(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

Como vender no Marketplace: 9 passos simples para começar

Por Matheus Luvier | 26/12/2020
249
|
0
Como vender no Marketplace: 9 passos simples para começar

Você já percebeu que as vendas online apresentam perspectiva de crescimento mesmo quando a economia do país indica um caminho oposto? Sabendo disso, muitos empreendedores decidem aproveitar a oportunidade para vender em marketplaces. 

Sem dúvidas, essa é uma boa escolha. O Mercado Livre, por exemplo, ocupa a posição de maior marketplace da América Latina, com 300 milhões de usuários e mais de 19 milhões de vendedores. Mas será que qualquer pessoa pode começar a vender num marketplace?

Se você tem vontade de criar um negócio e crescer na internet, continue lendo esse artigo. Aqui explicaremos como vender no marketplace e apresentaremos 9 passos para você criar o seu espaço online. Boa leitura!

Quais são os marketplaces no Brasil?

Se você conhece um pouco do mercado digital, já deve ter ouvido falar em marketplace. Essa é uma modalidade de vendas online que se equivale a um shopping center virtual, com a presença de comerciantes dos mais variados nichos e segmentos.

Sem dúvidas, o Mercado Livre é o principal marketplace do Brasil, mas não é o único. Além dele, também é possível comprar em mercados virtuais expressivos como Amazon, Americanas, Submarino, Carrefour, Magazine Luiza, Netshoes e Walmart. Ou seja, não faltam alternativas para comprar em marketplace. 

Mas como escolher o melhor marketplace para o seu negócio? Analisando as opções e entendendo se vale mais a pena participar de um mercado virtual especializado, que venda dentro do seu segmento, ou de um mercado amplo, que tenha produtos de nichos variados. Não existe escolha certa ou errada: existe escolha que vá de encontro com seus objetivos. 

Como funciona a venda no marketplace?

Mas, afinal, como funciona a venda no marketplace? Muitos empreendedores optam por vender nesse tipo de plataforma pela simplicidade das operações. Embora cada marketplace tenha as suas regras, em geral basta que o empreendedor faça um cadastro para poder comercializar os seus produtos por lá.

A cada venda é necessário pagar uma comissão à plataforma. Por outro lado, não é preciso se preocupar com questões como administração do site e gestão de pagamentos, pois quem faz isso é o próprio sistema. Cabe ao vendedor incluir os produtos, responder às perguntas e, depois de concretizar a venda, enviar por Correios ou transportadora.

Além disso, muitos empreendedores que querem criar uma loja virtual decidem começar a vender em marketplace para entenderem se estão na área certa e se escolheram o produto ideal. Nada impede de, com o tempo, criarem o seu e-commerce próprio – essas duas modalidades de venda são compatíveis.

O que precisa para vender no Marketplace?

Como falamos, cada marketplace tem a sua regra. Mas, para deixar a questão mais clara, vamos pegar o Mercado Livre como exemplo. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem se cadastrar e começar a vender por lá. Para começar, terão que criar um cadastro. No caso da pessoa física, é necessário incluir o nome, sobrenome, e-mail e senha. 

Já para pessoa jurídica, será preciso incluir CNPJ, razão social, e-mail e senha. Ambas modalidades têm acesso ao sistema de vendas da plataforma e poderão criar anúncios por lá. Além disso, para vender no marketplace é preciso ter o produto definido, o que pode ser feito com  base no seu gosto pessoal ou no seu estudo de mercado.

O ideal é que essa escolha seja o equilíbrio dessas duas alternativas, ou seja, que considere os segmentos que despertam o seu interesse, mas que também pondere conforme os nichos que têm mais demanda. Desta forma, você conseguirá trabalhar com algo que realmente o encanta e que tem boas chances de crescimento.

O que mais vende no Marketplace?

Agora que você já entendeu o que é um marketplace e quais são as principais plataformas do mercado, deve estar se perguntando quais produtos fazem mais sucesso neste setor. E, como quase tudo na vida, a resposta é: depende! O sucesso do seu negócio depende não apenas do tipo de produto que você escolher, mas também da forma como você vai se apresentar no canal.

Por isso, não basta ter um bom produto se você não fizer boas descrições, não responder os consumidores com agilidade e não enviar as encomendas no prazo. Em resumo, a sua presença digital vai influenciar diretamente no sucesso de seu negócio. Mas, para ter ideia de alguns produtos, mostramos aqui os campeões de venda no Mercado Livre:

  • Celulares e tablets
  • Acessórios para celulares e computadores
  • Roupas femininas
  • Lembrancinhas para festas
  • Artigos esportivos
  • Decoração para casa 
  • Relógios e carteiras 
  • Jogos de videogame

Vale ponderar que nem sempre é positivo escolher um dos produtos mais vendidos. Afinal, eles já têm um grande número de vendedores ativos, ou seja, fazem parte de um mercado saturado, que tem pouco espaço para novos comerciantes. Por isso, o ideal é pesquisar por produtos alternativos, que também têm demanda, mas que guardam um pouco mais de oportunidade para novos participantes.

Como vender no marketplace?

Mas, afinal, como vender no marketplace e crescer no mercado digital? Esse é o sonho de todo empreendedor que decide marcar presença na internet, não é mesmo? Você já deve saber que as vendas virtuais são diferentes das vendas tradicionais e, por isso, é fundamental mergulhar no universo online e entender mais sobre esse mercado.

Por isso, todo estudo e preparo vale e contribui para o crescimento do seu negócio. A seguir apresentaremos algumas dicas bem práticas para que você possa vender muito no marketplace que escolher. Veja só! 

1. Escolha o marketplace certo para os seus produtos

Em primeiro lugar, você terá que optar pelo marketplace ideal para os seus produtos. Isso significa que no momento desta escolha já terá que ter definido o produto e o segmento em que trabalhará. O Mercado Livre, por exemplo, tem espaço para vendedores dos mais variados nichos, mas nem todo marketplace é assim.

Existem plataformas mais voltadas para moda ou para eletrônicos. Além disso, terá que avaliar a questão da concorrência. Sem dúvidas, o Mercado Livre é campeão de acessos dos usuários, mas também conta com a participação de muitos vendedores, o que aumenta a competição. Tudo isso deve ser pensado antes de optar por uma plataforma. 

2. Faça o cadastro na plataforma

O próximo passo será fazer o cadastro na plataforma escolhida. Para isso, terá que informar os seus dados como pessoa física ou jurídica. Embora muitas plataformas permitam a venda sem CNPJ, nossa orientação é que você tenha uma empresa formalizada desde o início. 

Isso pode ser feito inclusive na modalidade Microempreendedor Individual (MEI). Além de poder organizar suas finanças, ao ter um CNPJ você pode ter acesso a fornecedores que praticam preços e quantidades diferenciadas. Além disso, com o CNPJ você terá mais facilidade de abrir um e-commerce, se esse for o seu plano.

3. Escolha os produtos certos

Esse ponto também é essencial para quem quer vender em um marketplace. Em um primeiro momento, pode parecer que escolher os produtos mais vendidos é um bom caminho para se consolidar nas vendas online. No entanto, já existem muitos comerciantes que anunciam estes itens! Ou seja, será bem difícil de você se consolidar nesse nicho.
O ideal, portanto, é procurar por produtos que tenham demanda, mas não encontrem uma concorrência tão acirrada. Será mais fácil de você entrar nesse mercado e de encontrar um lugar onde possa crescer. Para encontrar produtos que atendam a esses requisitos, estude o mercado e esteja atento aos produtos mais anunciados e vendidos das plataformas.

4. Formalize anúncios atrativos

Os marketplaces trabalham com anúncios. Eles são a sua oportunidade de falar em poucas palavras sobre o seu produto. Não faça como a maior parte dos vendedores, que dizem apenas o nome e a cor do item que vendem. 

Pense em diferenciais que você pode destacar. Se você vende capinhas para celulares, diga se são resistentes, bonitas, de qualidade, criativas, etc. Quanto mais você souber vender o seu peixe, mais atrativo será o seu produto. 

5. Ofereça preços competitivos

Já falamos que a concorrência nos marketplaces é acirrada, né? Esse não é o lugar de colocar os preços lá em cima. Se fizer isso, os usuários vão comprar da sua concorrência. Por isso, pesquise os preços praticados no seu segmento antes de precificar seus produtos.

E aqui fica a dica de negociar o máximo possível com o seu fornecedor. Vá atrás de pessoas de confiança que possam fornecer os produtos em quantidade, mas que não pratiquem preços impagáveis. 

6. Desenvolva descrições atrativas

As descrições dos anúncios devem ser tão atraentes quanto os seus títulos. E, claro, precisam ser completas. O que isso significa? Você deve descrever todas as características do produto que vende, falando do tipo de material, medidas, orientação de uso, recomendação de limpeza, etc. 

Além disso, complemente esse texto com fotografias de qualidade, que mostrem os atributos do produto. O cliente só terá contato com a encomenda depois de recebê-la em casa – ajude-o a entender se esse é, de fato, o produto que ele procura.

7. Invista em títulos otimizados para SEO

As técnicas de otimização valem para as plataformas de e-commerce e para o marketplace. Estude o algoritmo do marketplace que você escolheu e veja como pode destacar os seus anúncios por lá.

Uma dica: palavras-chaves e fotografias são sempre boas técnicas para ter o destaque que você procura. Além disso, responda rápido as interações dos usuários e busque pelo melhor feedback possível. 

8. Valorize a sua reputação

Os marketplaces tem um sistema de reputação no qual dá para ver qual é a credibilidade dos vendedores. E é claro que os usuários vão preferir comprar daqueles vendedores com mais clientes e com retorno mais positivo, não é mesmo?

Pois é isso que você deve buscar! Seja ágil no retorno para os clientes e demonstre que você está disponível para ajudá-los. Além disso, envie o produto no prazo e certifique-se de que tem qualidade. Se quiser, envie um bilhete junto com a compra e convide os seus consumidores a deixarem uma avaliação na plataforma.

9. Aumente sua visibilidade através da publicidade

As plataformas de marketplace contam com publicidade paga que dão mais destaque aos anúncios. Os vendedores profissionais optam por essa modalidade, pois na maior parte das vezes o pagamento é um percentual das vendas, sem se tornar um custo fixo mensal. 

Sem dúvidas, esse recurso acelera o tempo entre o cadastro e a concretização da compra, fazendo com  que sua empresa opere uma maior quantidade de produtos. Por isso, se você quer se tornar um vendedor relevante no marketplace, cogite essa possibilidade.

Consultoria para alavancar as vendas no marketplace

Muitas pessoas acreditam que já têm o conhecimento necessário para começar a vender num e-commerce ou marketplace e decidem começar a comercializar os produtos sem fazer uma curadoria dos itens e sem contar com bons fornecedores. Da mesma forma, pecam ao criar o sistema de logística, deixando toda transação da empresa mais lenta.

É claro que se aprende fazendo, mas, da mesma forma, também é possível aprender estudando e se preparando. E é para isso que serve a consultoria da Turby, que auxilia o empreendedor a entender os pontos fortes e fracos do seu negócio, criando um fluxo realista e otimizado para a empresa.

Esse tipo de serviço pode ser contratado tanto por empreendedores que já estão ativos no mercado e que precisam de uma ajuda para restabelecer a rota quanto por vendedores que estão começando agora e que precisam decidir todas as questões relacionadas a produtos, fornecedores, logística, pagamentos, plataforma, etc. 

Sem dúvidas, estudar o mercado digital é a melhor maneira de criar um e-commerce ou marketplace fortes, que possam sobreviver do mercado e, muito mais do que isso, que possam crescer e se consolidar como referência no mundo das vendas online.Agora que você já sabe tudo sobre como vender no marketplace, sugerimos que leia esse artigo com os principais motivos para contratar uma consultoria para e-commerce. Esse é um serviço valioso e que pode ajudar muitos negócios a conquistarem os seus objetivos em curto ou médio prazo. Boa leitura e boa sorte!

Matheus Luvier

Posts relacionados