O guia para criação de negócios lucrativos

O guia para criação de negócios lucrativos

171
0

Todo empreendedor, digital ou não, sonha em ter uma marca de sucesso, conquistar mercado e, claro, vender bastante. Apesar de serem metas extremamente importantes, muitos empresários acabam se esquecendo do básico: o lucro. Afinal, negócios lucrativos dependem de diversos outros fatores, mas, principalmente, de uma boa gestão financeira.

Sim, é possível que você faça tudo certo, seguindo todos os passos para a abertura de uma empresa e, mesmo assim, ela não dê lucro. E isso é fatal para qualquer negócio, sobretudo no meio digital, em que os mercados são mais fluídos. Ninguém consegue se manter sem ser lucrativo.

Se de um lado abrir o próprio negócio é um desejo de muitos, de outro, é a única opção. Em tempos de crise, empreender acaba sendo a alternativa para muitas pessoas, e nem sempre a verba acompanha a vontade de crescer.

Mas nada disso é motivo para desistir. O fato é que, independentemente de como anda o mercado ou do setor de atuação, para se ter um negócio lucrativo é preciso pesquisar bastante e planejar todas as ações de maneira realista.

Sendo assim, é hora de correr atrás! Para começar na sua busca por conhecimento, montamos este guia para a criação de negócios lucrativos. Esperamos que ele possa ajudar você a ter boas ideias e organizar suas finanças. Confira!

O que é um negócio lucrativo?

Antes de tudo, é necessário explicarmos em que realmente consiste um negócio lucrativo. Pode parecer óbvio, no entanto, conceitos como lucratividade e rentabilidade são bastante confundidos mesmo por gestores mais experientes.

Essa é uma relação entre o lucro líquido e o investimento inicial realizado, de modo que a receita seja maior que seus gastos e despesas. Ou seja, quanto mais rápido houver um retorno sobre o capital investido, mais uma empresa ou produto é rentável. O valor pode ser calculado da seguinte forma:

  • Rentabilidade = Lucro Líquido × 100 ÷ Investimento

Já a lucratividade pode ser entendida como o ganho que se teve com a venda de um produto ou a prestação de um serviço em relação à receita total. É o principal indicador para a precificação, uma vez que o valor é calculado depois de excluídos os custos. O cálculo é feito assim:

  • Lucratividade = Lucro Líquido × 100 ÷ Receita total

Enfim, não pense que estamos divagando no assunto, pois esses dois valores são os principais indicativos de que um negócio é lucrativo ou não. E a ideia é muito simples: se não houve retorno sobre o investimento e se a empresa gasta mais do que ganha, não há porque ela continuar existindo.

Isso porque, por mais que você goste da sua área de atuação, deseja ser seu próprio chefe ou qualquer que seja o motivo para abrir um negócio, a razão principal dele existir continua sendo o lucro. Não dá para uma empresa se manter no mercado sem ser lucrativa.

Em resumo, negócios lucrativos são aqueles que geram renda suficiente e são capazes de se manter de maneira autônoma no mercado. São aqueles que têm uma função social e contribuem para o crescimento da economia.

Como montar um negócio lucrativo?

Agora que você já entendeu o que é e qual é a importância de um negócio ser lucrativo, é hora de focarmos na estratégia para a abertura da sua empresa de maneira segura. É bom destacar que cada uma das etapas a seguir são de suma importância e, por isso, não devem ser negligenciadas. Acompanhe!

Escolha um nicho de mercado

Você já deve ter percebido que é possível encontrar de tudo na internet. Os negócios digitais vão desde grandes varejistas, como Submarino e Walmart, até pequenas lojas bem específicas, por exemplo, que vendem apenas sapatos femininos nos números 33 e 34.

Pode ser muito difícil concorrer com os grandes logo no início, pois eles já contam com uma estrutura completa e uma marca solidificada. Daí a importância de se escolher um nicho de mercado, que consiste numa área de atuação menos abrangente e que atinge um público-alvo específico.

Identifique o público-alvo

Em um mesmo nicho de mercado pode haver diferentes públicos, pois eles são configurados não apenas pelas preferências por determinado produto, como também pela localização, idade, pelo poder aquisitivo, entre outros fatores.

Por exemplo, continuando a falar sobre a loja de sapatos 33/34, não basta dizer que atende mulheres que tenham os pés pequenos. Ela também pode vender somente para o Sudeste e ter produtos mais refinados. Dessa forma, o público-alvo acaba sendo decisivo para o posicionamento da empresa no mercado.

Analise a concorrência

Mas e se a ideia já estiver sendo usada, por melhor que ela seja? O fato é que é muito difícil hoje encontrar um modelo de negócio que não exista. E sim, já adiantamos que existe uma loja de sapatos de número 33 e 34.

Portanto, é fundamental fazer uma boa pesquisa de mercado para saber se uma ideia já existe e quem são os possíveis concorrentes. Isso não quer dizer que você tenha que criar algo totalmente novo. O melhor é criar ou encontrar um diferencial que faça seu negócio se destacar diante dos outros.

Faça um planejamento estratégico

Se até aqui você já conseguiu definir o escopo do seu negócio e seu público-alvo, agora é hora de começar a planejar todas as etapas para a implantação. O planejamento estratégico é um dos passos mais importantes para a abertura de uma empresa, ainda que seja negligenciado muitas vezes.

Assim, crie um documento detalhando tudo o que fará parte da empresa, como a infraestrutura, o investimento que será feito, quantos e quais colaboradores serão alocados, o modelo de negócio etc. Não se iluda achando que dá para seguir sem o planejamento, pois não existem negócios lucrativos sem ele.

Construa um bom relacionamento com os fornecedores

Ninguém constrói nada sozinho. Essa é a própria realidade da vida em sociedade. Por isso, é bom desde o início você se cercar de bons fornecedores, que ofereçam produtos e serviços de qualidade e sejam comprometidos.

Parece algo pequeno diante de todo o resto, mas é um fator capaz de impulsionar ou atrapalhar o seu crescimento em longo prazo. Um bom relacionamento com um fornecedor pode ser decisivo, por exemplo, se sua demanda aumentar muito e você precisar repor o estoque rapidamente.

Selecione bem sua equipe de colaboradores

E por falar em parcerias, se elas já são necessários fora da empresa, imagina dentro dela? É comum que no começo os empresários procurem uma mão de obra mais em conta. No entanto, colaboradores capacitados podem fazer muita diferença, contribuindo para um negócio lucrativo de verdade.

Além de capacitadas, também é muito importante que todas as pessoas envolvidas acreditem no projeto do qual vão participar e estejam realmente engajados. Ao contrário das grandes empresas, que já contam com uma marca sólida, trabalhar em um negócio em construção pode ter outras vantagens para a carreira profissional, como a experiência e o aprendizado.

Invista em tecnologia conscientemente

A tecnologia é uma importante aliada para a criação de qualquer negócio lucrativo, independentemente do tipo de mercado. Para o meio digital, ela é ainda mais importante, uma vez que existem diversas ferramentas capazes de captar e transformar dados em insights para a tomada de decisão.

Dessa forma, aproveite todo o potencial dos sistemas de gestão integrada, de business intelligence, entre outros. No entanto, saiba quando e como investir, pois há uma grande diversidade de opções no mercado, sendo necessário escolher aquelas que oferecem um serviço mais completo por um custo acessível.

O que é preciso saber sobre gestão financeira para abrir um negócio?

Bom, até agora você viu o que é preciso para abrir empresas, mas elas só vão se tornar negócios lucrativos a partir de uma boa gestão financeira. A lucratividade e a rentabilidade dependem bastante de decisões acertadas a respeito de questões estratégicas, como veremos adiante.

Se essa não é bem a sua especialidade, o melhor é contar com um ou mais profissionais da área. No entanto, também é bom procurar se capacitar, por meio de cursos específicos, ainda que de curta duração, pois, por mais que você tenha alguém para cuidar das suas finanças, é fundamental saber como o seu dinheiro está sendo aplicado.

Veja alguns pontos importantes para uma boa gestão financeira de um negócio lucrativo.

Planejamento financeiro

Uma gestão financeira eficiente, mesmo para as pequenas empresas, depende de um bom planejamento. Assim como no estratégico, o planejamento financeiro precisa ser detalhado, envolvendo todos os processos e etapas, desde a implantação.

Inclusive, é necessário constar como, quanto e quando será investido, entre outros detalhes. O mais importante é que o planejamento sirva para nortear suas ações. Isso, é claro, não significa que ele deva travar alguma decisão, até porque podem surgir alguns imprevistos.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa ainda é bastante negligenciado por alguns gestores, por não entenderem o papel dele na gestão financeira e na tomada de decisão. Trata-se de um controle rigoroso de todas as entradas (recebimentos) e saídas (pagamentos de fornecedores e outros custos) da empresa.

O fato é que esse registro é a principal forma de um gestor entender as finanças de uma empresa e saber se um negócio é lucrativo ou não. Além disso, é possível prever momentos de queda nos recebimentos para se programar melhor em relação aos pagamentos e antever qualquer problema.

Há anos as empresas mais tradicionais utilizam planilhas de papel ou eletrônicas para fazer o fluxo de caixa. Mas, felizmente, já existem diversos sistemas de gestão que integram o fluxo de caixa ao controle do estoque e todas as outras funções da gestão financeira.

Gestão de custos

A gestão de custos é muito importante para as finanças de negócios lucrativos, uma vez que o entendimento desses valores influencia diretamente nos resultados. Ela também é essencial para a precificação, como vimos quando falamos sobre a lucratividade.

Nada mais é do que o detalhamento de todos os custos da empresa, apresentando ao gestor as informações necessárias sobre o que pode ser cortado ou reduzido quando for preciso. Afinal, apenas um custo desnecessário pode ser suficiente para comprometer o lucro e a competitividade do negócio no mercado.

Os custos são divididos em fixos, como aluguel e pagamento de colaboradores, e variáveis, como as contas de água e energia e os gastos com matéria-prima. É bom saber diferenciá-los, uma vez que dificilmente será possível cortar um custo fixo de maneira imediata, e uma grande oscilação nos variáveis pode afetar diretamente o preço final de um produto ou serviço.

Controle de estoque

Já falamos sobre a importância de se ter um software de gestão. Com ele, dá para manter um bom controle sobre as entradas e saídas de capital e também do estoque. Pode parecer irrelevante diante de outros fatores, mas muitas empresas fecham ou perdem mercados por problemas de abastecimento.

Até mesmo os pequenos negócios perdem clientes caso não tenham um produto em estoque. E basta que um fornecedor atrase uma entrega para que suas vendas sejam comprometidas. Por isso, é necessário ficar atento a todas as quantidades, as datas de validade, o tempo de entrega de novos pedidos pelos fornecedores, as condições de estocagem, entre outros detalhes.

Organização e gestão do tempo

A tradicional cena de um gestor muito ocupado e com uma mesa cheia de pilhas de papéis não combina com negócios lucrativos. Pelo contrário, ser organizado e com uma boa habilidade de gerir o tempo são competências exigidas de qualquer empreendedor.

Dessa forma, aprenda a organizar o seu tempo e a reservar um prazo necessário para a realização de cada tarefa. Da mesma maneira, cuide para que todos os seus documentos, contas e comprovantes estejam em ordem e em dia.

Isso contribui para uma maior eficiência na sua rotina e até para que você possa se concentrar em questões mais estratégicas e menos operacionais, bem como buscar uma maior capacitação.

Quais tipos de negócios lucrativos posso abrir?

Viu como dá para abrir e manter um negócio lucrativo? Mas, afinal, quais são os modelos de negócios que apresentam maior lucratividade atualmente? É melhor investir em quê?

Pois é, tudo que já falamos neste post até agora serve para a abertura de qualquer empresa. Porém, obviamente, algumas podem ser mais lucrativas, dependendo das conjunturas do mercado. A seguir, confira as áreas em alta na atualidade.

Produtos inovadores

Indiscutivelmente, um produto inovador ou criações próprias são sempre ótimas opções. É o caso de novos softwares e aplicativos, peças artísticas (quadros, músicas, livros etc.), máquinas e ferramentas, alimentos e bebidas, entre tantos outros.

Qualquer produto que seja único ou apresente uma vantagem competitiva pode ter mais valor agregado. Isso não é suficiente para a criação de negócios lucrativos, tendo em vista os outros fatores já mencionados, mas já é um passo importante.

Prestação de serviços diversos

A vantagem da prestação de serviços é não demandar um valor muito alto para o investimento inicial. Não é preciso adquirir máquinas e equipamentos caros ou investir grandes somas em pesquisa e desenvolvimento. Pode-se ampliar a empresa aos poucos, de acordo com o próprio sucesso do negócio.

No entanto, a competição do mercado pode ser uma barreira a ser superada. Para isso, é fundamental que a sua empresa encontre um diferencial, não importa o ramo de atuação (segurança, limpeza, publicidade, contabilidade etc.), além de um nicho de mercado ainda pouco explorado.

Consultoria especializada

Se você é especialista em sua área e um profissional bastante requisitado, já tem meio caminho andado para a abertura de um negócio lucrativo. Dessa forma, como no caso da prestação de serviços, as consultorias têm a vantagem de precisarem de pouco investimento.

O mais importante é saber conservar a sua reputação, que é o bem mais precioso para qualquer consultor. Além disso, é necessário buscar atualização constante, pois quem procura uma consultoria sempre quer conhecer o que há de novo no mercado.

Revenda de produtos

Essa talvez seja a categoria mais abrangente de negócios lucrativos. Aqui, se encontram desde as pequenas lojas virtuais altamente especializadas, até os grandes varejistas e atacadistas.

De qualquer forma, o sucesso desse tipo de negócio, sobretudo na internet, depende bastante do atendimento, do estoque e da logística. Quando bem-feitos e em harmonia, esses três fatores contribuem para uma boa experiência dos clientes, o que aumenta a satisfação e aumenta as chances de fidelização deles.

Microempreendimentos

Com o surgimento de grandes plataformas digitais, tem crescido a tendência de criação de negócios muito pequenos. Esses microempreendimentos também exigem pouco ou nenhum investimento, já que é possível aproveitar algo que você já tenha.

É o caso de oferecer seus serviços de motorista particular em aplicativos como o Uber, alugar sua cada pelo AirBnB ou até a venda do seu artesanato em um marketplace, como o Mercado Livre. As possibilidades são muitas, basta saber aproveitá-las de maneira adequada.

Por que contratar uma consultoria?

Com todas essas dicas, criar negócios lucrativos ainda não é a tarefa mais simples de se fazer sozinho. Além de buscar conhecimento e de se cercar de bons colaboradores, pode ser necessário contratar uma consultoria especializada em abrir lojas virtuais.

Isso porque, mesmo que tenhamos falado sobre diversos pontos para a abertura de um negócio, uma loja virtual ainda envolve uma série de questões específicas, próprias do ambiente digital. Inclusive, diversos bons gestores de empresas físicas sofrem ao migrar para a web, por não entenderem as peculiaridades desse mercado.

Uma consultoria pode auxiliar, por exemplo, na criação do site, na escolha da plataforma de e-commerce mais adequada, nos processos de logística e pagamento, na descrição dos produtos, nos canais de atendimento e muito mais! Ela atua em diferentes frentes, de acordo com o segmento e as necessidades de cada negócio.

Porém, é provável que a atuação mais relevante esteja relacionada à estratégia de marketing digital, pois as técnicas de atração e retenção de clientes em uma loja virtual, voltadas para a experiência do usuário, são bem diferentes em comparação com as utilizadas no marketing tradicional.

Não se trata apenas de aparecer no Google. A estratégia de marketing digital para um e-commerce é bastante direcionada, com o intuito de conquistar e fidelizar clientes em potencial. É uma forma mais eficiente de dialogar com o público-alvo da empresa, ao contrário das estratégias tradicionais, que visam atingir o maior número de pessoas possível.

De modo geral, podemos indicar as principais vantagens de se contratar uma consultoria em marketing digital e abertura de e-commerce:

  • desenvolvimento de uma estratégia personalizada, com foco no segmento, nos concorrentes, no público e nos diferenciais de mercado;
  • definição de metas específicas, de acordo com seus objetivos e as possibilidades da própria empresa;
  • análise do comportamento do cliente em potencial na web, com suas preferências e formas de consumo, para a compreensão da jornada dele até encontrar a loja virtual e adquirir um produto;
  • criação de personas alinhadas às suas expectativas e ao seu segmento de mercado;
  • realização de orçamentos realistas, de acordo com suas necessidades e capacidades de pagamento;
  • mensuração e análise de resultados a partir das metas preestabelecidas para saber se, de fato, a empresa é um negócio lucrativo;
  • acompanhamento de todas as etapas, de maneira detalhada, com relatórios completos e profissionais altamente especializados.

Vale destacar também que uma consultoria tem amplo conhecimento no mercado, com a experiência necessária para construir e alavancar um negócio. É uma forma de contar com uma visão crítica sobre suas possibilidades, de maneira imparcial e efetiva.

É comum que o empreendedor tenha uma visão muito otimista sobre uma ideia de negócio e sua implementação. Não que seja algo ruim, mas é sempre bom contar com um entendimento mais realista e baseado em informações e experiências sólidas.

Sendo assim, uma consultoria tem o diferencial de indicar a melhor forma de aplicar seu dinheiro, o que implica diretamente na sua capacidade de gerar bons lucros.

Por fim, é bom frisar que negócios lucrativos não surgem de uma hora para outra. Ainda que você tenha se impressionado com cases que parecem apontar o contrário, saiba que o sucesso depende sempre de muito trabalho, dedicação, pesquisa e a capacidade de se adaptar e inovar. No mais, agora é acreditar e colocar a mão na massa. Boa sorte!

Gostou de saber como abrir negócios lucrativos? Quer ver outras dicas sobre como criar uma loja virtual? Então, acesse e se inscreva no nosso canal no YouTube e confira nossos vídeos exclusivos!