O que é marketing e como fazer? GUIA COMPLETO

O que é marketing e como fazer? GUIA COMPLETO

3934
0
o que é marketing

Se você trabalha com comércio eletrônico ou acompanha o cenário digital, já deve ter ouvido falar bastante sobre marketing. Ainda assim, pode não saber tão bem o que é marketing. Sem dúvidas, a compreensão sobre o conceito de marketing pode esclarecer dúvidas e abrir muitas portas para os empreendedores que querem crescer.

Se esse é o seu caso, confira esse conteúdo que criamos para responder o que é marketing e para explicar como você pode usar ele a seu favor! Com isso, terá todas as ferramentas necessárias para aplicar boas estratégias online e offline. Boa leitura! 

O QUE É MARKETING?

Para definir o que é marketing, vamos usar um conceito apresentado por Philip Kotler, que nada mais é do que o guru do marketing. Ele diz que o “marketing é o processo social por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo que necessitam e que desejam com a criação, a oferta e a livre negociação de produtos e serviços de valor com outros”.

Resumindo, o marketing é um conjunto de estratégias que têm como objetivo entender quais são as necessidades ou os desejos do cliente para, assim, apresentar produtos ou serviços que correspondam a essa demanda. Por essa razão, existem diversos tipos de marketing, sobre os quais falaremos mais detalhadamente a seguir. 

QUAL É O PRINCIPAL OBJETIVO DO MARKETING?

Sem dúvidas, o principal objetivo do marketing é oferecer para o público um produto ou um serviço que vá de acordo com as suas necessidades ou desejos dos clientes. Com isso, há mais chances de a marca ser bem recebida e de crescer no mercado, já que estará alinhada com a demanda dos consumidores. 

Além disso, existem algumas orientações de administração direcionadas para os empreendedores e que demonstram o que é marketing. Elas têm como objetivo auxiliar na tomada de decisão das marcas, aumentando as possibilidades de sucesso. Veja a seguir:

  • Orientação para produção: A facilidade de encontrar produtos por preços acessíveis atrai o consumidor e está diretamente ligada à grande quantidade de venda e de sucesso da empresa. Portanto, muitas organizações buscam produzir em grandes quantidades e de  forma eficiente.
  • Orientação de marketing: Esse ponto consiste em compreender o cliente para, a partir disso, investir na escolha do produto ideal. O diferencial das empresas que adotam essa ideia está na interação com o consumidor, na preocupação com a criação e entrega do produto final.
  • Orientação para o produto: A inovação dos produtos deve ser considerada para aumentar as possibilidades de a marca se destacar. Um produto que oferece inovação, por exemplo, se diferencia mais facilmente da concorrência. Esse ponto é diferente da orientação para produção, pois lá o aperfeiçoamento do produto independe de sua absorção no mercado.
  • Orientação para vendas: Aqui, considera-se que os produtos não são comprados pelos consumidores por um desejo espontâneo. Sabendo disso, são adotadas estratégias que visam estimular um consumo mais frequente. O ponto central dessa orientação é o lucro obtido a partir dessas técnicas.
  • Orientação para marketing holístico: Esse é um apanhado de todas as outras orientações, levando em conta todas as etapas do marketing e seus possíveis aspectos. Seu objetivo está em tornar a atividade de consumo equilibrada, sem ignorar todos os pontos da relação empresa, produto e consumidor.

O QUE SÃO OS 4 PS DO MARKETING?

Pois bem, agora que você já entendeu o que é marketing, vamos aprofundar o conteúdo. É importante saber que o marketing sempre tem como objetivo usar técnicas específicas de abordagem ao consumidor, partindo do princípio que o público-alvo varia de acordo com o produto ou serviço que será oferecido.

O Composto de Marketing (também conhecido como Mix de Marketing) é um conceito muito utilizado para aumentar o entendimento sobre algumas decisões da marca, já que aborda quatro pontos fundamentais para a atuação no mercado: preço, praça, promoção e produto. Conheça aqui: 

1. PREÇO

Nesse ponto, a sugestão é que o empreendedor analise o preço pelo qual o produto será comercializado, bem como a forma que o consumidor será cobrado e pagará pelo produto (dinheiro, cartão de débito e crédito, boleto, etc). Também vale pensar se será oferecida a alternativa de parcelamento e, se for, se haverá desconto na modalidade à vista. 

2. PRAÇA

Quando falamos em praça, estamos nos referindo ao conceito de marketing que diz respeito ao local onde o produto será comercializado. Este ponto pode ser um pouco confuso quando analisamos o contexto de um e-commerce, já que está situado na internet e pode ser entregue para qualquer lugar do mundo (dependendo da logística de cada negócio).

3. PROMOÇÃO

O termo promoção se refere a todas as técnicas escolhidas para que o cliente seja atraído para o consumo do produto ou serviço, ou seja, a famosa publicidade. Nesta etapa, o produto contará com sua divulgação e construção de imagem no mercado. No caso do e-commerce, vale pensar nas estratégias de divulgação no Google e nas redes sociais. 

4. PRODUTO

Nesse ponto, sugere-se que o empreendedor considere todos os elementos que compõe o produto ou o serviço que será oferecido, lembrando que o objetivo é que seja absorvido pelo mercado de forma rápida e perene. Por isso, vale avaliar o quanto o item desenvolvido tem capacidade de suprir uma demanda que ainda não está sendo atendida. 

QUAIS SÃO OS CANAIS DE MARKETING?

Agora que você já sabe bem o que é marketing, vamos falar sobre os canais, ou seja, sobre os meios em que os produtos ou serviços podem ser distribuídos para os consumidores. A escolha do canal de marketing é bem importante, já que as chances de o cliente consumir um produto é maior se ele encontrar o item nos lugares onde transita no dia a dia. 

  • Varejo: Esse é um dos canais de distribuição mais comuns, já que se trata da venda para o cliente final. Aqui, o empresário pode produzir ou comprar os itens em grande quantidade, vendendo de forma individual ou em pequenas porções. Canais de varejo são lojas (físicas ou virtuais), supermercados, etc.
  • Atacado: A venda por atacado nada mais é do que a comercialização em grande quantidade, voltada para clientes que têm empresa (com CNPJ). Em geral, fabricantes e importadores vendem os itens desta forma, para que um varejista compre e venda para o cliente final. 
  • Distribuição: Embora se assemelhe ao atacado, esse canal é um pouco diferente, já que se trata de alguém que compra os itens em grande quantidade e também vende em grande quantidade, cobrindo uma determinada área geográfica. Nesse caso, o distribuidor é responsável pela entrega e também pela assistência técnica.
  • Agenciamento: O agente é um intermediário de vendas, presente geralmente em transações que necessitem de muitas etapas até chegar ao cliente final. Ele é responsável por fazer a ponte entre o produtor e o varejista ou atacadista. 

QUAIS SÃO AS FERRAMENTAS DE MARKETING?

Ainda não falamos, mas você sabe o que significa a palavra marketing? Esse termo é tão usado em português que acabou sendo adotado pelos dicionários. No entanto, em uma tradução livre, poderia ser chamado de mercadologia, uma vez que lida diretamente com o entendimento do mercado e das necessidades do consumidor.

Falamos isso porque é fundamental ter em mente que o produto ou serviço oferecido por uma empresa precisa pensar no cliente em primeiro lugar. Se você desenvolver um item sem pensar em atender os desejos ou necessidades do seu público, muito provavelmente terá que lidar com problemas de recepção do mercado.

Nesse ponto, as ferramentas de marketing servem para ajudar o empreendedor a conduzir sua criação de forma sólida, tendo em vista que a entrada de um produto ou serviço no mercado é complexa e precisa ser muito consistente. Agora que você já sabe o que é marketing, veja as principais ferramentas:

  • Plano de marketing: Sem dúvidas, o plano de marketing é fundamental para a criação de uma marca, produto ou serviço. Trata-se de um documento que envolve a estratégia que será adotada pela organização. Devido a sua importância para a saúde de um negócio, falaremos novamente sobre ele mais adiante. 
  • Customer Relationship Management (CRM): O termo significa Gestão de Relacionamento com o Cliente e se refere à necessidade de oferecer uma experiência de excelência ao cliente, buscando sempre a sua satisfação. Para isso, o gestor deve conhecer profundamente o perfil do seus consumidores. 
  • Segmentação de Mercado: Esse item tem como objetivo se aprofundar no público-alvo para poder aperfeiçoar o produto ou serviço oferecido. Para isso, divide os clientes em sub-grupos, fazendo com que seja possível segmentar as campanhas de acordo com parâmetros como região, gênero, faixa etária, renda, etc. 
  • SWOT: A Análise SWOT tem o objetivo de compreender os pontos fortes e fracos da corporação, bem como as oportunidades e ameaças do mercado em que a empresa atua. Desta maneira, é possível se antecipar para reduzir os riscos inerentes, aumentando as possibilidade de sucesso.

CONHEÇA OS 15 PRINCIPAIS TIPOS DE MARKETING

No início deste material, quando falamos sobre o que é marketing, destacamos que seu objetivo é compreender as necessidades e desejos dos consumidores para poder adotar as melhores estratégias dentro do mercado. Pois então, conhecer os tipos de marketing ajuda a entender como é possível impactar o público-alvo, aumentando as chances de venda. 

É claro que nenhuma empresa precisa utilizar todas essas formas, no entanto, conhecer cada uma ajuda na tomada de decisões, fazendo com que a as estratégias adotadas estejam alinhadas com o segmento em que a empresa atua e, sobretudo, com o tipo de público para quem se direciona. 

1. MARKETING DIGITAL

O marketing digital é muito falado, e seu sucesso não é à toa. Ele reúne uma série de técnicas online para que uma empresa possa alcançar o seu público-alvo com assertividade. Quando falamos em marketing virtual, nos referimos a uma série de canais, como Google, redes sociais, sites, blogs, etc. 

2. INBOUND MARKETING

O inbound marketing tem como objetivo conduzir a venda do produto ou serviço. Para isso, considera as etapas do funil de vendas, ou seja, atrair, converter, concretizar e fidelizar os clientes. Para isso, é fundamental entender como ocorre a jornada de compra dos clientes, o que varia bastante conforme o público-alvo. 

3. OUTBOUND MARKETING

O outbound marketing não espera que o cliente procure pela marca, pelo contrário: a sua lógica é a de impactar o público de forma ativa, seja por divulgação em meios de comunicação tradicional (como rádio, televisão, revista, jornal, etc.), ou em banners e até telemarketing. 

4. MARKETING DE CONTEÚDO

O marketing de conteúdo é o braço direito do marketing digital e, sem dúvidas, oferece bons resultados para as marcas que querem adicionar valor aos produtos. Na prática, esse tipo de marketing usa blogs e redes sociais para abordar conteúdos complementares ao produto que vendem, com o propósito de assumir uma postura de autoridade no segmento. 

5. MARKETING DIRETO E INDIRETO

O marketing direto foca em um determinado grupo de pessoas e pode ser feito a partir de ligações, catálogos, e-mails, etc. Nesse caso, não existe nenhum intermediário entre a marca e o cliente. Já o marketing indireto se caracteriza pela divulgação de uma marca ou produto de forma sutil, como no caso do merchandising em novelas.

6. MARKETING PESSOAL

O marketing pessoal tem como intuito fortalecer a imagem de uma pessoa, e não de uma marca ou produto. Em geral, o indivíduo em questão assume uma posição de autoridade ou especialista e, indiretamente, conquista o interesse das marcas para associar a sua imagem aos produtos que oferecem.

7. ENDOMARKETING

O endomarketing diz respeito à toda parte de comunicação interna de uma empresa, criando um bom ambiente de trabalho e engajando os colaboradores. Ao proporcionar a satisfação dos seus funcionários, a empresa ganha maior produtividade e reduz o fluxo de demissões. 

8. MARKETING DE RELACIONAMENTO

O marketing de relacionamento também tem relação direta com o marketing digital. Sua ideia é estabelecer um vínculo com os consumidores, fazendo com que estes se identifiquem profundamente com a marca. As redes sociais são canais excelentes para desenvolver este tipo de marketing. 

9. MARKETING DE GUERRILHA

Entre topos os tipos de marketing, o marketing de guerrilha é um dos mais agressivos, uma vez que direciona a sua fala diretamente a uma marca rival. Nesse caso, a linguagem precisa ser muito criativa, para que os consumidores entendam o contexto da ação. Na maior parte das vezes, as marcas usam o Twitter para lançar esse tipo de campanha.   

10. MARKETING SOCIAL

O marketing social vincula a imagem da marca a de uma ação social, demonstrando que a empresa se preocupa em oferecer benefícios para toda a sociedade, seja em relação ao combate à fome, preservação da natureza, etc. Por essa razão, algumas empresas direcionam parte de seus lucros para instituições de caridade. 

11. MARKETING MULTINÍVEL

O marketing multinível conta com intermediários que, em geral, são responsáveis pela divulgação dos produtos para os clientes. Esse tipo de marketing é adotado por grande parte das empresas de cosméticos, que vendem produtos por catálogo e contam com uma série de vendedoras autônomas. 

12. MARKETING DE PRODUTO

O marketing de produto tem como objetivo atender uma camada de mercado que ainda não está sendo suprida. Para isso, trabalha no desenvolvimento de novos itens que atendam às necessidades do público e que ainda não sejam oferecidos pela concorrência. Esse tipo de marketing precisa ser feito com muito estudo e conhecimento sobre os consumidores. 

13. MARKETING OFFLINE

O marketing offline nada mais é do que o marketing tradicional, ou seja, que vinha sendo feito antes do surgimento das tecnologias digitais. Esse tipo de marketing se refere aos meios de comunicação tradicional, como rádio, televisão e jornais, bem como participação em eventos, uso de outdoor e telemarketing. 

14. MARKETING DE PERFORMANCE

O marketing de performance é voltado para o mercado digital, focando nos resultados das ações. Para isso, analisa se as estratégias adotadas nas redes sociais e buscadores de conteúdo têm oferecido benefícios à marca. Essa é uma excelente maneira de aprender os erros e aperfeiçoar cada vez mais a comunicação.

15. E-MAIL MARKETING

O e-mail marketing é uma boa maneira de dialogar com pessoas que já apresentaram interesse pela marca, mesmo que ainda não tenham comprado dela. Seu uso é recomendado para anunciar lançamentos, falar sobre promoções ou para falar sobre temas que tenham a ver com o propósito da empresa. 

COMO CRIAR UM PLANO DE MARKETING?

O plano de marketing é uma etapa fundamental da criação de uma marca, de um produto ou de um serviço. Ele proporciona que o gestor do negócio reflita sobre as ações que adotará para divulgar sua empresa para o público-alvo, possibilitando uma tomada de decisões mais assertiva e alinhada aos consumidores da marca. 

A seguir, veja os passos de um bom plano de marketing: 

1. PENSE NOS OBJETIVOS

O ponto inicial de um plano de marketing deve ser a definição dos objetivos, pois isso permite que o gestor avalie as prioridades da marca, ou seja, os pontos principais para focar toda a divulgação do negócio. Para que seja possível definir estratégias coerentes, é fundamental que os objetivos pensados aqui sejam viáveis e alcançáveis. 

2. CRIE PERSONAS

Conhecer o público-alvo é básico, mas o marketing digital precisa ir além disso. A criação de personas faz com que seja possível visualizar os consumidores na forma de personagens fictícios, deixando seus gostos e interesses mais palpáveis. Isso deve ser criado a partir de pesquisas, que envolvem faixa etária, gênero, renda, estilo de vida, etc.  

3. USE AS REDES SOCIAIS

O que é marketing sem as redes sociais? Estar presente em redes como Facebook e Instagram é uma regra para as empresas que querem usar todos os benefícios que o marketing digital oferece. Para isso, é fundamental definir estratégias de comunicação e de linguagem que vão de encontro com o perfil do seu público. 

4. OLHE PARA A CONCORRÊNCIA

Uma marca deve estar sempre de olho na sua concorrência. Isso inclui aquelas empresas que já atuam no mercado há muito tempo e também as novas marcas que estão entrando agora. Assim, é possível criar estratégias para se diferenciar das demais empresas, seja a partir do produto, da comunicação, etc. 

5. FOQUE NO ATENDIMENTO

É claro que o atendimento não ia ficar de fora desta lista. Estabelecer uma estratégia de atendimento é básico para contribuir com a satisfação dos clientes. Para isso, é necessário definir os setores da empresa e compreender  de que forma é possível prestar um serviço ágil e eficiente para os consumidores. 

O que achou sobre esse conteúdo? Agora que você já sabe o que é marketing e toda a sua importância para uma empresa, que tal ler mais sobre o atendimento? Esse é um ponto essencial para pensar antes mesmo de entrar no mercado. Se tiver interesse, conheça 5 técnicas de atendimento ao público infalíveis.

Artigo anteriorMigração de sites: o que é e como funciona? Veja como fazer
Próximo artigoComo se preparar para a Black Friday: dicas para vender mais
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

DEIXE UMA RESPOSTA