(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

Tipos de Marketplace: 4 principais e suas particularidades

Por Marcio Eugênio | 19/03/2020
8494
|
1
Tipos de Marketplace: 4 principais e suas particularidades

Muitas pessoas que buscam independência financeira e flexibilidade de horários, pensam em criar um comércio eletrônico para vender muito no mercado online. No entanto, esquecem que existem outras modalidades de comércio que também podem ser bem positivas. Sem dúvidas, o marketplace é uma dessas possibilidades.

Você sabe o que é marketplace? Se você quer entender mais sobre esse tipo de vendas para, quem sabe, começar a empreender online, continue lendo esse texto! A seguir, mostraremos os principais tipos de marketplace e apresentaremos exemplos de marketplace no Brasil. Boa leitura!

O QUE É MARKETPLACE?

Antes de falarmos sobre as principais plataformas de marketplace, vamos explicar o que é um marketplace. Essa modalidade de vendas funciona de forma diferente de um comércio eletrônico, cujo site reúne somente produtos daquela marca. O marketplace, por sua vez, lembra a estrutura de um shopping center, com a presença de diversos vendedores.

Para participar, o vendedor precisa criar um cadastro e incluir seus itens, fazendo uma descrição completa e complementando o anúncio com fotos dos produtos. O site do marketplace oferece a estrutura para realizar a venda, com atração de clientes e sistema de pagamento, mas cabe a você enviar o produto ao endereço do consumidor. 

COMO FUNCIONA O SISTEMA DE MARKETPLACE?

O sistema de marketplace tem a estrutura semelhante a de um shopping online, com a presença de diversos vendedores de variados segmentos. A grande vantagem desta modalidade de vendas é que o vendedor não precisa recorrer à criação de um site próprio, podendo contar com a estrutura oferecida pelo próprio marketplace.

Nessa forma de vendas, o consumidor pesquisa pelo produto que quer, analisa os diferentes anúncios e escolhe pelo vendedor que se interessar mais. Por essa razão, é fundamental divulgar os produtos com descrição completa e imagens de boa qualidade. Depois de a venda ser concretizada, o vendedor envia a encomenda para o cliente.

Na grande das vezes, os vendedores de marketplace pagam uma porcentagem para a plataforma somente quando concretizam a venda. Desta forma, os custos com a plataforma acompanham o volume de vendas, o que é um ponto positivo. 

QUAL A DIFERENÇA ENTRE E-COMMERCE E MARKETPLACE?

Grande parte das pessoas que quer empreender online pensa direto em criar um comércio eletrônico, sem avaliar a possibilidade de trabalhar com vendas em marketplace. No entanto, essa modalidade pode ser interessante para determinados tipos de empreendedores, podendo ser, inclusive, mais rentável.

A principal diferença entre o comércio eletrônico e o marketplace envolve o tipo de plataforma. Um e-commerce destina todo o espaço virtual a uma única marca, que é a responsável por implementar a plataforma, personalizar o layout, atrair os usuários, receber os pagamentos e fazer as entregas. 

O marketplace, por sua vez, conta com uma plataforma pronta, facilitando a adesão dos vendedores. Quem quiser vender nesse tipo de site, deverá apenas se cadastrar, incluir os produtos e se responsabilizar pelo envio. O gerenciamento tecnológico da plataforma, a atração de clientes e o sistema de pagamento ficam por conta do marketplace.

No caso de marcas que já estão consolidadas no mercado, o ideal é trabalhar com um comércio eletrônico próprio, cujo site poderá assumir a identidade visual da empresa. No entanto, para vendedores iniciantes, o marketplace pode ser uma alternativa promissora para entrar no mercado digital com investimento baixo. 

4 TIPOS DE MARKETPLACE

Agora que você entendeu como funciona esse tipo de plataforma, pode estar se perguntando como fazer para o e-commerce ter sucesso nos marketplaces. Em primeiro lugar, você deve conhecer os tipos de marketplace, entendendo qual é o ideal para o seu segmento e produto. Confira aqui:

MARKETPLACE B2B

Os marketplaces B2B são plataformas que intermediam a relação entre empresas e fornecedores (conhecida como business to business). Podem ser ocupados pelos mais diferentes tipos de produtos e serviços, e geralmente envolvem pequenas e médias empresas.

Quem procura por um fornecedor pode recorrer a esse tipo de marketplace para comparar preços, qualidade e capacidade de entrega. Já as empresas que negociam seus serviços podem aproveitar todas as vantagens do marketplace, como divulgação e redução de custos. Esses são os principais exemplos de marketplace B2B:

MARKETPLACE B2C

No modelo Business to Consumer (B2C), as empresas vendem direto para o consumidor por meio da plataforma de marketplace, que serve como um facilitador de compra e como comparador de preços. Entre os tipos de marketplace, é o grupo que inclui os portais mais bem-sucedidos nos mais diversos segmentos. 

Por sinal, você sabia que a Amazon foi a pioneira desse setor, lá na década de 1990? Hoje, a empresa é um dos maiores grupos do mundo e segue inspirando empreendedores a inovarem. A seguir, conheça os principais exemplos de marketplace B2C:

MARKETPLACE C2C

Os marketplace C2C se referem às relações estabelecidas entre consumidor com consumidor. A esse grupo pertencem os grandes buscadores, que favorecem a venda de produtos direto entre pessoas. Alguns deles também permitem o pagamento por meio da própria plataforma, facilitando a transação e aumentando a credibilidade nas negociações.

A seguir, confira os principais exemplos de marketplace C2C. Provavelmente você já conhece a maior parte das marcas citadas, uma vez que esse tipo de marketplace é um dos mais populares:

MARKETPLACE DE NICHO

Enquanto alguns tipos de marketplace, como o Mercado Livre e Magazine Luiza, vendem produtos diversos, de diferentes pequenas empresas, outros reúnem negócios em um segmento especializado. São os marketplaces de nicho, que atendem a uma necessidade do público.

No geral, são empresas menores, que investem bastante em técnicas de marketing digital para encontrar seu público, que pode ser muito específico. No entanto, algumas, como a Webmotor, já ganharam projeção e grande participação no mercado. O fato de um e-commerce ser um marketplace de nicho não exclui o fato dele ser B2B, B2C ou C2C. 

No caso da Webmotors, por exemplo, ele também pode ser considerado C2C, já que o dono de um carro pode vender diretamente para outras pessoas. A própria Amazon começou como um marketplace de livros, expandindo depois para outros mercados. A seguir, confira os principais exemplos desta modalidade:

O MERCADO DE MARKETPLACE NO BRASIL

Podemos comparar os marketplaces no Brasil a shoppings centers virtuais onde diversas lojas e empresas divulgam os seus produtos e serviços dentro de um mesmo endereço eletrônico. O grande exemplo do setor é a Amazon, que é a pioneira das vendas online, atuando no mercado norte-americano desde 1995. 

Há pouco tempo, a Amazon viu potencial de crescimento no mercado brasileiro e começou a vender no país. Sua atuação compete diretamente com o Mercado Livre, que até poucos anos dominava as vendas online. No entanto, dada a dimensão do mercado brasileiro, há espaço para todos! 

Vale lembrar que não é só de vendas de produtos que os marketplaces vivem. Como você verá, existem empresas que oferecem serviços de todos os tipos, com os mais diversos preços. A seguir, falaremos sobre quais são os maiores marketplace do Brasil e que tipo de produto ou serviço eles oferecem! 

QUAIS SÃO OS MELHORES MARKETPLACE DO BRASIL?

Agora que você entendeu o que é um marketplace e já tem consciência de que esses espaços são ótimos para pequenos investidores que querem começar a trabalhar com vendas online, conhecerá cinco exemplos de sucesso do setor. Veja aqui quais são os maiores marketplace do Brasil:

1. UBER

A Uber existe desde 2009 e tem o seu patrimônio avaliado em mais de US$ 60 bi. Isso só é possível graças ao modelo marketplace adotado pela empresa que, apesar de ser conhecida pelo serviço de corridas, também oferece entrega de comida pelo Uber Eats. A Uber está presente em mais de 570 cidades no mundo e no Brasil foi pioneira no setor.

2. OLX

A OLX é uma empresa norte-americana que foi lançada na Índia para concorrer com a Craigslist. De lá para cá, mostrou-se um verdadeiro sucesso em todo o mundo. No Brasil, começou adquirindo a BomNegócio.com e só cresceu. Para empresas que querem divulgar os seus produtos, por exemplo, essa é uma excelente via de acesso.

3. IFOOD

O iFood é uma das principais empresas que oferece serviços de delivery. Fundada em 2011, a marca é nacional e começou apenas fazendo o elo entre os usuários e os restaurantes. Agora também conecta esses locais aos fornecedores (laticínios, embalagens etc.). O iFood pretende ampliar o seu crescimento para valer R$ 1 bi em 2020.

4. NETSHOES

Quando se fala em tênis, é impossível não pensar na Netshoes. A empresa brasileira surgiu ainda nos primórdios da internet e passou a ter seu nome associado ao mercado de artigos esportivos. Recentemente, a empresa passou por uma grande mudança que ampliou seu alcance. Além disso, tem outra marca voltada para moda em geral: a Zattini.

5. ENJOEI

A linguagem descolada e um público-alvo muito específico foi o que fez o sucesso da brasileira Enjoei. Fundada em 2009, a marca começou como uma maneira das pessoas se livrarem de peças de roupas, calçados e  acessórios que já não estão sendo usados. A empresa é referência no setor e até hoje não tem um concorrente forte. 

Isso mostra que, dependendo do nicho, vale mais a pena investir em marketplace do que em comércio eletrônico tradicional. Por isso, se você quer começar a vender online, faça uma pesquisa abrangente sobre seus objetivos e sobre o comportamento dos seus consumidores. Talvez um marketplace guarde boas oportunidades!

Agora que você já conhece os principais tipos de marketplace e já sabe quais são os marketplaces no Brasil que fazem sucesso, que tal descobrir como integrar loja virtual com marketplace? Muitas vezes, a combinação entre as duas modalidades de venda também pode ser uma estratégia de vendas interessante. Boa leitura! 

Marcio Eugênio

Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

Posts relacionados