(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

Pirâmide de Maslow: o que é? Teoria, necessidades e níveis

Por Marcio Eugênio | 20/04/2020
20201
|
0
Pirâmide de Maslow: o que é? Teoria, necessidades e níveis

Quem já estudou marketing alguma vez na vida já deve ter ouvido falar na Pirâmide de Maslow. Embora a teoria tenha sido desenvolvida há bastante tempo, continua sendo muito considerada pelo setor. Sem dúvidas, o principal mérito da Pirâmide é categorizar as necessidades humanas em diferentes hierarquias.

Se você ainda não conhece a Pirâmide, pode estar achando que se trata de um conceito complicado, o que não é verdade. Na prática, essa teoria é bem simples e tem muito a oferecer para o seu negócio virtual. Afinal, não é à toa que ela é usada pela psicologia organizacional para compreender com mais profundidade as motivações das pessoas. 

Entender a lógica da teoria também ajuda a perceber em que estágio os consumidores do seu negócio se encontram e, assim, desenvolver uma marca que possa dialogar com eles. Quer saber mais sobre Pirâmide de Maslow? Siga em frente, a seguir falaremos muito sobre o tema!

O que é a Teoria de Maslow?

piramide de maslow

Em primeiro lugar, vamos esclarecer o que é a Teoria de Maslow. Ela consiste na ideia de que cada indivíduo se esforça muito para alcançar e para conseguir satisfazer as suas necessidades profissionais e pessoais e, para isso, faz uso de um esquema que traz uma divisão hierárquica bem clara e definida. 

Essa divisão da Pirâmide de Maslow considera que as necessidades mais básicas dos indivíduos precisam ser satisfeitas antes das necessidades mais altas. Abraham Maslow, o criador da teoria, também  defende que cada sujeito precisa realizar uma escalada até conseguir chegar nas necessidades que o tornarão plenamente realizado.

Isso explica a razão pela qual a teoria é apresentada na forma de pirâmide. Afinal, cada etapa contempla menos indivíduos, já que nem todos conseguem suprir total ou parcialmente as necessidades e desejos anteriores. Conhecer a lógica desta teoria permite que os empreendedores busquem entender com mais ênfase o público-alvo que querem atender e permite que criem plataformas que dialoguem com essas pessoas.

Por isso, recomenda-se que as marcas olhem para seus consumidores a fim de saber que necessidades essas pessoas têm atendidas e que desejos buscam suprir com o consumo dos produtos ofertados.

Qual a importância da Pirâmide de Maslow?

Agora que você entendeu o conceito da Pirâmide de Maslow, vamos falar sobre a importância desta teoria? Ao hierarquizar as necessidades dos indivíduos, a teoria de Maslow coloca de modo lógico e prático as motivações humanas. Desta forma, fica mais simples de enxergar o que realmente tem valor para os indivíduos.

Seguindo a ideia da Pirâmide de Maslow, entendemos que os indivíduos vão tentar satisfazer com prioridade às necessidades do nível mais baixo, para só depois avançarem para as necessidades de níveis mais altos. Talvez você esteja se perguntando o que irá determinar as prioridades das pessoas. 

Pois bem, as pessoas têm suas necessidades e desejos moldados pelas experiências que foram vividas ao longo da vida. Por isso, embora a Pirâmide de Maslow não aprofunde nas necessidades individuais dos sujeitos, consegue apresentar de maneira geral um bom apanhado da hierarquia dessas vontades. 

Como funciona a hierarquia das necessidades de Maslow?

É importante saber que a Pirâmide de Maslow foi construída seguindo uma hierarquia bem fundamentada. Nela, as necessidades mais básicas estão na base, o que indica que apenas quando forem supridas, ainda que parcialmente, é que darão lugar para as necessidades de estágios acima. 

Como se pode imaginar, a base da pirâmide envolve justamente as necessidades fisiológicas, que são comuns e necessárias para absolutamente todos os seres humanos. Em estágios seguintes, podemos dizer que as necessidades são de segurança, social, estima e realização pessoal. Faz sentido, né?

Isso significa que só uma pessoa que já tem as suas necessidades de comida e de sono supridas terá condições de ir em busca das próximas necessidades. Podemos dizer que o mérito da Pirâmide de Maslow está em apresentar uma hierarquia que pode ser aplicada a todos os habitantes do planeta, independente da sociedade que estejam inseridos.

Quais as necessidades da pirâmide de Maslow?

Agora que já falamos bastante sobre a lógica da Pirâmide de Maslow, vamos para a parte prática? A seguir apresentaremos as necessidades de cada uma das etapas da Pirâmide e explicaremos por que elas estão inseridas naquela hierarquia. Veja aqui:

1. Necessidades fisiológicas

Parece claro e lógico que uma pessoa que não tenha as suas necessidades fisiológicas supridas não poderá pensar nos próximos pontos da Pirâmide de Maslow, não é mesmo? por isso é que fatores como sono, alimentação e excreção são a base da teoria.

Podemos dizer que essa lógica se aplica a qualquer indivíduo, independente da sua condição social, trabalho ou cultura em que esteja inserido. As marcas que venderem para esse tipo de público terão que pensar em produtos básicos, baratos e que tenham mais a ver com a satisfação de necessidade do que de desejo.

2. Segurança

A etapa seguinte da teoria de Maslow envolve a segurança, ou seja, a sensação de que o indivíduo está protegido, seja no âmbito físico, material ou moral. Essa segurança envolve tanto a ideia de resguardo em relação à violência urbana quanto a sensação de estabilidade em um trabalho, por exemplo.

Embora o conceito seja bastante abrangente, pode ser tratado como básico para que o indivíduo possa pensar na próxima etapa da Pirâmide, cuja ideia já passa a ser de necessidade secundária. Ou seja, apenas com a segurança suprida é que as pessoas podem pensar em satisfazer suas necessidades sociais.

3. Social

Essa etapa, por sua vez, envolve conceitos como amor, afeto, comunicação, amizade, pertencimento e intimidade sexual. Desta forma, podemos entender que apenas indivíduos que tenham suprido, pelo menos em parte, as necessidades fisiológicas e de segurança poderão pensar nesse estágio da Pirâmide de Maslow.

Na prática, as relações sociais são aquelas formadas com os indivíduos do nosso círculo social. A sensação de pertencimento com a família, com os amigos e com os colegas de trabalho, assim como de afeto recíproco, são necessidades intermediárias e por isso fazem parte desta etapa. 

4. Estima

Quando falamos em estima nos referimos à auto-estima e também à confiança e ao respeito com os outros e pelos outros. Essa é a penúltima etapa da Pirâmide de Maslow, o que significa que não se trata de uma necessidade básica, mas sim de uma necessidade que surge após as três anteriores terem sido atendidas pelo menos em partes.

Mas, afinal, o que é a estima? Em resumo, é a necessidade de nos sentirmos respeitados e reconhecidos pelos outros. Aqui podemos citar promoções de trabalho e demais fatos que contribuem para a sensação de que satisfação própria. 

5. Realização pessoal

Por fim, a realização pessoal encontra-se no topo da Pirâmide de Maslow, o que significa que é a necessidade mais sofisticada, uma vez que é buscada apenas por quem já passou pelas quatro etapas anteriores. Como realização pessoal podemos entender o próprio crescimento pessoal. 

Esse ponto inclui a nossa busca por alcançar todo nosso potencial, de ser aquilo que desejamos ser, de conseguir realizar a atividade que gostamos e assim por diante. Como esse é o momento mais alto da teoria, é formado por indivíduos que consomem como forma de suprir desejos ao invés de necessidades.

Quais são os níveis da pirâmide de Maslow?

Como você deve ter observado, a Pirâmide de Maslow é composta por cinco níveis. A grande questão desta teoria é que, como sua composição está em forma de pirâmide, cada etapa contempla menos indivíduos. Isso porque apenas quem já supriu suas necessidades anteriores é que partirá para o próximo nível da Pirâmide.

Por isso, podemos dizer que o primeiro nível, que agrega as necessidades fisiológicas, é comum a absolutamente todos os indivíduos do mundo. O nível dois, por sua vez, será almejado por quem tem as necessidades do nível um supridas. E assim segue a lógica da teoria, até chegar ao quinto nível, de realização pessoal, que abrange poucas pessoas. 

Vale destacar que as necessidades anteriores podem ter sido supridas de forma parcial, ou seja, um indivíduo pode partir para a terceira necessidade, que é a social, estando com as necessidades fisiológicas e de segurança supridas em parte. 

É importante falar disso pois dificilmente encontraremos pessoas absolutamente satisfeitas com a sua condição em cada etapa, uma vez que é do próprio ser humano a sensação de insatisfação, ainda que este conceito seja relativo e dependa muitas vezes do ponto de vista de cada pessoa. 

Benefícios da aplicação da teoria de Maslow na organização

Agora que já falamos sobre a hierarquia da Pirâmide de Maslow, você deve estar se perguntando se a teoria tem aplicação nas organizações. Ou seja: se o seu comércio eletrônico pode colher frutos da lógica de Maslow. É claro que sim! Imagine um sujeito que não tenha nenhum tipo de necessidade satisfeita.

Será que alguém que tem as necessidades fisiológicas latentes e que não tem sensação alguma de segurança poderá ser produtivo? Será que poderá se envolver com projetos e prazos? É muito provável que essa pessoa seja improdutiva e desmotivada, sem poder contribuir com todo seu potencial para a empresa onde trabalha. 

Isso não significa que essa pessoa terá que ser substituída, mas que a empresa precisará entender como pode aproveitar melhor o potencial desse colaborador. Justamente por isso é que a teoria de Maslow é tão considerada para a psicologia organizacional. 

Áreas de gestão e de recursos humanos podem utilizar a Pirâmide de Maslow para conseguir entender como podem se posicionar de forma adequada diante dos colaboradores, e tudo isso também pode ser aplicado para o público-alvo e até mesmo para os fornecedores. A seguir, veja três maneiras aplicar a teoria de Maslow para o seu negócio: 

Identificação das necessidades dos colaboradores

Ao analisarmos a hierarquia de necessidades apresentadas na Pirâmide de Maslow, podemos entender que a empresa precisa olhar para seus colaboradores de maneira integrada, oferecendo um salário adequado, que seja suficiente para que arquem com despesas e para que possam satisfazer suas necessidades.

Embora pareça óbvio falarmos disso, muitos empreendedores querem remunerar os seus funcionários com valores abaixo do mercado, o que impacta diretamente na motivação que apresentam para desempenhar as funções solicitadas. Sem dúvidas, um funcionário que tenha alcançado o topo da pirâmide será alguém mais efetivo ao seu negócio.

Administração eficiente do capital humano

Além disso, a aplicação da teoria de Maslow pode ser conduzida pelo viés do capital humano. Mas o que isso quer dizer? Significa que uma empresa precisa entender que possui funcionários em diferentes estágios, com variadas capacidades e em pontos distintos da sua carreira.

Administrar essas diferenças com eficiência permite que o empreendedor valorize o momento individual de cada funcionário, identificando a necessidade que ele possui naquele momento. Isso irá permitir que a empresa tenha aliados que possam trabalhar de verdade pelo negócio. 

Motivação dos colaboradores

Por fim, a Pirâmide de Maslow também pode contribuir para a motivação dos colaboradores de um negócio. Lembre-se que investir no ânimo de seus funcionários faz com que você invista diretamente na motivação que o seu negócio terá para o cliente. Embora seja lógico, nem todo mundo enxerga isso! 

Ao ter uma equipe eficaz, produtiva e com capacidade de solucionar problemas, você poderá oferecer um serviço de mais qualidade para os seus consumidores, destacando-se da concorrência e tendo um negócio cada vez mais lucrativo. Comece aplicar a teoria da Pirâmide de Maslow agora mesmo!

Como você pode ver, a Pirâmide de Maslow tem muito a contribuir para o seu negócio. Com ela, é possível criar uma empresa mais humana, que considere a necessidade dos indivíduos e reconheça que funcionários valorizados podem somar muito mais do que uma equipe que não recebe a remuneração adequada e nem o reconhecimento merecido.

Agora que você já se aprofundou bastante no tema, que tal ler sobre marketing para lojas virtuais? Sem dúvidas, a divulgação faz muita diferença para o crescimento e para a consolidação do comércio eletrônico. Com ela, é possível chegar a muito mais gente e tornar o seu e-commerce conhecido. Boa leitura! 

Marcio Eugênio

Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

Posts relacionados