(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

T-commerce: o que é, para que serve e como usar para vender?

Por Marcio Eugênio | 28/08/2019
5086
|
0
T-commerce: o que é, para que serve e como usar para vender?

Você pode não conhecer essa expressão, t-commerce, mas você já foi influenciado, e muito, por isso. Não imagina que em uma tarde tranquila jogado no sofá poderia resultar em uma escolha de compra. Seja porque um artista admirado segurou um produto, ou algum slogan ficou marcado em seu subconsciente.

Mas um costume recente que você pode ter adquirido é comprar produtos pela internet, em lojas virtuais ou diretamente por redes sociais.

Mas a partir daí, e com o advento dos aparelhos de televisão digitais, esses dois mundos se uniram, criando esse novo jeito de vender que é chamado de t-commerce.

Para saber mais sobre o essa integração no processo de venda no e-commerce, vamos trazer mais sobre o que é T-commerce? Para que serve e como usar o T-commerce para vender? Enfim, veja tudo o que precisa saber sobre t-commerce e se vale a pena usá-lo!

O QUE É O T-COMMERCE?

Também conhecido como comércio de televisão, o T-commerce envolve o uso da tecnologia por trás da televisão digital para enviar ativamente publicidade aos espectadores. Algumas estratégias incluem o uso de um banner que rola ao longo da parte inferior da tela da televisão, fornecendo um meio para propagandas acima e além dos comerciais de televisão habituais que os patrocinadores criam e exibem durante o curso de um programa de TV.

Outras abordagens exigem o uso de TV interativa que permita aos espectadores clicar em um ícone durante um comercial ou em um banner enquanto assistem a um programa, acionando automaticamente a transmissão de dados do produto para o e-mail do espectador.

Há também aplicativos limitados de comércio eletrônico que permitem que os espectadores realmente peçam produtos clicando nos ícones exibidos na tela da televisão ou usando um controle remoto para destacar e selecionar ícones específicos que usam informações do assinante para processar um pedido.

PARA QUE SERVE O T-COMMERCE?

Todos os grandes players, da LG a Sony, estão viabilizando o t-commerce, aumentando a capacidade dos varejistas de introduzir vitrines em seus dispositivos. Como exemplo, o aplicativo ShopTV já está disponível para download em quase 50 milhões de smart TVs nos EUA. A atual comunidade de usuários é muito menor, é claro, provavelmente em dezenas de milhares, e a educação do consumidor será necessária para escalar a base de usuários. Mas a interface está lá e disponível para uso.

Surge então, um mercado altamente competitivo, no qual as margens estão ficando menores a cada ano, por isso estão ansiosos para buscar todas as novas oportunidades de monetização. Possíveis modelos de geração de receita incluem pagamentos baseados nas vendas geradas pela plataforma do OEM, visualizadores direcionados ao aplicativo ou métricas de alcance com base em CPM. Sem dúvida, haverá um período de testes para determinar quais modelos funcionam melhor e oferecem o maior potencial de geração de receita, mas esses são todos modelos viáveis ​​que já existem no ecossistema de publicidade digital.

O DESAFIO DO PAGAMENTO SEGURO

A terceira parte do quebra-cabeça – pagamento seguro – será um desafio um pouco maior para o t-commerce, já que as TVs tendem a existir como dispositivos domésticos compartilhados. Parâmetros de segurança adicionais terão que ser colocados em prática para garantir que a pessoa que fez a compra seja o indivíduo aprovado. Uma solução baseada em PIN é uma possibilidade, mas à medida que se criem tecnologias como reconhecimento facial em seus dispositivos, soluções mais avançadas se tornarão viáveis.

EXPERIÊNCIA ORIENTADA PELO USUÁRIO 

A maneira como os espectadores interagem fisicamente com suas TVs está mudando da experiência tradicional de “retorno mínimo” para uma experiência orientada pelo usuário e sob demanda. Os espectadores controlam o que assistem e quando assistem e podem consumir conteúdo diferente à vontade. Um desdobramento dessa evolução é uma forte oportunidade para os profissionais de marketing de marcas usarem o t-commerce como uma forma de alavancar a mídia que já estão comprando, como anúncios na TV linear. Como os consumidores já estão acostumados a interagir de forma interativa com suas smart TVs para fins de conteúdo, eles estarão mais abertos a usá-lo para transações de comércio eletrônico.

TV COMO CAMINHO PARA INTERAÇÃO DE COMPRA

Em termos de marketing, a TV não será mais um canal de comunicação unidirecional. O comércio eletrônico se tornará a via de mão dupla onde os espectadores podem interagir e comprar de suas marcas favoritas. 

Por exemplo, os anunciantes poderão apresentar ofertas especiais nas quais os espectadores podem participar imediatamente fornecendo um número de celular. Por fim, os consumidores poderão fazer compras diretas de um produto anunciado por meio de suas smart TVs. A revolução do comércio eletrônico tem o potencial de aumentar as vendas e os lucros e de melhorar radicalmente o ROAS (retorno sobre publicidade) das marcas.

Os primeiros adeptos da comunidade de marketing podem colher os maiores benefícios dessa tecnologia emergente. O t-commerce não é mais um conceito. É real, está aqui agora e vários profissionais de marketing já estão implementando estratégias para aprender as melhores maneiras de se envolver com os consumidores de novas maneiras, na televisão. Na evolução do comércio físico para on-line e móvel, o t-commerce é o próximo passo lógico nos esforços multicanais dos profissionais de marketing para oferecer aos consumidores o que eles querem e quando querem. É hora de os profissionais de marketing adotarem essa nova tecnologia ou se arriscarem a ficar para trás.

COMO USAR O T-COMMERCE?

A aplicação do T-commerce é outro exemplo de como os provedores de bens e serviços podem usar aplicativos modernos de mídia digital para alcançar clientes em potencial. A ideia é fazer uso da mídia de uma maneira que não interrompa ou interfira na experiência de visualização, mas permita que os espectadores interessados ​​em determinados produtos obtenham mais informações ou façam um pedido em tempo real. 

Um dos benefícios dessa abordagem é que os anunciantes têm a oportunidade de fazer uma conexão com os consumidores enquanto o nível de interesse é alto, possivelmente levando a vendas que não teriam ocorrido usando métodos mais tradicionais de publicidade televisiva, como comerciais rapidamente esquecidos ou ignorados.

Várias abordagens diferentes para o comércio eletrônico estão atualmente em uso. Alguns direcionam os espectadores para minimizar ou remover com facilidade. Outros exigem o uso de rastreadores ou banners que aparecem e se movem na parte inferior da tela enquanto o espectador assiste a um programa.

Outros aplicativos ainda são mais interativos, permitindo que os espectadores indiquem que desejam mais informações ou até mesmo coloquem rapidamente um anúncio usando alguns meios de pagamento pré-determinados.

LIMITAÇÕES DO T-COMMERCE

Atualmente, o uso do T-commerce é um pouco limitado, com alguns provedores de televisão a cabo e por satélite começando a configurar suas redes para permitir esse tipo de publicidade aos consumidores.

Alguns conceitos incluem o uso de software intuitivo que avalia quais produtos provavelmente interessa ao espectador, com base em seus hábitos de visualização. Por exemplo, se os dados demográficos de publicidade indicarem que os espectadores que assistem a programas sucessivos em determinado canal durante a noite estão dentro de uma determinada faixa etária, os anúncios exibidos se concentrarão no produto relevante para essa faixa etária.

COMO FUNCIONA A PUBLICIDADE NA TELEVISÃO?

Ainda nos primórdios da televisão, algo que surgiu em conjunto e acompanhou o desenvolvimento desse meio de comunicação tão importante na história foram as propagandas. Em alguns casos propagandas disfarçadas em determinados programas.

A publicidade na televisão sempre teve papel importante, tanto que muitos comerciais são lembrados com carinho pelas pessoas porque marcaram suas vidas.

Atualmente, vivemos uma época em que se pode comprar um produto enquanto ele é demonstrado na televisão, ou enquanto se assiste à programação normal, através de um banner, como já conhecemos pela internet.

NOVOS RECURSOS, NOVAS PERSPECTIVAS

Todo o mercado de marketing vem se adaptando aos novos recursos disponíveis, e o t-commerce também entra nessa nova perspectiva para a publicidade.

Esse é o auge da interatividade, provavelmente algo inalcançável para a geração anterior. Algo tão futurista que muita gente pode não acreditar.

Pois bem, um controle remoto tem novas funções. Se canais de vendas sempre fizeram grande sucesso na televisão, eles têm agora esse recurso moderno para atrair mais espectadores e clientes.

ESCOLHA SEU PÚBLICO-ALVO

Os profissionais de marketing tem em mãos mais um canal de vendas, uma possibilidade de se conectar rapidamente com o consumidor. Claro que é possível segmentar, o que facilita a definição de escolha do público-alvo. Isso é feito através de software que avalia o interesse do telespectador.Essa novidade logo deve tomar conta de boa parte das residências, ainda á algo limitado.

COMO USAR O T-COMMERCE PARA AUMENTAR AS VENDAS?

Ainda que atinja um grupo limitado de pessoas, o t-commerce é uma realidade, e do tipo que vira febre. Ao proporcionar a mesma experiência que o e-commerce, o t- commerce atinge quem não sabia que precisava do produto, mas se vê diante de uma oportunidade. É um público que está passivamente esperando pela oportunidade. Enquanto no e- commerce ou no comércio tradicional é o cliente que vai em busca do que deseja comprar, em geral.

Os negócios que buscam se diferenciar e variar os canais de venda devem apostar nessa opção. Afinal, quem chega primeiro bebe a água mais limpa.

No comparativo, o número de televisores é infinitamente maior que o número de computadores nas residências. Isso é resultado de um hábito criado por anos e anos. Já a metade da população acessa a internet diariamente, esse novo hábito está sendo construído ainda.

O próximo passo, o futuro do comércio eletrônico será a união da televisão e da internet. Serão tempos imbatíveis para as vendas, são dois meios extremamente poderosos.

Portanto, se o t-commerce parecia uma tendência até pouco tempo, hoje já é uma realidade. E das mais interessantes para as empresas que desejam se destacar. E ainda que esteja em crescimento, já se apresenta como uma revolução.

PORQUE INVESTIR NO T-COMMERCE?

Muitos são os motivos que convencerão qualquer um a investir nesse meio de comunicação. Primeiramente, o alcance da televisão é impressionante, é responsável por entreter, informar e acompanhar muita gente. E quanto mais avançada a idade da pessoa, mais ela confia naquilo que vê na televisão, exatamente por não ter afinidade com a internet.

PRATICIDADE E CREDIBILIDADE

A grande vantagem na associação da televisão e da internet é a união da tradição com a inovação. Agora imagine associar a sua loja virtual ao t-commerce, podendo oferecer produtos para clientes que estão com o controle remoto em mãos.

Ou mesmo aproveitar essa plataforma e desenvolver algo especificamente. Independentemente da escolha, lá estão as pessoas e você tem o produto. Falta criar a conexão nesse canal que oferece credibilidade e praticidade.

Outra grande vantagem é a certeza que qualquer tipo de produto é bem aceito nessa plataforma. Já que a televisão sempre foi um meio forte para peças publicitárias e continua sendo. Com as atuais formas variadas de divulgação, pode ser potencializado.

O QUE PENSAM OS ESPECIALISTAS SOBRE O T-COMMERCE?

Segundo um dos grandes especialista em Alavancagem de Negócios  diz que a melhor maneira de encontrar o seu cliente é ser encontrado por ele.Ou seja, onde mais o cliente estaria tranquilo e mais propício a abrir o bolso do que relaxado sentado ao seu sofá?

Após estudar durante quase 20 anos o mercado das vendas, percebeu padrões psicológicos na hora da compra. Um deles é que a maior parte das pessoas adora comprar, mas odeia que alguém venda para elas, as pessoas desenvolveram uma resistência natural aos vendedores.

Tanto no e-commerce quanto no t-commerce, as pessoas se sentem com uma autonomia maior na hora da compra, sem estresses e sem pressões externas.

APRENDENDO COM ERROS PASSADOS

O t-commerce tem uma grande vantagem competitiva, as empresas que estão adentrando nesse meio de vendas, puderam aprender bastante com os erros cometidos nos primórdios do e-commerce, entre as décadas de 70 e 90.

Naquela época a fusão do novo com o tradicional não era amparado legalmente e milhares de clientes foram lesados por empresas que não cumpriam com o que anunciavam e muitas empresas foram a falência após serem processadas e sofrerem penas monetárias altíssimas, por incapacidade de prestar um serviço satisfatório ao cliente, ou pela ausência de uma regulamentação para o mercado virtual que possibilitaria um julgamento mais justo para ambas as partes. Porém, hoje em dia as leis que protegem o consumidor e as empresas. O que evita muitos contratempos.

O que achou do conteúdo? Preparado para esse novo comércio?

Marcio Eugênio

Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

Posts relacionados