Glossário de e-commerce: 20 termos que você precisa dominar

Glossário de e-commerce: 20 termos que você precisa dominar

1507
0

Você já deve ter se deparado com uma série de termos com os quais não tem a menor intimidade, não é mesmo? Mas calma, estamos aqui para ajudar! O nosso glossário de e-commerce traz algumas das principais palavras e expressões usadas no dia a dia da sua loja virtual.

A verdade é que muitas pessoas resolvem investir no comércio eletrônico, mas não estão habituadas com alguns termos usuais nesse meio e isso é completamente normal. O que não quer dizer que você não possa se preparar e entender alguns deles.

Neste post apresentamos 13 termos importantes que fazem parte da rotina de qualquer loja online. Continue a ler e aprenda todas eles agora mesmo!

1. Plataforma

Abrimos o nosso glossário de e-commerce com um dos termos mais simples e que ainda gera muita confusão. Trata-se do ambiente em que a loja funcionará. Existem diversos tipos, mas todas elas são compostas por um servidor e um software com um código responsável pelo processamento das informações.

2. B2B

É a abreviação da expressão Business to Business (negócio para negócio), que representa o tipo de transação de uma empresa para outra. Nesse modelo de negócio, uma loja virtual oferece produtos ou serviços de interesse apenas para outras empresas. É o caso de muitas que atuam no setor de serviços, como limpeza e tecnologia.

É importante se atentar a esse tipo de diferenciação, pois tanto a comunicação e o marketing quanto as funcionalidades da sua plataforma devem ser voltadas para esse público. A linguagem costuma ser mais técnica e objetiva, pois os compradores estão mais interessados nas qualificações do produto ou serviço, mas não significa que não precisa ser atraente.

3. B2C

Já no modelo Business to Consumer (negócio para consumidor) as vendas são voltadas para o varejo. A empresa negocia diretamente com o consumidor final. Atualmente, ocupa a maior parte das vendas virtuais, apesar do grande crescimento do comércio B2B nos últimos anos. Também é preciso ficar atento às funcionalidades da plataforma e à linguagem utilizada, que geralmente é mais simples e atrativa.

4. Back office

Back office são todos os processos internos que envolvem o funcionamento do e-commerce, da venda até a logística. Essas rotinas geralmente já constam na plataforma, como um módulo programado de acordo com a necessidade da loja. Mas é importante conhecê-lo bem para uma gestão mais eficiente de todo o sistema.

5. Gateway de pagamento

É uma plataforma anexa ao site principal, no qual é processado o pagamento do pedido. Uma mesma loja pode conter diversos gateways, de acordo com as diferentes formas de pagamento. Eles armazenam todos os dados do cliente, como número de cartão de crédito, de forma protegida, já fazendo a checagem de todos os dados.

6. Chargeback

Chargeback é a expressão que representa o cancelamento de uma compra feita no cartão de crédito pelo cliente, como no caso de fraude. Nesse caso, o produto é entregue, mas o valor é estornado, gerando um prejuízo para o lojista. Charge back significaria “cobrar de volta”, ou seja, quem paga é a loja virtual.

O e-commerce pode evitar esse tipo de problema fazendo a verificação do pagamento junto às operadoras de cartão. Existem alguns softwares e aplicativos específicos para acelerarem esse processo.

7. Google Analytics

Analytics é uma ferramenta disponibilizada pelo Google para a conferência de diversas métricas importantes para a loja virtual. Com ela é possível conferir indicadores como a conversão em vendas, o número de visitas e visualizações de cada produto, entre outros. Essas métricas são importantes tanto para se acompanhar a efetividade das ações de marketing, como o próprio comportamento do consumidor na loja e a experiência dele como usuário.

8. Design responsivo

Refere-se ao fato do seu site ou sua plataforma se adaptar aos diferentes tamanhos de tela dos dispositivos. Ou seja, o cliente da sua loja poderá visualizar os produtos em um smartphone ou tablet tão bem quanto no computador com uma tela widescreen. Isso é importante, pois muitas pessoas realizam compras pelo celular e a sua loja precisa também atender a esse tipo de necessidade, ou perderá vendas.

9. ROI

É a sigla de Return On Investment (retorno sobre investimento). Nada mais é do que um cálculo simples para se saber o quanto de retorno percentual um investimento obteve. É a forma mais elementar de saber o quanto uma empresa está gerando lucro ou prejuízo.

10. ERP

O Enterprise Resource Planning (ERP) é um sistema de gestão empresarial que agrega todas as informações da organização. Para um e-commerce, assume um papel totalmente estratégico, pois além de ajudar a automatizar todas as ações de compra, venda e logística, agiliza os processos de gestão da empresa.

11. Ticket médio

O ticket médio é o valor médio que um cliente gasta na sua loja virtual. Pode ser calculado somando-se o valor total das vendas e dividindo pela quantidade de vendas. Essa métrica é importante para se entender a relação entre o aumento do faturamento e das vendas e os valores praticados pela empresa. Assim, dá para planejar melhor tanto o estoque quanto ações promocionais, principalmente em decorrência da sazonalidade de alguns produtos.

12. SEO

As técnicas de Search Engine Optimization (SEO) são estratégias que melhoram o posicionamento das páginas da loja em sites de busca. A adoção dessas práticas é fundamental para que os clientes em potencial encontrem a loja online e seus produtos por meio da busca orgânica.

13. SEM

Já o Search Engine Marketing (SEM) é uma modalidade do marketing digital, no qual se utiliza os mecanismos de busca para a divulgação de produtos e serviços. É o caso dos links patrocinados que aparecem nas primeiras posições numa busca.

14. GOOGLE ADS

É o modo de anúncios, patrocinados, do Google que pode ser utilizado para aparecer na busca, site de parceiros ou no Google Shopping. Através de anúncios utilizando textos, imagens ou vídeos. Auxiliando uma loja virtual a ser encontrada pelo seu cliente no momento que ele está navegando na internet, com isso, potencializando a possibilidade de ocorrer uma venda.

15. GOOGLE WEBMASTERS

É uma ferramenta desenvolvida pelo Google para auxiliar as lojas virtuais a entenderam como os seus clientes estão buscando e encontrando seus produtos no momento que eles fazem uma busca do Google. Essa ferramenta é essencial para quem quer melhorar e entender mais sobre SEO.

16. CPA

É uma sigla que significa Custo por Aquisição. Que é o modo para entender quanto que custa para ocorrer um pedido em sua loja virtual após uma ação de marketing patrocinada, sendo ela no Google Ads, Facebook Ads.

17. CPC

É uma sigla que significa Custo por Click. Quando se faz uma ação de link patrocinado utilizando ferramentas de marketing como o Google e Facebook Ads. Podemos, através do CPC, saber se o valor pago está elevado ou não, pois, através dela, sabemos quanto custou cada vez que o cliente clica no anúncio patrocinado e vai para a loja virtual.

18. CPM

É uma sigla que significa Custo por cada mil impressões, muito utilizado pelo Google e Facebook, para cobrar por interação com o cliente. Podemos dizer que a cada mil vezes que o anúncio é apresentado para o público alvo, no momento em que ele está interagindo, é cobrado um valor do anunciante.

19. TAXA DE CONVERSÃO

O Cálculo é bem simples, mas muito eficaz e poderoso, para saber se a loja virtual está indo para o caminho certo.
Taxa de conversão = (Pedidos / Quantidade acessos)x100 = xx%.

20. FACEBOOK ADS

É uma ferramenta de marketing, que permite que as lojas virtuais criem anúncios patrocinados, dos seus produtos, e apresentar para o seu público alvo que está acessando o Facebook e Instagram. Através dessa ferramenta, podemos criar segmentações, sendo as mais conhecidas, como: região, sexo, idade e interesses.

Esses são apenas alguns termos importantes para uma loja virtual. Além do que foi colocado aqui neste glossário de e-commerce, recomendamos que você pesquise e se informe bastante. Vale a pena investir em cursos e consultorias na área para se aprofundar sobre o assunto.

Gostou do post? Ficou interessado em saber mais sobre como implantar a sua loja virtual? Então, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!

Artigo anteriorO que é preciso? Aprenda como gerenciar uma loja virtual
Próximo artigo4 passos para alcançar a sonhada independência financeira
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

DEIXE UMA RESPOSTA