Mobile Commerce

Mobile Commerce

2065
1

 

 

Mobile Commerce
Mobile Commerce

Insights sobre mobile-commerce

“Mobile users will do anything and everything desktop users will do, provided it’s presented in a usable way”. Brad Frost

A frase acima, cunhada por um dos mais ferrenhos defensores do design responsivo, elucida o quão importante é gastar tempo e dinheiro adaptando os sites atuais para dispositivos mobile. Não apenas porque seu uso, em quantidade, cresce exorbitantemente, mas, também, porque as demandas desses usuários por sites que sejam adaptados a seus gadgets também aumenta. Quer ver? Uma pesquisa recente da Mobify mostrou que 30% dos compradores mobile abandonam a transação se a experiência não estiver otimizada para dispositivos móveis. Com o intuito de ajudar a compreender essa mudança de comportamento, trouxe alguns insights sobre o assunto:

Urgência

As pessoas estão buscando informação de uma maneira (ainda) mais urgente que antes. Esse comportamento se reflete na forma como elas interagem com seus celulares, já que boa parte do que eles procuram (via mobile) está relacionado à localização ou atividade, como buscar coisas pelo Yelp ou Foursquare.

Regularidade

O relatório também apontou que a informação em tempo real está ainda mais importante. As pessoas querem ter acesso a cosias como oscilações da bolsa de valores, resultado de uma partida de futebol ou atualização de um leilão o qual estão participando, e querem agora!

Diversão

Mais do que nunca, usuários mobile querem que seus dispositivos sirvam como ferramentas de combate ao tédio. Eles querem distrações, entretenimento e conversação. E como eles querem isso? Facebook, Instragram, Twitter, e-mail…

Estatísticas*

– A Espontaneidade desempenha um papel importante em 81% das compras via smartphones;

– 88% das pessoas concordam que ter um dispositivo móvel com informação em tempo real torna o ato de comprar mais espontâneo;

– 51% dos compradores pesquisam online e visitam a loja para concluir a compra;

– 44% pesquisam e compram online;

– 17% visitam a loja primeiro e depois compra online;

– 32% pesquisam online, visitam a loja para provar o produto, e então compram online;

O que fica disso tudo? Da mesma forma que o varejo tradicional precisou de sérias adaptações com a chegada do e-commerce, agora é o próprio e-commerce que precisa repensar uma série de pilares para não sucumbir aos tempos modernos.

 

* Dados extraídos de uma pesquisa da Mobify

 

Artigo anterior7 dicas para um SEO eficaz
Próximo artigoRedes Sociais Para Lojas Virtuais saiba o que encaixam no seu negócio
Marcio Eugênio é especialista em e-commerce, com mais de 13 anos de experiência na área, e sócio-fundador de três empresas focadas em e-commerce. É colunista em diversos portais relacionados a comércio virtual, administração e empreendedorismo, além de contar com vasta experiência em comércio eletrônico. Foi eleito em 2016 como o melhor profissional de e-commerce pela Abcomm, através de votação popular, e é apresentador do maior canal focado em e-commerce do Youtube no Brasil. O Projeto mais recente de Loja virtual é a https://www.monnieri.com.br/ que saiu do zero a um milhão de reais de faturamento em menos de dois anos.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA