Marketing digital para e-commerce: guia absolutamente completo!

Marketing digital para e-commerce: guia absolutamente completo!

3206
0

Quem monta uma loja virtual precisa lidar com uma realidade diferente, na qual a competitividade exige estratégias de marketing digital e e-commerce mais precisas para atrair clientes. Nesse sentido, o marketing digital para e-commerce se tornou uma ferramenta eficiente, capaz de gerar vendas a partir das próprias preferências dos consumidores.

Isso porque a internet alterou completamente o modo que as pessoas compram e se relacionam com as marcas. Afinal, é bem mais simples adquirir produtos na web e receber em casa. Basta fazer uma busca por aquilo de que se precisa para encontrar uma variedade enorme de opções. 

Neste artigo, iremos mostrar a você que quer aprender a criar uma estratégia de marketing digital para e-commerce, quais são as estratégias de marketing digital para comércio eletrônico. Aqui você encontra um GUIA ABSOLUTAMENTE COMPLETO para lucrar muito!

O QUE É MARKETING DIGITAL?

Atualmente, é quase impossível imaginar a nossa vida sem a internet. Ela está bastante presente no nosso dia a dia — e não apenas nas formas tradicionais de navegação, em que se entra diretamente em um site ou nas redes sociais. Também a usamos para adquirir produtos, contratar serviços, fazer pesquisas e gerir projetos complexos.

Ao perceber essa realidade, diversas ferramentas e estratégias foram sendo criadas para captar e processar tendências e comportamentos na internet. E assim surgiu o marketing digital, uma forma de promover produtos e empresas com base em informações e ações realizadas no ambiente online.

COMO É O MARKETING PARA LOJA VIRTUAL?

O marketing para e-commerce se difere do tradicional (offline) exatamente por utilizar diferentes processos e canais simultaneamente e que permitem o processamento e a análise de dados em tempo real.

Dessa forma, enquanto uma campanha comum de marketing utiliza apenas um veículo, como a televisão, e se baseia em informações prévias sobre os consumidores, o digital funciona de acordo com a própria navegação do usuário. Para exemplificar, basta reparar nos anúncios que aparecem em outra página logo que você fecha o site de um produto ou até o e-mail marketing recebido após a visita em uma loja virtual.

POR QUE INVESTIR EM MARKETING DIGITAL PARA E-COMMERCE?

Quando falamos nas lojas virtuais, as estratégias são desenvolvidas especialmente para atrair e reter as pessoas que podem se interessar por seus produtos ou serviços. Isso pode ser feito tanto por meio da produção de conteúdo quanto por anúncios direcionados, de acordo com as preferências e o próprio comportamento do consumidor na web.

Porém, não adianta apenas criar um site e uma página nas redes sociais. Para ser, de fato, precisa, é preciso que a estratégia considere diferentes cenários e fatores, de maneira inteligente e baseada em dados sólidos. Dessa forma, mais adiante, veremos como aplicar o marketing digital para e-commerce de maneira adequada.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DO MARKETING DIGITAL PARA E-COMMERCE?

Hoje, é muito fácil ter uma loja virtual. Por isso mesmo, muitos negócios têm migrado ou expandido sua atuação para a internet, além daqueles que já surgem nesse ambiente. Mas, para que dê certo, é preciso saber sobre marketing digital para e-commerce. A seguir, confira os principais benefícios de se investir nessa forma de divulgação.

GERA UMA PRESENÇA ONLINE

Mesmo as lojas físicas volta e meia se deparam com a pergunta: “vocês têm um site?”, ou então: “qual é o Facebook de vocês?”. A verdade é que o próprio público costuma cobrar das empresas uma presença na internet, ainda que elas não negociem nesse ambiente.

Isso é compreensível, uma vez que as pessoas querem entender um pouco mais sobre as organizações com as quais trocam informações. Sim, pois, se você pensar bem, sempre que realiza uma venda, não está trocando só valores. E os consumidores querem saber se podem confiar no seu negócio, tanto na aquisição de produtos de qualidade quanto no sigilo dos seus dados.

CONQUISTA AUTORIDADE DE MARCA

Quando você produz conteúdo relevante sobre determinado assunto, por meio de um blog, das redes sociais ou um site, o público passa a ver a sua loja virtual como uma fonte confiável de informação.

Assim, sua marca passa a ser vista como uma autoridade na área em que atua. Ela se torna uma referência de credibilidade e qualidade para clientes e formadores de opinião. Consequentemente, eles vão preferir comprar na sua loja sempre que forem adquirir um produto que você venda.

DEMONSTRA A JORNADA DE COMPRA

Se você já tem uma loja virtual, deve ter percebido como a jornada de compra é diferente para as lojas físicas. Antes, bastava ver um anúncio e ir a um ponto de venda adquirir o produto. No meio digital, nem sempre as visitas terminam em vendas.

Os clientes podem chegar à loja por diversos canais (Facebook, links patrocinados, e-mail marketing etc.) e sair em diferentes momentos (como na página inicial ou no carrinho de compras).

Com o marketing digital para e-commerce, dá para acompanhar todas as diferentes formas de navegação no seu site. Dessa maneira, você pode direcionar melhor as suas ações e ajustar as estratégias de acordo com a necessidade.

AJUDA A SEGMENTAR O PÚBLICO

Ao contrário das mídias tradicionais, nas quais os anúncios são vistos por muita gente, no ambiente online, é possível direcionar as ações para um público mais específico. E se você vende um produto que não interessa à maioria das pessoas, por que investir em ações de marketing tão abrangentes?

A partir das informações oferecidas pelo próprio usuário (por meio de cookies ou formulários, por exemplo), pode-se oferecer uma experiência mais satisfatória ao consumidor. Ele passa a contar com conteúdos e ofertas apropriadas ao seu perfil de compra.

PERSONALIZA A COMUNICAÇÃO

Uma vez que o público é segmentado, a loja virtual pode fazer uma comunicação personalizada, adequada aos gostos de cada tipo de cliente. Inclusive, isso pode ser feito dentro de um mesmo segmento, visto que as pessoas têm expectativas e momentos diferentes.

Assim, com as informações do usuário, dá para criar ofertas personalizadas, bem como enviar conteúdos específicos. O cliente se sente ainda mais próximo da empresa e pode estreitar a sua relação com ela.

FIDELIZA O CLIENTE

Depois de realizada a venda, o trabalho da loja virtual não acaba. É hora de garantir o retorno desse cliente, uma vez que é bem mais barato do que conquistar um novo. E o marketing digital para e-commerce é uma boa forma de manter contato com os usuários, oferecendo produtos e vantagens exclusivos.

Isso pode ser feito por meio de estratégias simples de recomendação de novos produtos, recompra e até pela recomendação para outras pessoas. Pois é, em um mundo digitalizado, o famoso boca a boca passou a ser virtual.

FACILITA A MENSURAÇÃO DE RESULTADOS

Infelizmente, ainda não dá para saber de fato quantas pessoas viram um anúncio na TV ou no outdoor. Mas isso já é possível na internet, pois pode-se rastrear e acompanhar toda a jornada do cliente, desde a visualização de um anúncio até a efetivação da compra.

Sendo assim, o marketing digital para e-commerce, por meio de ferramentas como Facebook Ads e Google Analytics, permite mensurar todos os resultados gerados pela sua loja, como o retorno sobre investimento e todos os custos envolvidos na aquisição e manutenção de clientes.

OFERECE ÓTIMO CUSTO-BENEFÍCIO

Muitos divulgam que o marketing digital é mais barato que o tradicional. Nem sempre isso acontece, pois depende da estratégia e da capacidade de investimento de cada empresa.

No entanto, é certo dizer que ele tem um custo-benefício substancialmente maior, pois, enquanto no marketing tradicional se divulga uma marca ou produto para várias pessoas, no digital, isso é feito apenas para as que realmente estão interessadas.

DEFINE SEU CICLO DE VENDAS

Toda empresa é única. Quanto tempo leva para um cliente fazer uma compra no seu site? Saber como os clientes passam pelo seu processo de vendas pode ser útil para que você possa criar as melhores estratégias de marketing de comércio eletrônico possíveis.

Se você não souber quanto tempo leva para um cliente concluir seu ciclo de vendas, será difícil identificar em quais plataformas você deve anunciar, quando deve redirecionar ou enviar agressivamente e-mails. Seu cliente converte em uma semana, mês, ano? Definir seu ciclo de vendas exigirá algumas pesquisas e testes. Depois disso, você poderá seguir para as próximas estratégias de marketing de comércio eletrônico.

 

PERSONALIZA A EXPERIÊNCIA DE COMPRA 

Se os clientes sentirem que sua loja é dedicada a ajudá-los a escolher o produto perfeito, sua loja ficará acima do resto. Use a personalização de nomes em seus e – mails ou em seu site, recomende produtos com base em compras anteriores ou aprimore seu jogo de marketing com um teste personalizado. Essa é uma ótima maneira de se conectar com os clientes. Leve-os a uma jornada de compra única, alinhada com seus gostos e estilos pessoais.

PERMITE O ENGAJAMENTO COM O PÚBLICO

Além de atrair clientes, a internet também favorece a manutenção de um relacionamento com eles. Isso porque, ao oferecer conteúdo relevante, uma marca passa a gerar interesse também no que ela tem a dizer. E o público responde a isso, interagindo com as empresas.

Essa interação ajuda a engajar o público, ou seja, o mantém mais próximo do negócio. Dessa forma, ele pode se lembrar da sua marca com muito mais facilidade quando for realizar uma nova compra, algo fundamental para superar a concorrência.

CONQUISTA AUTORIDADE DE MARCA

Quando você produz conteúdo relevante sobre determinado assunto, por meio de um blog, das redes sociais ou um site, o público passa a ver a sua loja virtual como uma fonte confiável de informação.

Assim, sua marca passa a ser vista como uma autoridade na área em que atua. Ela se torna uma referência de credibilidade e qualidade para clientes e formadores de opinião. Consequentemente, eles vão preferir comprar na sua loja sempre que forem adquirir um produto que você venda.

DEMONSTRA A JORNADA DE COMPRA

Se você já tem uma loja virtual, deve ter percebido como a jornada de compra é diferente para as lojas físicas. Antes, bastava ver um anúncio e ir a um ponto de venda adquirir o produto. No meio digital, nem sempre as visitas terminam em vendas.

Os clientes podem chegar à loja por diversos canais (Facebook, links patrocinados, e-mail marketing etc.) e sair em diferentes momentos (como na página inicial ou no carrinho de compras).

Com o marketing digital para e-commerce, dá para acompanhar todas as diferentes formas de navegação no seu site. Dessa maneira, você pode direcionar melhor as suas ações e ajustar as estratégias de acordo com a necessidade.

FAÇA REMARKETING

O remarketing é uma maneira de se conectar com pessoas que interagiram anteriormente com seu site ou aplicativo para celular. Ele permite que você posicione estrategicamente seus anúncios na frente desses públicos-alvo, enquanto navegam no Google ou nos sites de parceiros, ajudando-o a aumentar o conhecimento da sua marca ou a lembrar esses públicos para fazer uma compra. Entre as vantagens do remarketing estão: 

  • Alcance rápido segmentação em tempo oportuno;
  • Publicidade focada;
  • Alcance em larga escala;
  • Preços eficientes; 
  • Fácil criação de anúncios;
  • Estatísticas da campanha.

PERSONALIZA A COMUNICAÇÃO

Uma vez que o público é segmentado, a loja virtual pode fazer uma comunicação personalizada, adequada aos gostos de cada tipo de cliente. Inclusive, isso pode ser feito dentro de um mesmo segmento, visto que as pessoas têm expectativas e momentos diferentes.

Assim, com as informações do usuário, dá para criar ofertas personalizadas, bem como enviar conteúdos específicos. O cliente se sente ainda mais próximo da empresa e pode estreitar a sua relação com ela.

FACILITE A MENSURAÇÃO DE RESULTADOS

Infelizmente, ainda não dá para saber de fato quantas pessoas viram um anúncio na TV ou no outdoor. Mas isso já é possível na internet, pois pode-se rastrear e acompanhar toda a jornada do cliente, desde a visualização de um anúncio até a efetivação da compra.

Sendo assim, o marketing digital para e-commerce, por meio de ferramentas como Facebook Ads e Google Analytics, permite mensurar todos os resultados gerados pela sua loja, como o retorno sobre investimento e todos os custos envolvidos na aquisição e manutenção de clientes.

Divulgam que o marketing digital é mais barato que o tradicional. Nem sempre isso acontece, pois depende da estratégia e da capacidade de investimento de cada empresa.

No entanto, é certo dizer que ele tem um custo-benefício substancialmente maior, pois, enquanto no marketing tradicional se divulga uma marca ou produto para várias pessoas, no digital, isso é feito apenas para as que realmente estão interessadas.

QUAIS AS PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS DE MARKETING DIGITAL PARA E-COMMERCE?

Agora que você já viu as vantagens de utilizar o marketing digital, chegou a hora de ver quais estratégias podem ser interessantes para o seu negócio. Apesar de todas elas trazerem ótimos resultados, é necessário entender como elas funcionam e devem ser aplicadas.

FUNIL DE VENDAS

O funil de vendas é uma estratégia que serve de base para todas as outras. Consiste num processo de análise do comportamento do consumidor para a posterior condução dele dentro da loja virtual.

Isso é importante porque, como já dissemos, cada cliente apresenta um caminho específico do momento em que ele descobriu uma necessidade até a efetivação da compra. E é possível fazer ofertas e se comunicar com ele de forma diferenciada, de acordo com o lugar que ocupa no funil.

Para se entender melhor, é bom saber que existem três etapas do funil de vendas:

  1. topo, é a etapa de consciência, em que se descobre uma necessidade e onde está a maioria dos clientes em potencial;
  2. meio, a consideração, quando o cliente entende que precisa de algo para sanar essa demanda;
  3. fundo, a decisão, quando o consumidor opta por adquirir um produto.

INBOUND MARKETING

O inbound marketing, na verdade, é uma reunião de estratégias que configuram o marketing de atração. Ao contrário do outbound marketing (mais direto), ele procura atrair clientes em potencial por meio da identificação e geração de demanda.

Para tanto, utiliza um mix que começa pelo funil de vendas, passa pelo marketing de conteúdo (que explicaremos a seguir), redes sociais e e-mails marketing, terminando apenas quando a venda é realizada.

O principal objetivo do inbound é gerar leads, os visitantes de uma página que, aos poucos, são transformados em clientes potenciais e reais. Para isso, eles precisam ser nutridos, ou seja, receber conteúdo e interagir com a marca de maneira crescente.

LINKS PATROCINADOS

Se o marketing de conteúdo é a estratégia voltada para a busca orgânica, os links patrocinados são resultados pagos oferecidos pelos buscadores. Você já deve estar mais que habituado a vê-los, pois são os anúncios que aparecem no topo das páginas.

No Google, existem duas formas principais de se anunciar. A rede de pesquisa é a mais conhecida, sendo aqueles links que aparecem logo que se faz uma busca. Já a rede display aparece em outros sites parceiros, na forma de banner e de acordo com o histórico de navegação do próprio usuário.

A principal vantagem dos links patrocinados é que o anunciante só paga pelo clique. Ou seja, mesmo que uma pessoa visualize, na página do buscador, o nome da sua loja virtual ou produto e a descrição de produtos, só será cobrado se ele visitar o seu site.

Além dos links do Google, estão cada vez mais populares os anúncios pagos em mídias sociais, como o Facebook Ads e o Twitter Ads. Eles são efetivos por serem ainda mais adequados ao perfil de cada usuário dessas páginas.

POR ONDE COMEÇAR?

Antes de começar uma estratégia de marketing digital para e-commerce, é fundamental entender bem todas as possibilidades que o negócio pode oferecer. Também é necessário conhecer bastante o seu público-alvo e como dialogar corretamente com ele.

Para tanto, podem ser feitas pesquisas de mercado, que indicam quem são seus concorrentes, como eles atuam e quais resultados têm obtido. Ela também pode apontar como e onde investir e de que forma isso pode ser feito.

Em seguida, é hora de criar personas, ou seja, pessoas semifictícias que representem, de fato, seus clientes em potencial, de forma mais específica que o público-alvo. Elas permitem direcionar melhor a sua estratégia.

Além disso, é muito importante entender que nenhuma estratégia de marketing digital para e-commerce funciona de uma hora para outra. Os resultados podem demorar a aparecer e, muitas vezes, é preciso ajustar ou rever todas as ações.

EXECUTANDO UM PLANO DE MARKETING DIGITAL DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

Nesse ponto, você deve ter uma compreensão muito clara das nuances sutis que definem seus negócios. Se você é uma pequena empresa, é nesse momento que você começa a preparar as bases para o crescimento futuro e, se estiver mais estabelecido, é assim que você acelera sua trajetória de crescimento.

1. DETERMINE SUA ESTRATÉGIA DE VENDAS E GERAÇÃO DE LEADS

É aqui que você é criativo. E, infelizmente, é aqui que as respostas de tamanho único param. O número de maneiras pelas quais você pode comercializar seus negócios é aparentemente interminável, e isso é uma coisa boa!

Embora a enorme lista de chavões de marketing digital possa fazer sua cabeça girar, destacaremos as estratégias e ferramentas que comprovaram o histórico de resultados, juntamente com algumas estratégias mais recentes a serem consideradas.

Para nós, aprendizes visuais, imagine um gráfico de funil de vendas que mostre o caminho de seus clientes, da conscientização ao interesse, do desejo à ação .

Agora imagine que cada estágio desse processo inclua notas sobre as estratégias de marketing específicas que você empregará para conduzir os clientes em potencial por esse funil.

No topo do funil, você verá estratégias de criação de conhecimento da marca que geralmente não produzem conversões imediatas – como postar conteúdo social orgânico ou anúncios gráficos programáticos .

E na parte inferior, você verá anúncios da rede de pesquisa do Google, anúncios de redirecionamento do Instagram e comunicação direta por e-mail.

Como profissional de marketing, convém considerar o objetivo principal de toda estratégia de campanha que empregar e onde ela se encaixa no seu funil.

Mas não se preocupe, as estratégias e táticas da próxima seção provavelmente produzirão resultados positivos.

2. OBTENHA SOFTWARE DE TECNOLOGIA E RELATÓRIOS 

Antes de fazer um esforço sério de marketing, você deve absolutamente fazer as seguintes perguntas:

  • A tecnologia que estou usando atualmente para rastrear a eficácia de meus esforços de marketing é adequada?
  • Pode ser usado para determinar se os KPIs que estou buscando estão realmente melhorando?
  • Isso ajudará nossa equipe a determinar com precisão o ROI de nossas ações?

Se sua resposta for “não”, você deve considerar uma alteração antes de lançar uma nova estratégia de marketing digital e-commerce. E se sua resposta for “sim”, isso é ótimo! Mas verifique.

Aqui estão algumas ótimas ferramentas a serem consideradas:

  • Google Data Studio (integrações gratuitas + pagas);
  • Bússola;
  • Glew;
  • LuckyOrange.

Como mencionamos em nosso ponto anterior, o grande número de canais de marketing continua a aumentar e as ferramentas que você está usando para rastrear essas informações precisam ser suficientes.

Mas não se preocupe. As ferramentas estão lá fora. E mesmo se você estiver com um orçamento apertado – existem vários recursos gratuitos que podem ajudar.

3. COMECE COM CONVERSÕES 

Dentro da sua estratégia de geração de leads e funil de vendas, havia certas estratégias de base do funil projetadas para levar os clientes além da linha de chegada.

É altamente recomendável lançar essas campanhas primeiro para gerar vendas e impulso positivo.

Então, quando sua equipe se sentir confortável com os resultados iniciais, continue lançando toda a sua estratégia de marketing de comércio eletrônico (mais sobre esses tipos de estratégias abaixo).

4. TESTE AS ESTRATÉGIAS 

Aloque parte do seu orçamento de marketing para e-commerce para testar novas estratégias.Afinal, você nunca saberá o que funciona bem e o que não funciona até tentar.

Não gaste dinheiro a toa, mas, dependendo do tamanho do seu orçamento, a execução de alguns casos de teste simples em mercados menores pode fornecer a munição necessária para justificar um aumento no orçamento, validar suas recomendações anteriores e/ou abrir a porta para um oportunidade de mercado inteiramente nova.

5. REFINE E EXPANDA SUA ESTRATÉGIA DE MARKETING DIGITAL E E-COMMERCE 

Agora fica divertido! Você viu um momento positivo e está pronto para ascender. A essa altura, você terá um bom entendimento do que está funcionando, do que precisa ser aprimorado e de quais oportunidades ainda existem. Portanto, refine e aprimore suas estratégias iniciais. Tendo provado um ROI positivo, é hora de aumentar seu orçamento e sua escala!

Além disso, você pode ser ainda mais criativo.

ESTRATÉGIAS PARA AUMENTAR AS VENDAS COM MARKETING DIGITAL

  • Empreendimentos conjuntos e parcerias – Marcas complementares obtiveram sucesso por meio de parcerias. Você pode criar um conteúdo que exponha as duas marcas à lista de e-mails uma da outra. Ou junte um pacote de presente de feriado com curadoria a várias marcas. As oportunidades são infinitas e, quando as marcas se alinham, as duas marcas se beneficiam.
  • Aumentar AOV (valor médio por pedido) – Você está em uma missão para aumentar as vendas. Agora, tente aumentar o valor médio do pedido. Nivele seus códigos de desconto para incentivar compras maiores ou ofereça remessa acelerada para pedidos 50% maiores que o seu AOV atual.
  • Referências – Ofereça aos clientes atuais a oportunidade de indicar um amigo e colher os frutos. É um ganha-ganha. Eles se tornam um exército de defensores da marca e, ao mesmo tempo, pesquisam no catálogo de produtos maneiras de usar o novo código de desconto.

CANAIS, TÁTICAS E FERRAMENTAS DE MARKETING DIGITAL PARA E-COMMERCE 

Novos canais de marketing estão sendo abertos todos os dias.Redes enormes, como Google e Facebook, continuarão a oferecer novas maneiras de alcançar clientes e atrair mais dinheiro em publicidade.

Com isso em mente, veja uma lista dos melhores canais, táticas e ferramentas a serem consideradas ao elaborar seu plano de marketing de comércio eletrônico.

1. PUBLICIDADE PAY-PER-CLICK (PPC);

A publicidade paga por clique ou PPC pode ser um dos elementos fundamentais da sua estratégia de marketing para e-commerce. Caso você não esteja familiarizado com o PPC, sua marca pagaria uma rede de publicidade, como o Google, toda vez que alguém clicar no seu anúncio.

É claro que existem vários tipos de anúncios PPC aos quais chamamos  atenção – pesquisa paga, exibição e campanhas de compras -, pois são mais relevantes para o sucesso do marketing de comércio eletrônico.

Cada tipo de publicidade PPC pode desempenhar um papel importante, porém diferente, em sua estratégia geral de marketing.E, para facilitar a compreensão, use o Google na fonte principal de todos os anúncios PPC, já que é o mais popular e mais fácil de usar.

Dito isto, existem diferentes redes de anúncios PPC, como Bing Ads e Amazon Advertising, que definitivamente valem a pena incluir em sua estratégia geral de PPC.Aqui está um pouco mais de informações sobre cada um:

Anúncios de pesquisa paga – Um anúncio de pesquisa paga será exibido na parte superior dos resultados do mecanismo de pesquisa e não incluirá nenhum tipo de imagem.

Muito simplesmente, o Google exibe ao usuário um anúncio somente em texto com base nos termos de pesquisa do usuário.

2. OTIMIZAÇÃO PARA MECANISMOS DE BUSCA (SEO).

Nos últimos 20 anos, o Search Engine Optimization evoluiu para melhor.No passado, os especialistas em SEO eram parecidos com os vendedores que usavam táticas e explorações desonestas para aumentar o ranking dos sites.

Agora, por outro lado, o SEO tem mais a ver com seguir as práticas recomendadas no local e obter sua classificação, em vez de “trabalhar com o sistema”.Dito isto, o SEO NÃO deve ser esquecido.De fato, 70-80% dos usuários do Google estão focados apenas nos resultados da pesquisa orgânica.

Mas não se preocupe, há muitos recursos úteis para testar a integridade do SEO do seu site e acompanhar sua melhoria ao longo do tempo, como SEMrush e MOZ. Ferramentas a considerar:

  • SEMrush;
  • MOZ ;
  • Aplicativos BigCommerce .

3. MARKETING DE CONTEÚDO 

O marketing de conteúdo é um pouco de unicórnio no espaço de comércio eletrônico. Quando você tem um plano de marketing de conteúdo altamente testado e abrangente, praticamente todos os outros canais de marketing que você usa se tornam mais bem-sucedidos em paralelo. Isso ocorre porque o marketing de conteúdo é o melhor meio de distribuir seu produto para um público.

Através de postagens em blogs, infográficos e vídeos, você alcança mais clientes por conta própria: a Internet. É chamado de marketing de entrada – onde os compradores chegam até você – e custa significativamente menos do que os esforços de saída, onde você sai e encontra os compradores por si mesmo.

Se o seu produto tem uma causa ambiental, tecnologia avançada ou é simplesmente inovador, considere lançar algumas postagens escritas no blog descrevendo as especificidades dos produtos.

Além de educacionais para quem visita seu site, essas postagens do blog ajudarão você a obter tráfego orgânico de palavras-chave relevantes.

4. MARKETING DE INFLUÊNCIA

O marketing de influenciadores é simples. À medida que os consumidores são expostos a cada vez mais anúncios, as marcas incorporam estratégias diferentes para alcançar e atrair clientes.

Portanto, uma marca se alinhará com um “influenciador” – ou seja, alguém que tenha muitos seguidores e credibilidade em um determinado nicho. Por meio dessa parceria, ambas as partes irão co-criar conteúdo destinado a conscientizar e impulsionar as vendas.

E como o influenciador já tem a atenção e a confiança de seus seguidores, esses endossos de produtos pagos parecem menos invasivos do que os anúncios comuns.Portanto, eles são uma ferramenta valiosa em um kit de ferramentas de marketing.

O marketing de influenciadores é mais comumente visto nas mídias sociais, YouTube e blogs conhecidos. Os fashionistas que compartilham seus guias de estilo no Instagram e os jogadores competitivos que transmitem resenhas de jogos no YouTube ou no Twitch estão gerando resultados mensuráveis ​​quando solicitados a promover sutilmente uma marca.

5. MARKETING DE MÍDIA SOCIAL.

A mídia social é (e continuará sendo) um cenário de redes e plataformas em rápida evolução que muda continuamente a maneira como as pessoas interagem com as marcas online. A tarefa é entender as melhores práticas e implementar campanhas estratégicas que envolvem clientes em potencial, criam defensores da marca e, eventualmente, alimentam os resultados.Felizmente, redes sociais populares como Facebook, Twitter e Instagram estão continuamente lançando novos recursos e ferramentas para ajudar as marcas a alcançar efetivamente seu público-alvo.

Por exemplo, com o novo recurso de anúncios dinâmicos do Facebook, uma marca pode fazer upload de todo o seu catálogo de produtos no Facebook.Em seguida, cada produto será mostrado automaticamente aos clientes interessados ​​com preços e disponibilidade atualizados, o que é uma ótima ferramenta para os profissionais de marketing de comércio eletrônico.

A publicidade PPC, o marketing de mídia social tem seu próprio conjunto de nuances e jargões que às vezes podem se entrelaçar.Focaremos agora no que pode ter o maior impacto em sua marca.Aqui está o que é importante considerar ao criar sua campanha de marketing de mídia social:

PUBLICIDADE DE MÍDIA SOCIAL  

Toda rede popular de mídia social possui ferramentas úteis para marcas (e profissionais de marketing) veicularem anúncios direcionados a clientes em potencial.

A maioria deles opera de maneira semelhante aos anúncios PPC do Google; você cria um anúncio, define seu orçamento e paga por cada clique (ou número de impressões) que o anúncio recebe.

ANÚNCIOS NAS REDES SOCIAIS

Cada rede social oferece uma ampla variedade de tipos de anúncio, personalizados para se adequar à sua estratégia de publicidade e oferecem aos profissionais de marketing digital a oportunidade de serem criativos.

Para economizar seu tempo, as seguintes redes sociais provaram ser as mais amplamente adotadas e práticas para o marketing de comércio eletrônico:

COMÉRCIO SOCIAL 

Como mencionado, as redes sociais estão constantemente buscando novas maneiras de atrair marcas e, mais importante, anunciantes para suas redes;

Redes como Facebook e Instagram (em particular) criaram (razoavelmente) ecossistemas contínuos que permitem aos clientes descobrir seus produtos e, mais importante, comprar seus produtos sem sair da rede;

Isso simplifica o caminho para a compra e, posteriormente, aumenta as taxas de conversão. Se garantir que seu catálogo de produtos de comércio eletrônico seja sincronizado com o Facebook e o Instagram permitirá que mais clientes encontrem seus produtos e aumentem a eficácia de suas campanhas de publicidade social;

CONTEÚDO SOCIAL ORGÂNICO  

Antes das redes sociais serem gigantes lucrativas, eram fóruns para interagir com os clientes e promover a defesa da marca. Claro, isso não desapareceu completamente. Mas, em certa medida, as marcas foram empurradas para a rota de publicidade paga para produzir os melhores resultados.

Dito isto, não se esqueça do conteúdo social orgânico. Ele desempenha um papel importante na conscientização da marca e, no mínimo, é essencial para manter um SEO forte.

Combine seu conteúdo social orgânico com novos recursos de comércio social, como marcar seus produtos nas postagens do Facebook e Instagram e criar postagens “compráveis” no Pinterest .

Dessa forma, você continuará construindo a marca, facilitando a localização e a compra de seus clientes em potencial.

6. EMAIL MARKETING

Ao elaborar um plano abrangente de marketing de comércio eletrônico, o e-mail pode desempenhar um papel muito importante.Por um lado, ele pode não receber a atenção de caminhos novos e modernos para a comercialização de seus negócios de comércio eletrônico, mas, quando bem feito, o e-mail pode produzir um retorno do investimento consistentemente alto.

Dito isto, não espere “aumentar e detonar” o seu caminho para altas taxas de conversão e maiores valores de pedidos. A adoção de uma abordagem mais estratégica e ponderada do e-mail acabará gerando resultados muito positivos.

No final do dia, os clientes estão dispostos a ler e-mails que despertam seus interesses pessoais.

Portanto, verifique se seus e-mails são contextuais e envolventes. Como regra geral, tente segmentar sua lista de e-mails com base no histórico de compras anteriores.Dessa forma, você pode enviar e-mails que sejam compatíveis com seus gostos pessoais.

7. MARKETING DE AFILIADOS 

O marketing de afiliados é o processo de um comerciante de comércio eletrônico paga uma comissão a um site externo por quaisquer vendas geradas a partir de seu tráfego de referência.

As vendas são rastreadas por meio de links afiliados, que podem ser implementados usando vários programas afiliados .

Uma grande coisa sobre o marketing de afiliados para comerciantes de comércio eletrônico é que você paga apenas após a venda.

Os comerciantes também escolhem suas próprias taxas de comissão, com uma porcentagem do preço de venda geralmente variando de 5 a 30%. Também é muito positivo para o ROI.

8. MARKETING LOCAL 

O marketing local – também conhecido como ” marketing baseado em localização ” e “marketing de vizinhança” – é o processo de otimizar seu site e a publicidade online para ajudar a aumentar o tráfego e a conscientização nas regiões locais.

Se você é uma loja ou marca física que deseja fazer uma mudança online, é importante não perder os clientes pessoais existentes que você já possui. Além disso, se você tem uma loja ou presença local, há várias estratégias que você pode usar para continuar aumentando essa presença.

Otimize seu site com palavras-chave locais. Coloque palavras-chave relevantes sobre a cidade em que está e as cidades ou regiões limítrofes. Desenvolva páginas de destino especializadas sobre sua cidade, crie coleções de produtos que defendem empresas ou tendências locais ou faça campanhas de eventos locais com empresas vizinhas.

Mesmo quando as empresas estão se movendo cada vez mais online, o marketing local ainda tem impacto em muitas decisões que os compradores tomam.

Se um usuário estiver procurando um produto online, as lojas locais relevantes serão exibidas nos resultados da pesquisa.

QUAL A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE DE UMA EMPRESA QUALIFICADA EM MARKETING DIGITAL PARA E-COMMERCE?

Por isso mesmo, muitos empreendedores, principalmente aqueles que estão no primeiro negócio virtual, podem ficar frustrados no início. É preciso ter em mente que as estratégias de marketing digital são de longo prazo, exigindo paciência.

Nessa hora, faz toda a diferença contar com uma consultoria especializada em marketing digital para e-commerce. Afinal, os consultores estão preparados para traçar estratégias específicas para as lojas virtuais, atendendo as necessidades desse setor.

Mas, acima de tudo, a consultoria é importante para orientar os empreendedores a respeito de todo o processo, inclusive, como lidar com as frustrações. Ela não é a responsável por executar as ações, porém, é fundamental para guiar as empresas iniciantes no marketing.

Os consultores podem:

  • fazer um diagnóstico completo sobre as oportunidades e problemas da loja;
  • orientar na definição de um nicho de mercado;
  • criar uma estratégia e um planejamento;
  • definir um plano de ação;
  • tirar dúvidas e aconselhar sobre diferentes aspectos do marketing digital.

Enfim, uma consultoria em marketing digital para e-commerce pode ser uma grande aliada para o sucesso de qualquer loja virtual. Vale a pena conhecer esse trabalho e perceber como ela pode se comprometer para trazer ótimos resultados e tornar o seu negócio lucrativo.

Gostou de saber como funciona o marketing digital para e-commerce? Ficou interessado em entender melhor sobre o assunto? Então, entre em contato com a D Loja Virtual, tire todas as suas dúvidas e conheça o nosso trabalho!

 

Artigo anteriorProduto extraviado pelos correios é responsabilidade do e-commerce?
Próximo artigoTaxa de abandono de carrinho: 4 melhores estratégias para redução
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

DEIXE UMA RESPOSTA