Página 89

10 dicas sobre segurança na internet

p style="text-align: justify;">Ao falar sobre compras virtuais seguras, seria fácil recomendar o uso de sites já conhecidos, por conta de sua "tradição". Mas uma das grandes façanhas da internet é a facilidade com que ela dá espaço a novas idéias, produtos e empresas. Sim, é possível comprar com segurança na internet em lojas menores, da mesma forma que é possível ser roubado por um vírus enquanto a senha do cartão é digitada em uma loja mais conhecida.

1. Verifique a segurança do seu sistema

De nada adianta realizar uma compra com todos os cuidados do mundo em um computador público ou compartilhado. Portanto, partindo do pressuposto que a compra será efetuada na máquina que você usa em casa, certifique-se de que a mesma está segura antes de digitar suas informações online. Isso significa fazer uma verificação com o software de segurança instalados, como o antivírus e o anti-spyware.

Seguir boas práticas de segurança, tais como instalar qualquer correção de segurança disponível para os softwares do seu computador e evitar o download de arquivos estranhos, também contribui: a maioria dos casos de roubo de dados ocorre devido a pragas digitais. Para descobrir quais as atualizações necessárias em sua máquina, uma boa opção é o uso do Personal Software Inspector.

2. Procure informações cadastrais da empresa

Se a empresa não disponibiliza o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) no website, é possível obtê-lo por meio de um serviço chamado "whois" ("quem é?"). Basta ir até o site Registro.br, digitar o endereço da loja e seguir a opção de "Whois".

Com o CNPJ em mãos, vá até o site da Receita Federal e acesse pelo menu: Pessoa Jurídica > CNPJ > Comprovante de inscrição. Lá, digite o número do CNPJ. Você terá informações como o nome da empresa e a data em que ela foi estabelecida.

Sites de comércio fraudulentos costumam mentir a respeito do tempo de atividade com o objetivo de ganhar mais clientes (vítimas). Essa verificação pode mostrar que a loja que supostamente existe há oito anos na verdade foi aberta no mês anterior.

Se o endereço não for um ".com.br", o Whois terá de ser feito de outra forma e não incluirá o CNPJ. Procure obter junto à empresa o CNPJ. Se o mesmo já não estiver divulgado no site, você terá de partir para a próxima dica.

3. Tente contato com a empresa antes de efetuar sua compra

Tanto faz se é via telefone ou e-mail. De preferência tenha os dois em mãos, caso precise reclamar depois. Ao tentar se comunicar com a empresa, você terá uma prévia do tipo de atendimento que ela presta: se não conseguir falar antes da venda, certamente também não conseguirá depois.

Também é válido procurar alguma referência física da loja. O cadastro de CNPJ pode lhe dar um endereço. Às vezes é possível obter informações a respeito do local para saber se realmente há uma loja ali. Procurando o endereço, pode-se descobrir que o mesmo foi utilizado por outras lojas fraudulentas, por exemplo.

Você faz pós-venda?

Como saber se o serviço de pós-venda gera resultado? Essa é uma pergunta comum, feita principalmente por CEO de empresas ávidas por cortar gastos. Porem, sem pós-venda as empresa vivem em uma corda bamba, confiando-se apenas nas estratégias de vendas e em suas campanhas de marketing, pensando apenas em aumentar a carteira de clientes, que na maioria das vezes irão trocar de fornecedor por uma mais atencioso e preocupado. Todo mundo já ficou muito minutos esperando ao telefone, durante uma ligação para o Serviço de Atendimento ao Cliente de alguma empresa, o famoso SAC, e garanto que a grande maioria desligou frustrado por não conseguir resolver o seu problema. Quando adquirimos um produto ou serviço, é dever de quem vende, atender nossas necessidades pós-venda, mas infelizmente, não é isso que acontece em nosso dia-a-dia, o que vemos são empresas tentando astutamente se eximir de suas responsabilidades para com seus clientes. cliente Não basta apenas ter um telefone com o número do SAC impresso no folheto de divulgação, na nota fiscal, no site ou na embalagem, o que é preciso é terum serviço de pós-venda funcional e compensador, que facilite a vida dos seus clientes através do telefone, internet ou na própria empresa, lembrando que isso é o dever de toda empresa que se dispõe a oferecer produtos e/ou serviços.