(11) 4118-9290 - São Paulo (SP) Clique aqui

REDES

Análise de risco: o que é? Aprenda como realizar em 5 passos

Por Marcio Eugênio | 18/12/2019
9686
|
0
Análise de risco: o que é? Aprenda como realizar em 5 passos

Muitos gestores de loja virtual criam um negócio pensando no sucesso que a ideia fará. Na ânsia de serem bem sucedidos, esquecem de avaliar os riscos do empreendimento e começam a vender online sem um bom planejamento. Infelizmente, ações como essa podem prejudicar o negócio, já que não são consistentes para superar momentos difíceis.

Mas qual será a solução? A resposta é simples: fazer uma análise de risco antes mesmo de entrar no mercado. Se você tem interesse nesse tema, continue lendo. Aqui explicaremos todos os pontos importantes da análise de risco e como essa ação pode ajudá-lo a evitar problemas em seu empreendimento. 

O QUE É ANÁLISE DE RISCO?

A análise de risco é um dos pontos principais do planejamento de um negócio. Ela envolve o entendimento sobre a probabilidade de algo não correr bem durante o funcionamento da empresa e permite que os gestores façam uma estimativa sobre o prejuízo que poderá ser gerado ao negócio. 

Ao conhecer os riscos inerentes da empresa que pretendem criar, os responsáveis têm a oportunidade de pensar em ações que possam evitar a exposição aos riscos. Ou seja, uma análise de risco propõe o entendimento sobre perigos e oferece a oportunidade de a empresa colocar em ação algumas medidas para que eles não se concretizem. 

O QUE É ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO?

Você já ouviu falar em Análise Preliminar de Risco? Também conhecida pela sigla APR, essa é uma técnica muito utilizada para identificar os riscos inerentes ao ambiente de trabalho, reduzindo as possibilidades de acidentes por falha humana ou mecânica. 

Desta maneira, os profissionais de APR atuam diagnosticando os principais pontos de atenção de ambientes de trabalho como empresas e obras, e orientam os funcionários e gestores a adotarem medidas protetivas, que possam minimizar os riscos. 

PARA QUE SERVE A ANÁLISE DE RISCO?

A análise de risco serve para mapear problemas que podem acontecer em âmbito financeiro, ambiental ou de trabalho durante a atuação de uma empresa. Desta maneira, os gestores têm a possibilidade de traçarem soluções, evitando que essas falhas se concretizem.

Ao mesmo tempo, a análise de risco também traça possíveis abordagem para os problemas que independem da abordagem dos empreendedores, e que podem surgir por fatores externos. Assim, os administradores do negócio ficam aptos a tomar decisões e a gerir a empresa com a melhor abordagem possível. 

TIPOS DE RISCO

Quando falam em risco, muitas pessoas pensam diretamente nas questões financeiras que uma empresa pode enfrentar. Sem dúvidas, esse é um ponto que deve ser lembrado por que comanda um negócio. No entanto, não é o único risco que pode ser previsto por uma análise aprofundada. Conheça todos:

ANÁLISE DE RISCO FINANCEIRO

A análise de risco financeiro envolve a compreensão das incertezas do negócio que têm relação com as decisões e operações financeiras, como controle das entradas e saídas, fluxo de caixa, câmbio, taxas de juros e mercado de investimentos. Com esse mapeamento, é possível minimizar os perigos que envolvem a gestão financeira da empresa.

ANÁLISE DE RISCO AMBIENTAL

A análise de risco ambiental se refere às possibilidades de a atividade da empresa causar algum dano ao meio ambiente ou à saúde de seus funcionários, colaboradores ou comunidade em geral. Ela é aplicada principalmente em empresas que usam químicos e outros materiais nocivos em seu processo produtivo. 

ANÁLISE DE RISCO DO NEGÓCIO

A análise de risco do negócio envolve o mapeamento das possíveis decisões administrativas e as suas consequências. A existência de uma empresa envolve questões internas, que conta com a gestão dos sócios, e questões externas, que envolvem o mercado. Esta análise se propõe a olhar para dentro do negócio.

ANÁLISE DE RISCO DO TRABALHO

Por fim, a análise de risco do trabalho olha para todas as funções que a empresa realiza e mapeia os pontos que podem desencadear acidentes de trabalho. Com ações preventivas, os gestores podem reduzir as possibilidades que eventos negativos a funcionários e colaboradores da empresa.

COMO REALIZAR UMA ANÁLISE DE RISCOS: PASSO A PASSO

Deu para ver que a aplicação da análise de risco é muito importante para o negócio, não é mesmo? É claro que empresas maiores têm que avaliar com mais abrangência os pontos de atenção, já que lidam com diversas funções e têm um número representativo de colaboradores. 

No entanto, a análise de risco também pode ser aplicada a empresas pequenas, possibilitando que os gestores entendam quais são as questões que merecem ser olhadas com mais cautela. Se você tem interesse em fazer uma análise do seu negócio, confira os passos a seguir:

1° PASSO: REALIZE A ANÁLISE DO AMBIENTE OCUPACIONAL

A análise de risco deve ser feita para uma situação específica. Sendo assim, o ideal é que o gestor crie um mapa com os setores e as ações da sua empresa, para possa olhar cada atividade de forma isolada. Desta maneira, conseguirá ver quais são os pontos que devem ser analisados. 

2° PASSO: IDENTIFIQUE TODOS OS RISCOS

Depois de ter uma visão ampla do negócio, caberá ao responsável pela análise de risco identificar todos os fatores negativos inerentes à cada área. Uma empresa que trabalha com importação ou exportação, por exemplo, terá que incluir a variação da taxa cambial entre os riscos financeiros do negócio. 

3° PASSO: ANALISE OS RISCOS E REALIZE MEDIDAS PREVENTIVAS

Ao saber quais são os riscos que envolvem cada tarefa, o gestor poderá pensar em medidas preventivas. No caso da taxa cambial, uma possibilidade é aumentar o capital de giro do negócio. Outra, por exemplo, é buscar alguns fornecedores no próprio país, fazendo com que parte da atividade da empresa não fique exposta ao risco em questão. 

4° PASSO: REGISTRE TODOS OS RISCOS E IMPLEMENTE ALTERNATIVAS SEGURAS

Aqui, o gestor terá que ver a viabilidade de colocar em prática as alternativas que reduzem os riscos mapeados. Ou seja, não basta saber dos perigos do negócio e guardar as soluções em uma gaveta. É preciso aplicá-las para operar a empresa com um índice de risco menor.

5° PASSO: REVISE A ANÁLISE DE RISCOS

De tempos em tempos, o empreendedor deverá revisar a análise de riscos e ver se está aplicando as medidas seguras. Além disso, com a atuação da empresa, podem surgir novas questões que não foram pensadas previamente. Sempre que necessário, o responsável poderá realizar a análise para esses riscos.

COMO FAZER PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE RISCO?

Muitas pessoas usam uma matriz para organizar o estudo sobre análise de risco. Com isso, conseguem visualizar as informações com clareza, tornando mais fácil o entendimento sobre os principais pontos que devem ser vistos com atenção. 

Para construir a planilha de gerenciamento de risco, é preciso listar os possíveis riscos do negócio, a probabilidade de ocorrência (quase certo, alta, média, baixa e rara) e o impacto (gravíssimo, grave, médio, leve e sem impacto) que podem causar à empresa. 

A partir desse entendimento, o gestor da loja virtual consegue perceber quais são os pontos para os quais deve voltar a sua atenção, tendo em vista a probabilidade de ocorrência elevada e o grande risco de impacto nas operações da empresa. 

QUAL A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DE RISCO NO E-COMMERCE?

Não há dúvidas de que a aplicação da análise de risco se torna essencial em empresas de médio e grande porte, já que estas operam em muitas frentes e com um grande número de funcionários. No entanto, realizar uma análise de risco em comércios eletrônicos pequenos também pode oferecer benefícios ao negócio.

Em primeiro lugar, a análise deste tipo de empresa é mais simples, já que as operações são menores e, desta forma, é possível visualizar toda a atuação do negócio com facilidade. Com isso, o gestor consegue entender exatamente onde estão as fragilidades da empresa, tornando viável a criação de medidas protetivas, que poderão evitar ou diminuir os riscos.

No caso de um comércio eletrônico que venda produtos comprados a partir de um fornecedor, existe o risco de não conseguir se diferenciar da concorrência. Sabendo disso, o gestor poderá pensar em possibilidades de inovação ou buscar fornecedores que tenham produtos exclusivos ou, pelo menos, incomuns.
Assim conseguirá se inserir no mercado sem concorrer com grande parte das empresas do mesmo segmento. Este é um exemplo simples, que mostra como a análise de risco pode ser benéfica para a atuação de uma loja virtual.

Agora que você já sabe tudo sobre esse tema, que tal ler sobre o fluxo operacional de uma loja virtual? Esse conhecimento é importante para que você possa estruturar um negócio otimizado e com o melhor aproveitamento dos recursos disponíveis. Boa leitura!

Marcio Eugênio

Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

Posts relacionados