Modelo de negócio: o que é e como fazer? Passo a passo...

Modelo de negócio: o que é e como fazer? Passo a passo aqui!

1941
0

Você já parou para pensar na quantidade de empresas que existem, em diferentes segmentos e tamanhos, em diversos locais e para públicos distintos? Como conseguir inovar em meio a tantos fatores? Bom, é por isso que quando se abre uma empresa, é importante pensar no modelo de negócio.

O mercado pode oferecer muitas possibilidades e cabe ao gestor de uma loja virtual entender qual é o caminho ideal para conduzir o seu negócio. Afinal, cada negócio apresenta potenciais que o definem e podem ser determinantes para o sucesso ou o fracasso.

Assim, a escolha do modelo de negócio está diretamente ligada ao planejamento estratégico. Ficou interessado? Quer entender melhor como funciona e quais são os tipos de modelos? Continue a leitura do post para saber mais!

O QUE É CONCEITO DE NEGÓCIO?

Na área da Economia, negócio é qualquer atividade econômica que ofereça produtos ou serviços e que promova a circulação de dinheiro. Essas atividades podem ser feitas a partir de um comércio ou de uma empresa. 

Desta maneira, uma loja tradicional ou virtual se configura como um negócio. Mas dentro de cada empresa existem especificidades, já que o mercado, o segmento e público-alvo têm características próprias. 

Nessa medida é que surge a necessidade de criar um plano de negócios, que busca entender de forma ampla e profunda toda a atividade na qual a empresa está envolvida, possibilitando que sua atuação no mercado se prolongue. Falaremos disso a seguir!

O QUE É UM MODELO DE NEGÓCIO?

Existem várias definições para a expressão modelo de negócio. A mais difundida se refere às capacidades de uma organização em criar, renovar, inovar ou agregar valor a uma ideia no mercado. Seria como um plano de ação, no qual se propõe uma maneira de agir, de acordo com tendências que apontam um caráter competitivo de uma empresa. 

Ou seja, o plano de negócios nada mais é do que um conjunto de estratégias nas quais se baseia toda a concepção do negócio. É a partir dessa estratégia que a empresa será definida e reconhecida a partir de então. Os diferentes tipos de modelo de negócio ajudam as empresas a estabelecerem preços, relacionamentos e áreas de atuação.

Esses fatores que constituem um modelo de negócio são fundamentais para a inovação e o sucesso de uma empresa. Além disso, a própria criação de novos modelos tem sido importante para a disrupção de mercado, gerando impactos em diversas frentes. É o caso dos serviços de streaming na área de entretenimento e os aplicativos de serviços de táxi.

PARA QUE SERVE UM MODELO DE NEGÓCIO?

O modelo de negócios é a base de qualquer empresa e a sua existência é fundamental para garantir que as escolhas feitas ao longo do caminho serão tomadas com base em estudo e em evidências, gerando valor. Em resumo, o modelo de negócios analisa as motivações de uma empresa e avalia se as metas são realmente viáveis.

A partir dessas definições iniciais, é possível se aprofundar em relação ao produto, segmento, público e concorrência e traçar estratégias que realmente possam contribuir com a consolidação e com o sucesso da proposta da empresa. Ou seja, o modelo de negócios é responsável por conduzir o empreendimento por um caminho mais seguro. 

PASSO A PASSO DE COMO FAZER UM MODELO DE NEGÓCIO

Mas afinal, o que deve ser feito para construir um modelo de negócios para a empresa? Para pensar nesta etapa, é importante que o empreendedor já tenha formulado algumas ideias do que pretende oferecer e de como criará a estrutura da sua empresa. A principal ferramenta que auxilia esta etapa é o Business Model Canvas (BMC). 

No entanto, ela serve para que seja possível visualizar a estrutura do negócio e buscar respostas para o que ainda não está definido. Por esse motivo, o Modelo Canvas só deve ser aplicado quando já existe uma noção sobre como o negócio será feito. Do contrário, a ferramenta não terá grande serventia. Veja os passos para fazer um modelo de negócio:

1. PENSE NO PRODUTO OU SERVIÇO QUE OFERECERÁ

O primeiro passo para criar uma empresa sólida é saber que tipo de produto ou serviço quer oferecer. Depois disso, poderá se aprofundar mais no segmento que a sua empresa estará inserida e, assim estudar o contexto. 

2. DETERMINE QUEM SERÁ O SEU PÚBLICO-ALVO

O público-alvo impacta numa série de decisões que o gestor de uma loja virtual faz. Dependendo das pessoas que atende, a loja poderá ser mais simples ou sofisticada, por exemplo. Conhecer as necessidades desse público é fundamental para criar uma empresa.

3. ANALISE A CONCORRÊNCIA

Saber quais empresas já estão no mercado antes de você faz com que seja possível pensar em diferenciais para o seu negócio. Afinal, você não quer entrar no mercado para vender uma coisa que já existe, né?

4. CRIE UMA LOGÍSTICA

Analisar as possibilidades de logística faz com que você entenda se é mesmo viável vender determinado produto pela internet. Se for, busque fornecedores e avalie a possibilidade de recorrer a uma transportadora ou usar os Correios.

5. TENHA UMA IDEIA SOBRE OS CUSTOS

Quanto custa para tirar o seu negócio do papel? Esse valor é viável para você? Quanto tempo demora para recuperar o investimento? A resposta dessas perguntas indica se o negócio é realmente interessante. 

QUAIS SÃO OS TIPOS DE MODELO DE NEGÓCIO?

Com o surgimento de novos modelos ou a ampliação dos antigos, fica difícil limitar apenas a alguns tipos. Pensando disso, falaremos sobre os modelos principais e mais difundidos no mercado. Assim você terá uma ideia bem palpável sobre as possibilidades do plano de negócios. Confira a seguir:

B2B E B2C

O Business to Business (B2B) se baseia na relação de trocas comerciais entre duas ou mais empresas. Envolve apenas pessoas jurídicas, sendo que a empresa pode estar inserida numa longa cadeia de valor. É o caso de fornecedores de matérias-primas e empresas de serviços, como agências de publicidade, integradoras de TI, entre outras.

Já o Business to Consumer (B2C) é o modelo de negócio voltado para o consumidor final. As empresas vendem ou prestam serviços diretamente para a ponta da cadeia. Isso acontece na maior parte das empresas varejistas. Algumas também podem ser mistas, atendendo o consumidor e outras empresas, como as empresas de software.

MODELO D2C

No Direct to Consumer (D2C), o fabricante vende de forma direta para o cliente final, sem a necessidade de contar com o trabalho de um intermediário. Esse é o modelo adotado por muitas empresas de materiais eletrônicos, hardwares e até mesmo por pequenas empresas varejistas.

ASSINATURAS

A modalidade de assinaturas funciona com o pagamento de um valor fixo mensal, trimestral ou anual. Desta forma, o cliente recebe um serviço ou produto constantemente. É o caso dos clubes de compras de vinhos, cervejas e produtos de beleza, e também dos serviços de streaming e TV a cabo.

E-COMMERCE

Sem dúvidas, essa é a forma mais tradicional de venda pela internet. Nesse modelo, uma loja faz as transações a partir de uma plataforma online, onde o cliente escolhe os produtos e concretiza a compra. No entanto, a empresa precisa dispor de uma estrutura física de estocagem e logística.

MARKETPLACE

Esse modelo é uma derivação do e-commerce e tem crescido bastante nos últimos anos. Nele, uma empresa negocia produtos e serviços de outros. Isso pode ser visto tanto nas lojas virtuais maiores que também comercializam produtos das menores, quanto em empresas de serviços, como transportes e hospedagens.

MODELO ABERTO

O modelo de negócio aberto é relativamente novo e ganhou força com as plataformas digitais. Nele, todos os valores agregados vêm de contribuições externas, com riscos e recompensas compartilhados. Para ter ideia, esse é o modelo de negócios adotado pela Uber. 

COMO O MODELO CANVAS PODE AJUDAR NA DEFINIÇÃO DO MODELO DE NEGÓCIO?

A definição de um modelo de negócio pode ser crucial para toda a existência de uma empresa no mercado. Mas como escolher de forma adequada? Para isso, alguns especialistas criaram o Business Model Canvas (BMC), uma ferramenta que ajuda a avaliar se uma ideia é realmente uma oportunidade de negócio.

De forma simplificada, podemos dizer que o BMC procura a resposta para algumas perguntas. Veja como escolher uma estratégia:

 

1. PARCERIAS PRINCIPAIS

Quem serão os seus parceiros ao longo do negócio? Isso inclui os seus colaboradores e também o vínculo construído com fornecedores. Este item ajuda a entender com quem você deve estreitar relacionamento, já que o sucesso de uma empresa depende da união de várias pessoas. 

2. ATIVIDADES PRINCIPAIS

Aqui, você deve pensar quais serão as suas atividades principais e como você fará para oferecê-las aos seus clientes. Além disso, deverá pensar em que pontos se diferencia dos concorrentes, que já estão no mercado há mais tempo oferecendo um produto ou serviço semelhante.

3. RECURSOS PRINCIPAIS

Quais são os principais recursos do seu negócio? Esses recursos não se referem apenas ao dinheiro, mas também aos seus colaboradores, conhecimentos, equipamentos e tudo mais que pode influenciar na qualidade do produto oferecido. 

4. PROPOSTA DE VALOR

A sua proposta de valor deve ser absolutamente inovadora, ou terá poucas chances de sobreviver no mercado. Neste ponto, pense em que valor você entrega para os clientes e o que o seu produto ou serviço ajuda a resolver. 

5. RELACIONAMENTO COM CLIENTES

Quem serão os seus clientes e o que eles esperam da relação com a sua marca? Existem diferentes tipos de expectativas, que fariam conforme o público-alvo, e conhecê-las é fundamental para criar uma política de comunicação que vá de encontro com as necessidades.

6. CANAIS

Quais canais você usará para vender o seu produto e para se comunicar com o seu público? Uma loja online pode usar canais offline para estreitar os laços com os consumidores. 

7. SEGMENTOS DE CLIENTES

Qual será o segmento de clientes que a sua empresa atenderá? Você conhece o comportamento dessas pessoas? Esse é um ponto importante para saber dialogar e oferecer um produto que vá de encontro com os desejos dessas pessoas.

8. ESTRUTURA DE CUSTOS

Quais serão os custos fixos e os custos variáveis da sua empresa? Ela está baseada apenas em custos essenciais ou é possível reduzir os gastos? Lembre-se que quanto maiores os custos, mais tempo levará para ter retorno do investimento.

9. FONTES DE RECEITAS

Quais serão as suas fontes de receitas? Elas vêm de um único lugar ou você tem mais de um gerador de receita? Pense nisso e veja o que está mais adequado para a sua proposta de negócio. 

O QUE DEVE TER EM UM MODELO DE NEGÓCIO?

Depois de encontrar respostas satisfatórias para todos os questionamentos acima, você terá um modelo de negócio em mãos. Uma ideia já pode estar bem encaminhada, mas, mesmo assim, pode não estar pronta para ser colocada em prática. 

A verdade é que a criação de um modelo é só a primeira etapa na concretização de uma ideia. Depois é necessário fazer um plano de negócios, um documento completo e detalhado, no qual se expõe todas as etapas para a implantação. Mas claro que qualquer mudança no modelo de negócio já implica uma alteração também no plano.

Enfim, para o sucesso de uma empresa, é fundamental escolher o modelo de negócio mais adequado aos objetivos, além das próprias capacidades de mercado. É sempre bom lembrar que a habilidade de inovar vêm sempre de muito estudo e da percepção de boas oportunidades.

COMO TER UMA EMPRESA DE SUCESSO?

Deu para ver que o modelo de negócio é a base para tirar uma ideia do papel, não é mesmo? Mas o que mais pode ser feito para ter uma empresa de sucesso? Afinal, esse é o sonho dos empreendedores que decidem criar uma loja virtual. Confira aqui nossas principais dicas:

NÃO SE CONTENTE COM A PRIMEIRA IDEIA

Você pode ter uma ideia genial para a sua loja virtual, mas, mesmo assim, deve continuar pensando em possibilidades para torná-la ainda mais criativa. Em geral, pessoas que recorrem a um processo de criação completo têm mais chances de criarem um produto ou marca realmente inovador. 

PENSE EM INOVAR

Sim, a inovação é o segredo para se dar bem no mercado. Afinal, não existe razão para vender um produto que já é oferecido pelos seus concorrentes. Para inovar, você poderá pensar em criar uma funcionalidade a mais no item ou, de repente, oferecer o mesmo produto num outro formato.

OUÇA O SEU PÚBLICO

O público funciona como um termômetro do mercado. Por isso, se os seus consumidores dão um feedback negativo sobre a marca, escute e vá em busca de melhorias! Aproveite enquanto você tem oportunidade para fazer modificações. Se decidir não escutar essas pessoas, depois será tarde mais. 

Sem dúvidas, o modelo de negócio tem muita serventia para uma empresa e permite que sejam tomadas decisões realmente maduras, potencializando as chances de sucesso. Agora que você já sabe tudo sobre o tema, aprenda a fazer um plano de negócios

Artigo anteriorPublicar anúncios gratuitos: como fazer? 10 sites para anunciar
Próximo artigoLogística no e-commerce: passo a passo prático para estruturar
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

DEIXE UMA RESPOSTA