Saiba a diferença entre vender produtos próprios ou de um fornecedor

Saiba a diferença entre vender produtos próprios ou de um fornecedor

633
0

Na hora de planejar a criação de uma loja virtual é necessário decidir se os produtos vendidos serão produzidos pela marca ou se serão comprados de um fornecedor. As duas possibilidades são viáveis, porém conduzem para procedimentos diferentes, que envolvem o contato com fornecedores, a organização dos insumos e a gestão do estoque. Veja qual é a diferença entre vender produtos próprios ou de um fornecedor:

Produtos próprios

A grande vantagem de vender um produto criado por você é a exclusividade e a certeza de que os consumidores não o encontrarão em outros comércios eletrônicos. Isso se aplica a itens como jóias e bijuterias, artesanatos e vestuários. Por outro lado, é necessário ter controle sobre a quantidade de cada produto em estoque e sobre as etapas da produção, ou seja, o tempo demandado para que um artigo seja criado e disponibilizado para a venda.

Outro ponto alto deste modelo é a facilidade em criar novas coleções e em atualizar os produtos já existentes conforme o feedback dos consumidores e as tendências da moda. Além disso, como os itens são produzidos pela própria loja e não têm um preço fixo determinado pelo fornecedor, os custos de cada processo devem ser contabilizados e controlados, pois serão determinantes para o preço final do produto.

Produtos de um fornecedor

Nesta modalidade, os produtos vendidos não são produzidos pela loja virtual, e, por isso, podem ser das mais variadas categorias. O maior risco de vender artigos de um fornecedor é a possibilidade de encontrá-los em outras lojas, inclusive com preços menores. Vale lembrar que os itens desta modalidade não possuem muita possibilidade de diferenciação, então a loja virtual terá que procurar outros fatores que consigam agregar valor à venda e possam motivar os clientes a efetivar a compra.

Ainda que exista este desafio, vender artigos de um fornecedor é possível e pode trazer retorno financeiro positivo se a estratégia for bem pensada. É muito comum, por exemplo, que as lojas virtuais que optam por esta modalidade vendam produtos de diferentes marcas e fornecedores, oferecendo aos clientes um espaço com grande sortimento. Esta variedade é um diferencial que tem poder de influência na decisão de compra.

Cabe destacar que, para que o fluxo de venda funcione de forma efetiva, é fundamental que exista um bom relacionamento da marca com o fornecedor, fazendo com que os produtos comercializados sejam entregues ou repostos com agilidade e garantam uma boa experiência de compra aos clientes. Além disso, para que você possa vincular o nome da sua loja ao de um fornecedor, deve ter conhecimento suficiente sobre a qualidade dos produtos oferecidos por ele. Isso evitará a venda de artigos que não satisfaçam as necessidades dos clientes e otimizará o trabalho de pós-venda.

Tem dúvidas sobre o modelo o ideal para você?

Para escolher a melhor modalidade de venda, você deve conhecer o segmento ao qual quer direcionar o seu negócio, o público com o qual quer trabalhar e as etapas de produção que está disposto a fazer.

DEIXE UMA RESPOSTA