iFood: Passo a passo para planejar o seu delivery

iFood: Passo a passo para planejar o seu delivery

776
0
Smartphone com um
Pensando em abrir um delivery no iFood? Confira o passo a passo de como planejar o seu delivery no Blog da D Loja.

Você tem um restaurante e gostaria de aumentar as vendas, e acha que o iFood é um ótimo lugar para fazer isso.

Ou então pretende criar um negócio de delivery de comida do zero, e também acha que o iFood é um bom lugar pra começar.

Se você se identifica com uma dessas situações, mas ainda tem dúvidas sobre como proceder, como funciona a plataforma, quais são as taxas envolvidas, etc, acompanhe nosso blog, que iremos publicar diversos textos com um passo a passo para você iniciar suas operações no aplicativo, fazer as primeiras vendas e alcançar sucesso no iFood.

No texto de hoje, iremos abordar dois temas importantes pra quem quer começar na plataforma: quem pode usar o iFood, e quais são as taxas e cobranças do aplicativo.

O que é iFood?

Mão segurando um Smartphone com o iFood aberto, um prato feito na parte superior do display.

O iFood é uma plataforma de delivery fundada em 2011 como uma startup. Seis meses após a fundação, o aplicativo já tinha mais de 600 restaurantes cadastrados na cidade de São Paulo. 

Atualmente, o iFood tem mais de 130 mil restaurantes cadastrados em todo o Brasil, e atua em mais de 900 cidades do país, além de estar presente também na Argentina, Colômbia e no México.

No ano de 2019, o aplicativo registrou quase 160 milhões de pedidos, consolidando seu lugar de líder no setor na América Latina.

O aplicativo funciona como um agregador de restaurantes que oferecem comida para entrega. Os restaurantes realizam o cadastro, disponibilizam seus cardápios e informam os locais onde podem fazer as entregas.

Os clientes entram no aplicativo ou no site, informam sua localização, escolhem entre os restaurantes disponíveis e fazem o pedido. O restaurante recebe o pedido (via Gestor de Pedidos), prepara e envia para a entrega. 

Quem pode usar o iFood?

Basicamente, qualquer restaurante ou empreendedor que queira realizar delivery de comida. Mas, existem alguns requisitos que você precisa cumprir para poder cadastrar sua empresa no iFood.

Os requisitos são poucos, mas são importantes:

  • Uma empresa com CNPJ;
  • Computador com Windows e Internet;
  • Equipe própria de entregadores (também pode optar pela entrega do próprio iFood, mas existe uma taxa e você precisa consultar se o serviço é disponível na sua área).

Você não precisa necessariamente ter um restaurante ou ponto de vendas físico, você pode operar apenas via delivery em algum ambiente fechado ao público, ou mesmo de casa. Mas é necessário cadastrar o endereço no aplicativo, para indicar a área  na qual seu restaurante irá realizar as entregas. 

Também é necessário manter um bom atendimento aos clientes, preparar comida de qualidade, ter responsabilidade com as entregas, e é essencial manter um rigoroso padrão higiênico, para evitar qualquer tipo problema para os clientes e os colaboradores. 

Quanto o iFood cobra do restaurante?

Uma dúvida bem comum é sobre a taxa do iFood. Como funciona a cobrança do aplicativo aos restaurantes?

Primeiro, temos que entender como funciona o cadastro. Quando você vai cadastrar seu restaurante no iFood, pode optar por duas modalidades: o iFood Básico e iFood Entrega.

A diferença entre os planos é que com o iFood Entrega, você conta com a logística de delivery do próprio aplicativo, sem precisar necessariamente ter sua equipe de entregadores.

Você só precisa se preocupar em realizar a venda, o iFood irá recolher o pedido no seu restaurante e entregá-lo na casa do cliente. 

Quanto às taxas, são as seguintes:

PlanoiFood BásicoiFood Entrega
EntregaRealizada pelo restauranteRealizada pelo iFood
Comissão do app12% sobre os pedidos + 3,5% se o pagamento for feito pelo app27% sobre os pedidos
MensalidadeR$ 100R$ 130
DisponibilidadeQualquer lugarApenas em regiões atendidas por motoristas do iFood

 

A modalidade iFood Entrega oferece maior comodidade ao restaurante, que se preocupa apenas em preparar o pedido, e por isso tem um custo maior.

Porém, essa funcionalidade não está disponível em todas as cidades. É necessário consultar a disponibilidade desse serviço na sua região antes de escolher o plano Entrega. 

O aplicativo também cobra uma comissão de 12% à 27% sobre o valor total do pedido, incluindo a taxa de entrega.

Esse valor pode ser repassado (parcial ou totalmente) para o cliente, ajustando o valor dos produtos, ou ser inserido nos seus custos, reduzindo um pouco sua margem de lucro e tendo maior retorno na quantidade de vendas, dependendo da estratégia mais adequada ao seu restaurante e seu momento. 

Esses fatores devem ser levados em consideração antes de precificar os pratos e produtos, para evitar que você tenha prejuízos com as vendas na plataforma, ao invés de aproveitá-la para aumentar os lucros do seu restaurante. 

A estratégia de precificação e de logística adequada aos seus objetivos e ao seu restaurante, você consegue atrair uma nova clientela ao seu restaurante, ou construir uma base de clientes, caso esteja criando um negócio do zero.

Com comida e atendimento de qualidade, e seguindo nossas dicas para negócios locais e Delivery, você pode maximizar os lucros da sua empresa e garantir um crescimento sustentável ao seu empreendimento.

Continue acompanhando nosso blog e canal no YouTube para mais dicas sobre e commerce e como utilizar aplicativos de Delivery no seu negócio local.

Caso queira uma análise e estratégia personalizada para sua empresa, entre em contato com um de nossos especialistas e saiba mais sobre nossos serviços de consultoria.

Até a próxima, e boas vendas!

Artigo anteriorO que é e como instalar corretamente o Gestor de Pedidos iFood
Próximo artigoCanais de Marketing: qual o melhor para seu e commerce?
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.