(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

Como criar uma loja virtual em 12 passos simples e infalíveis

Por Matheus Luvier | 28/01/2021
647
|
0
Como criar uma loja virtual em 12 passos simples e infalíveis

Você já se deu conta que há cada vez um número maior de lojas virtuais? Enquanto as lojas de rua têm enfrentado um cenário econômico pouco amigável, os comércios eletrônicos têm se deparado com boas condições de crescimento, o que se justifica principalmente pelos preços baixos praticados e pela facilidade em fazer compras online.

Ao observar esse panorama, muitos empreendedores decidem participar do mercado digital. Essa é uma escolha muito inteligente, sobretudo para aqueles que optarem por estudar o segmento onde estão entrando e criar um negócio sólido. Mas como criar uma loja virtual? Veja aqui o passo a passo e saiba como é simples começar a vender online!

Aprenda como criar uma loja virtual em 12 passos

Você já ouviu aquela frase clássica que diz que a pressa é inimiga da perfeição? Ela também vale para o mundo das vendas online. Muitas pessoas que querem investir no mercado digital escolhem um produto rapidamente e já dão início à criação do e-commerce sem sequer estudar mais o panorama do segmento onde estão entrando.

Com isso, acabam arcando com riscos grandes, que prejudicam o crescimento do negócio. Se você quer entender como criar uma loja virtual, saiba que é recomendado fazer um plano de negócios para fazer um apanhado sobre todas as áreas de atuação, reduzindo a possibilidade de cometer erros que prejudicam o crescimento do negócio. 

Veja aqui 12 passos essenciais de pensar antes de estruturar a sua loja virtual: 

1. Escolha a plataforma ideal para montar sua loja virtual

A escolha da plataforma é um dos primeiros passos para quem quer criar um e-commerce. Existem muitas possibilidades no mercado, mas nem todas são adequadas para empreendedores que querem crescer e se destacar no mundo das vendas online. Por isso, o ideal é optar por uma plataforma completa, com recursos que contribuam na gestão do negócio.

Você sabe o que deve fazer para escolher a melhor plataforma? Converse com amigos e conhecidos que trabalham no setor, pesquise no Google e compare os recursos das principais plataformas do mercado. Não leve apenas o preço em consideração: as funções também importam muito para o dia a dia da sua empresa. 

Quer exemplos de recursos importantes e que devem ser considerados na hora de avaliar a plataforma? Aqui vão alguns: integração, personalização de layout, relatórios, múltiplas formas de entrega, meios de pagamento variados e soluções de marketing como recuperação de carrinho, newsletter e chat online. 

2. Escolha uma plataforma com ERP

Você sabe o que é ERP? Em síntese, ERP é um valioso sistema de integração entre ferramentas digitais que agiliza o trabalho do empreendedor do e-commerce. Podemos dizer que essa tecnologia automatiza os processos internos do negócio, como a criação de boletos bancários e a emissão de notas fiscais.

Desta forma, o empreendedor digital não precisa se preocupar em alimentar planilhas e controles manuais, que demandam tempo e envolvem maior risco de erro humano. Além disso, o ERP tem custo acessível e contribui para a agilidade do negócio, já que atualiza os dados de forma autônoma. 

O ERP Bling, por exemplo, conta com essas funções:

  • Emissão de nota fiscal
  • Controle de estoque
  • Controle das vendas
  • Integração com os correios
  • Integração com e-commerce
  • Suporte como destaque

3. Qualifique o Público antes de começar a vender

Um e-commerce precisa dos clientes desde o seu primeiro dia de funcionamento. No entanto, muitos gestores de loja virtual deixam para se preocupar com isso apenas quando a loja está prestes a abrir – o que é um erro grave. O público-alvo da loja virtual deve ser pesquisado ainda na fase de planejamento, junto com a decisão de produto e segmento.

Saiba que o estudo sobre os clientes que a empresa se propõe a atender é um dos pontos mais importantes do negócio. Embora seja tentador contemplar todo mundo na comunicação, o ideal é que esse público seja segmentado, ou seja, composto apenas por consumidores que realmente têm potencial de comprar da loja virtual. 

A partir desta definição o empreendedor poderá assumir uma linguagem mais específica para dialogar com os clientes, escolher produtos realmente interessantes para esses públicos e precificar da maneira mais adequada. 

4. Entenda o Comportamento do Consumidor

Aqui está um ponto muito pertinente para quem vai vender online. O comportamento do consumidor se modifica bastante entre as vendas físicas e digitais e, por isso, é fundamental compreender como ocorre a trajetória de compra dos clientes nas lojas virtuais. Esse conhecimento permite a criação de estratégias adequadas para o negócio.

Em resumo, o processo de compra se inicia com a percepção do consumidor de que necessita de algum produto ou serviço. Após se dar conta deste fato, ele vai atrás de lojas que contemplam o seu desejo ou necessidade. Isso não significa, porém, que logo fará a compra. 

Dependendo do nicho ou segmento, a fase de pesquisa pode durar dias ou até meses, pois nem sempre o processo de decisão é simples. Cabe às lojas virtuais desenvolverem uma comunicação assertiva, descreverem bem os seus produtos e oferecerem uma experiência de compra positiva para tentar transformar ao máximo as visitas em vendas. 

5. Obedeça a Legislação para Montar uma Loja Virtual

É inquestionável que toda loja virtual precisa obedecer a legislação. Apesar de não existir uma exigência legal para que os empreendedores de e-commerce abram uma empresa, é recomendada a criação de CNPJ, o que profissionaliza o negócio. A boa notícia é que nem sempre é necessário optar pelo Simples Nacional.

Uma boa alternativa para essa categoria é a modalidade Microempreendedor Individual, que é voltada aos profissionais que faturam até R$ 81.000 por ano. Ou seja, contempla os vendedores digitais de de pequeno ou médio porte. Vale lembrar que além do CNPJ, as lojas virtuais precisam:

  • Disponibilizar dados como a razão social e o CNPJ ou o nome completo e o CPF
  • Informar o endereço eletrônico e físico da loja
  • Divulgar  informações claras e precisas sobre os produtos comercializados

6. Escolha um bom Layout

A identidade visual do e-commerce influencia muito no sucesso da empresa. E quando falamos dos atributos visuais, nos referimos a uma gama de coisas, como logotipo, cores, embalagens e o próprio layout da loja virtual.

Muitas plataformas de e-commerce dão a possibilidade de personalizar o design da loja, o que é muito interessante para tornar o ambiente de vendas único. Isso apura a percepção dos clientes sobre o propósito da empresa e torna a experiência mais personalizada, pois reforça os valores da marca.

Além disso, é importante que as redes sociais da empresa também adotem essa identidade visual, o que torna a interação mais integrada, demonstrando que a loja está alinhada em todos os canais. O mesmo vale para a linguagem, que deve ser a mesma em todos os pontos de contato com o cliente.

7. Ofereça diferentes Formas de pagamento

Até pode parecer exagero, mas a escolha da forma de pagamento é um dos pontos mais íntimos dos clientes. Cada pessoa prefere pagar a sua encomenda de uma maneira distinta, por isso recomenda-se que a loja conte com muitas alternativas possíveis para a conclusão do pedido.

Assim, ninguém vai desistir de encomendar porque não encontrou o seu meio preferido. Lembre-se que a escolha da forma de pagamento depende da organização pessoal de cada um e de valores essenciais, como, por exemplo, segurança. Afinal, muita gente não se sente segura para usar o cartão de crédito em e-commerce, o que é justificável. 

Em lojas não confiáveis, há o risco de ter as informações roubadas por pessoas má intencionadas, que podem usar os dados para fazer novas compras online. Justamente por isso, reforce o seu sistema de segurança e destaque que sua loja conta com todos os procedimentos seguros para as transações.

8. Faça todas as verificações de Segurança

Como falamos no item anterior, a segurança deve ser prioridade para quem quer vender online. Todos os gestores virtuais deveriam se preocupar em oferecer uma navegação segura para os seus consumidores, mas, na prática, nem todo mundo faz isso. Aliás, quando uma loja é segura, não apenas os clientes ganham.

O vendedor também se beneficia, pois deixa de correr riscos que podem levá-lo a um grande prejuízo. Mas o que é necessário fazer para oferecer uma experiência segura para os seus consumidores? Veja aqui os principais pontos que devem ser pensados na hora de planejar seu e-commerce:

  • Contrate uma plataforma de e-commerce segura
  • Proteja o seu domínio
  • Mantenha um canal de contato ativo com os seus clientes
  • Opte por uma plataforma de pagamento segura
  • Tenha um sistema antifraude

9. Monte uma boa equipe de Atendimento ao Cliente

Um bom atendimento ao cliente é tão importante quanto um bom produto ou um bom preço. Isso significa que você deve se esforçar ao máximo para interagir com excelência com os seus consumidores, não poupando esforços para agradá-los e entender as suas verdadeiras necessidades.

É provável que nos primeiros meses de e-commerce você trabalhe sozinho. No entanto, quando contar com uma equipe, trate de treiná-la para que ela atenda os consumidores de forma padronizada, interessada e cordial. Um atendimento negativo pode gerar uma grande crise desnecessária para uma loja virtual, que terá que usar grandes esforços para revertê-la.

Não deixe de lembrar que a venda é composta por três etapas: a pré-venda, a venda e o pós-vendas. Porém, muitas empresas deixam a última etapa de lado, por não terem interesse em fazer trocas ou devolução com agilidade. Porém, atender bem o cliente nessa última fase pode contribuir diretamente para a sua fidelização.

10. Invista em Marketing para Loja Virtual

Independente do porte ou do tempo de mercado, qualquer e-commerce precisa investir em ações de marketing digital para se manter ativo. Muita gente ignora esse fato, porque as lojas de rua nem sempre precisam recorrer a campanhas de divulgação para atrair clientes para dentro do ponto de venda. 

No entanto, se um e-commerce não trabalhar com publicidade online, provavelmente não fará nenhuma venda durante meses. Mas como investir em marketing digital? Há muitos meios de fazer isso. Os principais envolvem a presença da marca nas redes sociais e em buscadores de conteúdo, como é o caso do Google.

Essa última forma, aliás, é a principal maneira de conduzir consumidores para a loja virtual. Além disso, é essencial trabalhar as estratégias de SEO, que garantem um posicionamento privilegiado nas buscas do Google.  Veja aqui alguns dos principais pontos que seu marketing deve trabalhar:

  • Atrair novos clientes
  • Manter os clientes antigos
  • Estar onde o cliente está
  • Reverter crises 
  • Analisar métricas

11. Organize a Operação para a Loja Virtual Funcionar

O funcionamento de uma loja virtual deve ser semelhante ao de uma orquestra, com cada componente fazendo a sua parte de forma harmoniosa. Isso significa que todos os setores do negócio precisam estar integrados para oferecer uma experiência satisfatória ao consumidor.

E é claro que tudo isso precisa ser planejado muito antes de a loja virtual ir para o ar. No dia a dia, você terá que lidar com fornecedores, confirmar pagamentos, embalar encomendas, responder clientes e entrar em contato com a empresa de logística sem que nenhuma parte do fluxo seja interrompida.

Por isso, estruture com antecedência o funcionamento dessas etapas e deixe apenas para fazer pequenas modificações quando a loja entrar no ar. Quanto mais organizado tudo estiver, menores serão os erros de fluxo e mais rápido o cliente receberá a encomenda.

12. Selecione o Produto Estrela

Por fim, vamos falar sobre o produto estrela. Esse é o principal item da sua loja virtual, ou seja, aquele que desperta a atenção e o desejo dos seus consumidores. Conhecer esse produto permite que você trabalhe a comunicação da sua marca e precifique conforme a expectativa do mercado.

Mas é claro que a sua loja não precisa trabalhar apenas com o produto estrela. Pelo contrário! Uma empresa de materiais para pilates e ioga pode ter como produto estrela um tapete anti-derrapante, mas complementar o seu estoque com elásticos, bolas e bastões. 

E aqui fica uma dica: na maior parte das vezes, não será necessário fazer promoções para vender o seu produto estrela, pois ele já está consolidado no mercado. Direcione os seus esforços para aumentar a venda dos itens complementares.

Baixe os Materiais de apoio para criar a sua loja virtual

Como você pode ver, existem muitos pontos necessários para pensar na hora de planejar o seu e-commerce, né? São eles que vão dar solidez para o seu negócio, permitindo que cresça e se consolide no mercado digital em um curto ou médio prazo. 

Essa caminhada nem sempre é fácil, mas é muito necessária para que seu negócio tenha chances reais de sobrevivência. Do contrário, fará poucas vendas e terá dificuldades de se manter no mercado digital. Agora que você já sabe como criar uma loja virtual, recomendamos que confira esses materiais de apoio gratuitos

8 dicas fantásticas para montar uma loja virtual

Planilha de Análise da Concorrência

6 erros de quem anuncia no Facebook

Por que usar e-mail marketing na sua loja virtual

SEO para loja virtual

Como escolher nome da loja virtual

Melhores produtos para vender no e-commerce

Guia para escolher a plataforma de e-commerce

Gestão de e-commerce para PME

Template de e-mails para recuperação de carrinho

Matheus Luvier

Posts relacionados