes ao e-commerce. Em resumo, essas funções são recuperação de carrinho, chat online, e-mail marketing, pop-up de saída, etc.

É claro que o uso requer estratégia, pois o objetivo é atrair o cliente e não o contrário. A recuperação de carrinho, por exemplo, pode oferecer um cupom de desconto para aqueles clientes que abandonaram a compra sem uma razão específica.

Recurso para recuperação de carrinho

Como falamos acima, o recurso de recuperação de carrinho tem muito potencial para incrementar as vendas do negócio, já que vai em busca daqueles clientes que, por algum motivo, largaram o carrinho de compras sem fazer a encomenda.

Além de tentar reverter essa condição, o que costuma ser feito com a oferta de um código de desconto, também é essencial que o gestor busque entender a razão que fez com que o cliente abandonasse o processo. As razões podem ser muitas, como, por exemplo, falha na plataforma do e-commerce ou preço alto de envio.

Baixe os materiais de apoio para montar loja virtual sem erro

Sem dúvidas, montar uma loja virtual requer estudo e conhecimento sobre o produto, o segmento e o público-alvo. Além disso, envolve a escolha acertada da plataforma, que deve oferecer o máximo de recursos possíveis a um preço justo. 

É possível que depois de ler todas as informações que falamos aqui, você sinta vontade de aprofundar e saber mais, justamente para poder criar um negócio consistente. Pensando nisso, compartilhamos aqui muitos materiais de apoio gratuitos que têm muito a agregar à sua loja virtual. Confira: 

8 dicas fantásticas para montar uma loja virtual

Planilha de Análise da Concorrência

6 erros de quem anuncia no Facebook

Por que usar e-mail marketing na sua loja virtual

SEO para loja virtual

Como escolher nome da loja virtual

Marcio Eugênio

Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

Posts relacionados